Corinthians tenta reaver R$ 9 milhões gastos em seis anos com policiamento

Corinthians tenta reaver R$ 9 milhões gastos em seis anos com policiamento

Por Meu Timão

3.0 mil visualizações 30 comentários Comunicar erro

Corinthians não paga taxa de policiamento desde novembro de 2017

Corinthians não paga taxa de policiamento desde novembro de 2017

Foto: Reprodução/PFC

O Corinthians trava uma "batalha milionária" na Justiça para reaver o dinheiro que gastou entre 2012 e 2017 com taxa de policiamento em seus jogos como mandante. De acordo com reportagem publicada nesta terça-feira pelo portal Uol, o clube pede cerca de R$ 9 milhões.

No entendimento do advogado Wagner Ripper, que defende o Corinthians na ação, o pagamento feito pelo Governo do Estado de São Paulo ao Timão acontecerá por precatório (anos depois do término do processo) caso, é claro, o clube ganhe a disputa na Justiça.

Leia também:
Corinthians nega ter recebido R$ 10 milhões de adiantamento da TV Globo
Diretor do Corinthians confirma patrocínio máster próximo de ser anunciado

No último mês de dezembro, o Meu Timão havia publicado reportagem mostrando que o Corinthians entrou na Justiça para reaver a grana gasta com policiamento nos jogos da Arena. Na ocasião, o montante solicitado pelo clube era de R$ 848.075,85.

Em novembro também de 2017, o Corinthians conseguiu na Justiça o direito de não pagar mais taxa pelo policiamento em seus jogos como mandante. Desde então, o clube economiza algo em torno de R$ 50 mil a R$ 70 mil por jogo em termos de arrecadação.

A batalha do Corinthians contra as taxas de policiamento tem precedente: ao menos sete clubes entraram na Justiça pelo mesmo motivo antes do Timão e obtiveram parecer favorável. Foram eles: Palmeiras, Red Bull, Comercial, Ponte Preta, Botafogo, XV de Piracicaba e Inter de Limeira.

O argumento dos clubes é de que a segurança no futebol não pode ser cobrada porque se trata de policiamento para multidões, como ocorre em protestos ou show de música. O montante arrecadado pela PM em jogos de futebol, aliás, nem era destinado às corporações ou melhoria das condições de trabalho dos policiais, mas sim ao Tesouro Estadual.

Veja mais em: Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Jair conversa com Loss (esq.) e Fabinho durante treino no CT

    Jair Ventura nega interferência em intercâmbio de Loss

    ver detalhes
  • Atleta do Internacional, Nico López pode encarar Corinthians no fim de semana

    1 em 13: marca corinthiana na Arena é citada por atacante do Internacional

    ver detalhes
  • 20 mil ingressos já foram vendidos para Corinthians e Internacional

    Corinthians divulga 20 mil ingressos vendidos para duelo contra Internacional

    ver detalhes
  • Zagueiro Chicão em 2013, durante ação do Corinthians voltada ao Valentine's Day

    Ex-zagueiro Chicão faz visita ao CT do Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes