Corinthians segura pressão do Flamengo no Maracanã e decidirá vaga na Arena

Corinthians Corinthians 0 x 0 Flamengo Flamengo

Copa do Brasil 2018

Corinthians segura pressão do Flamengo no Maracanã e decidirá vaga na Arena

45 mil visualizações 799 comentários Comunicar erro

Timão está a uma vitória simples de disputar final da Copa do Brasil

Timão está a uma vitória simples de disputar final da Copa do Brasil

Reprodução/TV Globo

As prévias da partida já informavam aquele torcedor mais desavisado: o Corinthians iria ao Maracanã disposto a arrancar um empate do Flamengo. Melhor ainda se não levasse gols na semifinal de ida da Copa do Brasil. E foi assim que tudo aconteceu... O Timão de Jair Ventura ficou no 0 a 0 com a equipe de Maurício Barbieri na noite desta quarta-feira.

É possível dizer que o Corinthians “soube sofrer” em solo carioca. Apesar de ter desperdiçado oportunidades de ouro no primeiro tempo, com Clayson e Douglas, viu o Flamengo se impor no período complementar e o goleiro Cássio trabalhar para evitar que os paulistas retornassem para casa com a derrota na bagagem.

Agora é em casa!

Corinthians e Flamengo voltam a se enfrentar daqui 15 dias, em 26 de setembro, na Arena, em Itaquera. Não há gol qualificado na Copa do Brasil. Assim, para ir à finalíssima do torneio nacional, o Timão terá de vencer por qualquer placar. Qualquer empate leva a decisão para os pênaltis.

Os times

Para a primeira semifinal, Jair Ventura abriu mão de Pedrinho, antes considerado titular. Também não contou com o centroavante Roger, impedido de atuar por já ter defendido o Internacional na atual edição do torneio. O volante Gabriel e o atacante Clayson, além de Fagner, recuperado às pressas, eram as novidades.

No esquema 4-5-1, o Corinthians começou o Clássico das Multidões com a seguinte escalação: Cássio (capitão); Fagner, Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Gabriel, Douglas e Jadson; Clayson e Romero.

Escalação Corinthians x Flamengo

Meu Timão

Do outro lado, o Flamengo de Maurício Barbieri era formado por: Diego Alves; Rodinei, Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar, Paquetá, Diego, Everton Ribeiro e Vitinho; Uribe. Destaque para Cuéllar e Paquetá, que haviam defendido suas respectivas seleções na terça à noite e foram a campo diante do Timão.

O jogo

Congestionar o meio de campo. A estratégia traçada por Jair Ventura para o primeiro tempo no Maracanã passava por uma estrutura defensiva sólida, com três volantes de marcação ajudados pelos pontas.

O Corinthians começou o confronto no esquema 4-5-1. E o “1” não era um centroavante, mas sim Jadson, o camisa 10 da equipe. Em outras palavras: o Timão primeiro se defenderia no Maracanã para então cogitar atacar, como havia sido no Dérbi passado, no qual acabou derrotado pelo placar de 1 a 0.

Não se engane, corinthiano. O fato de Jair ter escalado três homens de marcação no meio não significa que o Corinthians abdicou de atacar no Rio de Janeiro. Pelo contrário: a equipe paulista perdeu duas excelentes oportunidades em sequência, uma com Clayson (que acertou a parte de fora da rede), outra com Douglas (bateu cruzado e longe do gol).

Clayson desperdiçou grande chance de gol na etapa inicial

Clayson desperdiçou grande chance de gol na etapa inicial

Reprodução/TV Globo

Jogando em casa e com mais torcedores nas arquibancadas a seu favor, o Flamengo tentou se impor na parte final da primeira etapa, sobretudo com Everton Ribeiro, que dava trabalho a Danilo Avelar pelo lado direito do ataque.

Em uma das descidas por ali, o meia flamenguista cortou para o meio e bateu de canhota, levando bastante perigo à meta de Cássio. Irado, o camisa 12 corinthiano cobrou de Avelar que o lateral diminuísse os espaços de Everton. Fora isso, muita combatividade e disputas leais dos dois lados nos 45 minutos iniciais.

Cássio chama atenção de Avelar, que tinha trabalho para marcar Everton Ribeiro

Cássio chama atenção de Avelar, que tinha trabalho para marcar Everton Ribeiro

Reprodução/TV Globo

Se o Corinthians não abria mão de contra-atacar antes do intervalo, passou a facilmente se desfazer da posse de bola no segundo tempo. Jadson, o corinthiano mais à frente, era praticamente nulo na marcação e pouco agredia os defensores do Flamengo.

Em contrapartida, a equipe carioca tinha bastante dificuldade para criar chances claras de gol – tanto é que Cássio pouco havia trabalhado no embate àquela altura. Méritos do sistema montado por Jair e dos jogadores alvinegros. Méritos, também, da dupla de defesa formada por Léo Santos e Henrique, impecável nas bolas aéreas e também rasteiras.

Ao notar que o meio-campo do Timão batia cabeça na parte ofensiva, Jair chamou Mateus Vital. A alternativa era colocar o jovem armador ao lado de Jadson, sobrecarregado na criação.

Pouco depois, Paulo Roberto e Ángelo Araos ganharam chance nos respectivos lugares de Fagner e Gabriel, ambos desgastados fisicamente.

No melhor “estilo Corinthians”, a equipe de Jair Ventura foi valente, soube segurar a pressão dos donos da casa e “vencer” por 0 a 0 – sim, vencer! O empate sem gols no Maracanã mantém o guerreiro Timão vivo na Copa do Brasil. Uma vitória qualquer coloca o esquadrão alvinegro na finalíssima nacional.

Alguém ousa duvidar de Jair e seus comandados?

Veja mais em: Crônica e Copa do Brasil.

Quem Atuou

Títulares

Reservas

Técnico

Árbitro

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes