Dívida de R$ 500 milhões e novo prejuízo com o clube social: Corinthians divulga números de julho

Dívida de R$ 500 milhões e novo prejuízo com o clube social: Corinthians divulga números de julho

51 mil visualizações 492 comentários Comunicar erro

Andrés Sanchez reassumiu presidência do Corinthians em fevereiro de 2018

Andrés Sanchez reassumiu presidência do Corinthians em fevereiro de 2018

Larissa Lima/Meu Timão

O endividamento total do Corinthians saltou de R$ 448,4 milhões para R$ 500,1 milhões em apenas sete meses. É o que mostra balancete divulgado pelo clube nesta terça-feira. O valor se refere à dívida total do Timão – sem levar em conta o débito pela Arena Corinthians, na casa de R$ 1,2 bilhão.

O Corinthians havia fechado 2017 com endividamento de R$ 448,4 milhões. Agora, mesmo depois do desmanche que atingiu o elenco no meio da temporada, a conta subiu em torno de R$ 52 milhões.

"Essa diferença é devido à aquisição de jogadores, que é aumento de nosso patrimônio. O déficit do ano (de R$ 14,6 milhões para R$ 17,4 milhões) segue controlado. Não devemos salários, impostos e nem Profut. Vale ressaltar que temos ainda a receber partes de algumas vendas, mas não consigo precisar de quem porque não estou aqui com os dados em mãos", explicou o diretor financeiro do Corinthians, Matias Ávila, em rápido contato com o Meu Timão.

O endividamento do Timão

O endividamento do Timão

Reprodução/Site oficial do Corinthians

Por outro lado, o departamento de futebol fechou julho no azul: R$ 3,7 milhões. O clube já recebeu R$ 111 milhões com direitos de transmissão e R$ 106 milhões com repasses de direitos federativos (venda de atletas). Não é possível saber se as negociações de Balbuena e Rodriguinho já foram computadas.

Um dado que chama atenção é o montante faturado pelo Corinthians com patrocínio: somente R$ 20 milhões. A equipe paulista não possui parceiro máster fixo desde abril de 2017, quando o contrato com a Caixa Econômica Federal chegou ao fim. No último mês, conforme o Meu Timão antecipou, as partes se reaproximaram em direção a um novo acordo.

Se o futebol registrou “lucro”, o clube social segue dando prejuízo. Segundo o balanço patrimonial mais recente, o déficit do Parque São Jorge ultrapassou os R$ 21 milhões, ajudando a explicar o déficit do exercício: R$ 17,3 milhões.

De janeiro a junho de 2018, cabe lembrar, o clube havia registrado débito de R$ 14,6 milhões. Houve, portanto, crescimento de R$ 2,7 milhões no “vermelho”.

Para conferir os documentos referentes a julho, clique aqui.

Outros dados

  • Premiações/Fiel Torcedor: R$ 10,2 milhões
  • Custos com vendas e aquisições de jogadores: R$ 46,9 milhões
  • “Pessoal” (a princípio, salários): R$ 106 milhões
  • Receita líquida do futebol: R$ 270 milhões

Veja também: as relações do Corinthians que ninguém entende

Veja mais em: Andrés Sanchez, Presidentes, Parque São Jorge e Diretoria do Corinthians.

Veja Mais:

  • Na segunda partida da temporada, Corinthians de Carille já conheceu o sabor da derrota

    Corinthians marca no início, mas leva virada e sofre primeira derrota no Campeonato Paulista

    ver detalhes
  • Gustagol sobe de cabeça contra zaga do Guarani; camisa 19 é ponto alto do Timão

    Gustagol é eleito craque, e trio de defensores decepciona na primeira derrota do Corinthians em 2019

    ver detalhes
  • Argentino Mauro Boselli já treina com bola e pode estrear no fim de semana

    Carille é cauteloso, mas não descarta estreia de Boselli contra Ponte Preta

    ver detalhes
  • Arana voltou a atuar pelo Sevilla, mas segue na mira do Corinthians

    Duílio garante que rumo das negociações não mudam após Arana voltar a atuar pelo Sevilla

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes