Presidente da comissão eleitoral descarta possível fraude nas eleições do Corinthians

Presidente da comissão eleitoral descarta possível fraude nas eleições do Corinthians

Por Meu Timão

2.0 mil visualizações 57 comentários Comunicar erro

Andrés foi eleito presidente do Corinthians na última eleição

Andrés foi eleito presidente do Corinthians na última eleição

Foto: Meu Timão/Larissa Lima

As eleições do Corinthians, realizadas em fevereiro deste ano, seguem reverberando no clube. O processo foi recentemente destacado pelo Ministério Público de São Paulo por sua falta de confiabilidade, com base de laudo de empresa, e a investigação sobre a possível fraude segue com audiência marcada na Justiça. De acordo com o presidente da comissão eleitoral do clube, Miguel Marques e Silva, não há com o que se preocupar.

O mandatário afastou irregularidades sobre o pleito corinthiano, que terminou com a eleição de Andrés Sanchez como presidente do clube. "Posso afirmar que não houve fraude. Já foi feita uma perícia, que mostrou que não houve erro nenhum", disse o presidente à coluna De Primeira, do Uol Esporte.

Miguel Marques e Silva, ainda segundo o portal, também citou o laudo pericial produzido pela empresa Dynamics Perícias sobre o pleito corinthiano, que é base na manifestação do Ministério Público e apontou a diferença de 25 votos (3.642) entre o total computado e as assinaturas colhidas (3.617). Para o presidente da comissão, a situação é normal e todos os cinco candidatos tinham fiscais no local da eleição durante o processo.

Leia também:
Em relatório da CBF, Corinthians é o clube que mais pagou comissão a agentes entre 2017 e 2018
Orçamento do Corinthians previa R$ 50 mi em vendas, mas clube já arrecadou quase o dobro em 2018

O laudo pericial faz parte do inquérito aberto pela Polícia Civil a pedido de Paulo Garcia, segundo colocado no pleito. A Justiça determinou realização de uma audiência no dia 27 agosto, quando serão ouvidos funcionários da empresa Telemeeting Brasil, responsável pelo sistema de urnas eletrônicas utilizado na eleição.

O levantamento da empresa também apontou que o sistema de Wi-fi que registrou os votos era vulnerável. A fragilidade da rede de internet já havia sido destacada pela Perícias Informática. Além disso, foi revelada uma divergência no código de um dos computadores utilizados na eleição. Segundo o laudo, no entanto, isso foi causado por falha de um funcionário da Telemeeting Brasil. O Instituto de Criminalística, por fim, não apontou qualquer irregularidade no processo de votação.

Vale destacar que, caso qualquer fraude seja confirmada, a eleição do Corinthians só será anulada com uma ação na Justiça Civil e no Conselho Deliberativo do clube.

A confirmação de irregularidades pode ser encaixada no artigo 66 do Código de Defesa do Consumidor, como apontado pela promotoria, que prevê: "fazer afirmação falsa ou enganosa, ou omitir informação relevante sobre a natureza, característica, qualidade, quantidade, segurança, desempenho, durabilidade, preço ou garantia de produtos ou serviço, com pena de prisão de três meses a um ano e multa".

Veja mais em: Eleições no Corinthians e Andrés Sanchez.

Veja Mais:

  • Torcida do Corinthians fez bela festa no Mineirão na primeira final da Copa do Brasil

    TV Globo transmite jogo entre Corinthians e Cruzeiro para três estados e DF; ex-Timão comentam

    ver detalhes
  • Pedrinho deve jogar aberto nesta noite; meia tem quatro gols em 52 jogos em 2018

    Com novidades na escalação, pressionado Corinthians revê Cruzeiro no Mineirão; saiba tudo

    ver detalhes
  • Jair conta com Romero para surpreender Cruzeiro fora de casa; time viaja à noite

    Jair preserva titulares, e Corinthians não tem treino tático antes de pegar Cruzeiro

    ver detalhes
  • Livre de incômodo, Douglas deve ser novidade no time titular do Corinthians

    Com retorno de volante, Corinthians relaciona 22 para viagem a Belo Horizonte

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes