Corinthians mira alto em direitos de TV, mas especialista alerta para risco a partir de 2019

Corinthians mira alto em direitos de TV, mas especialista alerta para risco a partir de 2019

25 mil visualizações 111 comentários Comunicar erro

Diretoria do Corinthians fez projeção otimista de receita com direitos de TV para 2019

Diretoria do Corinthians fez projeção otimista de receita com direitos de TV para 2019

Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Entre otimismo e pessimismo, as projeções de ganho com direitos de televisão para o Corinthians a partir de 2019 estão um tanto quanto dessintonizadas. A questão central para a próxima temporada gira em torno da nova divisão de cotas entre os clubes do Brasileirão.

De acordo com a previsão orçamentária do ano que vem, obtida com exclusividade pelo Meu Timão e que já circula no Parque São Jorge às vésperas da votação em reunião do Conselho Deliberativo, o Corinthians espera receber R$ 240 milhões em 2019 com direitos de TV. A projeção é 47% maior do que o ciclo de planejamento de 2017 previa para 2018 (R$ 163,5 milhões) e 21% maior do que o atual exercício especula faturar (R$ 197,7 milhões) segundo o orçamento ajustado*.

* Projeção baseada nos balancetes já publicados, de janeiro a setembro, especulando os valores dos documentos restantes para a atual temporada

A projeção da diretoria corinthiana leva em consideração o mínimo de o Timão avançar até as oitavas de final tanto da Copa do Brasil quanto da Copa Sul-Americana, bem como encerrar a próxima edição do Campeonato Brasileiro na sétima posição.

Leia também: Reunião do Corinthians para votar orçamento de 2019 tem data remarcada e gera atrito

Cabe ressaltar que a previsão orçamentária de 2019 ainda não foi aprovada. O documento passará por votação em reunião do Conselho Deliberativo no próximo dia 11, na sede social.

Ainda assim, já é possível dizer que a projeção da diretoria corinthiana vai de encontro à opinião de especialistas no assunto. Ainda que alguns tenham enaltecido a possibilidade de ganho máximo em caso de título do Brasileirão, o entendimento mais realista é de redução nos ganhos oriundos de Campeonato Brasileiro para clubes como Corinthians e Flamengo.

"Visão pessimista para Corinthians e Flamengo. Se não for (campeão), é menor (a nova receita em relação ao modelo antigo de divisão de cotas). Antes não... Corinthians e Flamengo era sempre o valor fixo máximo", explicou Carlos Aragaki, sócio responsável pela área de consultoria esportiva da BDO, em contato com o Meu Timão.

Até a atual temporada, a grana oriunda da televisão é dividida pelos clubes conforme determinado em contratos individuais entre a TV Globo e as próprias agremiações. É praxe Corinthians e Flamengo receberem um valor maior (R$ 180 milhões cada em 2018) seguidos de Palmeiras e São Paulo. Na sequência aparece o Vasco. E novamente empatados: Atlético-MG, Cruzeiro, Grêmio e Internacional.

A partir do ano que vem, haverá três diferentes fatias do montante total: uma fixa e dividida igualitariamente, outra dividida conforme o número de jogos transmitidos e ainda uma terceira relacionada diretamente à classificação final do campeonato.

No que diz respeito ao Corinthians, há o alerta para a modesta 13ª posição obtida na classificação do Campeonato Brasileiro de 2018, que renderia em 2019 fatias magras de número de jogos transmitidos e também da própria posição do clube na tabela final. Aragaki foi além e destacou a permanência do Timão na Série A para a próxima temporada.

"No caso do Corinthians, ainda bem que não caiu para a Série B. O contrato antigo da Globo aponta que o clube que cai para a Série B, no primeiro ano de Série B, recebe o mesmo percentual que recebia na A. Recebia R$ 100 milhões? Recebe R$ 100 milhões e dá para montar um time bom para ganhar a Série B. A partir deste ano, o contrato de Série B é R$ 6 milhões", argumentou o consultor esportivo.

A nova divisão de cotas de TV do Brasileirão

40% em cota igualitária
R$ 440 milhões divididos de forma idêntica entre os 20 clubes (R$ 22 milhões para cada um).

Pagamento parcelado entre janeiro e junho (75% do montante) e depois entre julho e dezembro (25% restantes).

30% em cota de audiência
R$ 330 milhões divididos a partir do número de jogos exibidos na televisão. TV Globo costuma transmitir três jogos simultâneos por rodada, sendo dois deles para para São Paulo e Rio de Janeiro.

Pagamento parcelado entre maio e dezembro.

30% do bolo
R$ 330 milhões divididos proporcionalmente conforme a colocação dos clubes ao término do Brasileirão.

Pagamento à vista em dezembro.

Veja mais em: Transmissão de jogos, Diretoria do Corinthians, Parque São Jorge, Campeonato Brasileiro e Especiais do Meu Timão.

Veja Mais:

  • Resta apenas o acerto dos jogadores com seus novos clubes para selar o negócio

    Corinthians e Atlético-MG se acertam por troca de atacantes; jogadores aceitam conversar

    ver detalhes
  • Uendel pode acertar retorno para o Corinthians em breve

    Empresário confirma que Corinthians deve acertar retorno de Uendel em janeiro

    ver detalhes
  • Ramiro assinou com o Corinthians nesta quinta-feira e é o quinto reforço para 2019

    Novo reforço do Corinthians, Ramiro se aproxima de Jadson e Luan em estatísticas do Brasileirão

    ver detalhes
  • Corinthians jogou boa parte da temporada sem estampa no espaço principal do uniforme

    Otimismo do Corinthians com patrocínio contrasta com fracasso inédito desde era Kalunga

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes