Ao Meu Timão, Barroca explica tendência no Corinthians Sub-20 e lista maiores rivais pré-Copinha

Ao Meu Timão, Barroca explica tendência no Corinthians Sub-20 e lista maiores rivais pré-Copinha

6.6 mil visualizações 57 comentários Comunicar erro

Eduardo Barroca está no Sub-20 do Corinthians há sete meses

Eduardo Barroca está no Sub-20 do Corinthians há sete meses

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

"Lucas, desculpa, mas tem como fazermos a entrevista depois? Eu estou entrando no Uber correndo pra chegar a tempo de assistir Flamengo x Cruzeiro".

"Claro, sem problema".

Passadas poucas horas do primeiro jogo (e da primeira vitória!) do Corinthians na Copa Internacional RS Sub-20 de 2018, o técnico Eduardo Barroca, da principal categoria de base do clube, tentava conversar com a reportagem do Meu Timão, por telefone, sobre o triunfo de pouco mais cedo contra o Fluminense e a importância do torneio para o Timãozinho.

Após breve checagem do avoado repórter na tabela do Brasileirão, ficou evidente que Eduardo Barroca não estava indo para um bar, restaurante ou qualquer outro lugar curtir um jogo de futebol de duas das principais potências atuais do país. A ficha demorou um pouquinho para cair. O treinador do Sub-20 do Corinthians estava mesmo era correndo de Alvorada (região metropolitana de Porto Alegre) para a capital gaúcha, onde acompanharia de perto dois possíveis adversários, também da base, num outro jogo da Copa RS.

"Essa competição aqui, como são muitos jogos no mesmo local, além de você poder observar o adversário, é uma oportunidade de você ver outras equipes e jogadores jogando. E você ter uma referência. Eu me preocupo muito com ter as melhores referências para trazer para a minha equipe. Quanto mais jogos de alto nível eu ver, melhores referências terei", disse, agora sim em entrevista concedida ao Meu Timão, na manhã deste domingo.

"Acho inclusive que os maiores ganhos de estar participando de uma Seleção Brasileira é aumentar a referência. Jogamos contra seleções uruguaia, argentina, sul-americanas, europeias... Tua referência aumenta muito. E possibilita cobrar as melhores referências dos jogadores com quem estou trabalhando", acrescentou, se referindo às constantes convocações como auxiliar-técnico do treinador Carlos Amadeu na Seleção Sub-20.

O início (e a tendência) do Corinthians

Além de vencer (e convencer) em seu jogo de estreia na Copa RS de 2018, o Corinthians mostrou aquilo que Barroca define como uma tendência de sua equipe: mais que um time, um elenco. Tiveram participação direta nos quatro gols alvinegros ao menos três jogadores que iniciaram como titular e outros três que entraram em campo no decorrer da partida.

Dos que iniciaram a partida...

  • Janderson fez um gol e deu uma assistência
  • Fabrício Oya fez um gol
  • Lucas Piton deu uma assistência

Dos que saíram do banco de reservas...

  • João Celeri fez um gol e puxou o contra-ataque para outro
  • Roni fez um gol
  • Rafinha deu uma assistência

"Tenho cobrado muito a participação efetiva de todos. Ontem (sábado) o pessoal que entrou, num momento extremamente difícil do jogo, entrou e decidiu. Isso mostra aquilo que a gente quer: um grupo homogêneo, em que a gente pode tirar um e colocar outro, ou escolher qualquer um deles para jogar mantendo o mesmo nível", explicou o comandante.

"Se a gente tem dois jogadores no mesmo nível, num momento em que a partida já está se desenhando para o segundo tempo com o adversário cansado, a tendência é o jogador entrar e conseguir decidir. É em cima disso que trabalho com eles. Fiquei satisfeito nesse sentido com o jogo", completou, se referindo à arrancada corinthiana no segundo tempo.

Especificamente sobre o embate entre Corinthians e Fluminense, Barroca destacou a tradição da equipe carioca e consequentemente valorizou a atuação alvinegra frente ao rival.

"Acho que a gente fez o gol cedo, numa jogada ensaiada de lateral. Depois tomamos o gol em desatenção numa jogada que já havíamos trabalhado na preleção mas não conseguimos neutralizar. Foi um jogo que o Corinthians controlou praticamente os 90 minutos e o Fluminense tentando trabalhar com agressividade, nos contra-ataques. Mas de forma geral controlamos bem o jogo. Na terceira vez que colocamos vantagem, o controle foi total do Corinthians. Tivemos até chance de fazer mais gols", analisou o treinador corinthiano.

"Fiquei feliz porque o Fluminense é uma equipe que chega forte sempre. Foi à final do Campeonato Carioca, do OPG (Torneio Octávio Pinto Guimarães). O Léo (Percovich) é um cara que respeito pra caramba, treina muito bem a equipe. E nesse tipo de competição de tiro curto além de você somar três pontos, você impede que um adversário direto some pontos."

Importância da Copa RS Sub-20

A atual edição conta com forças formadoras do futebol brasileiro como o próprio Corinthians, Internacional, Fluminense, Flamengo, Vasco, Santos e São Paulo. A equipe tricolor paulista é atual tricampeã. Há ainda equipes de outros países da América Latina: os argentinos Racing, Independiente e River Plate, os uruguaios Nacional, Peñarol e Defensor e o mexicano Toluca.

"Tecnicamente, em nível de adversário, é uma das competições mais fortes do país. Você tem ali as 12 principais equipes do país além do Juventude que entrou no lugar do Boca Juniors. E sete equipes do exterior", discorreu Barroca.

"O que pesa contra é que você joga num período muito curto de recuperação. Quando chegar nos momentos decisivos, a gente não terá os atletas em sua plenitude. É uma forma de testar os jogadores em um nível alto", ponderou.

"Hoje no Sub-20 os principais adversário do Corinthians: São Paulo, Palmeiras, Flamengo e Vasco. São as equipes que hoje têm o Sub-20 muito forte, num nível muito alto. Especificamente São Paulo, Palmeiras e Flamengo têm nível de investimento muito alto, sequência de trabalho a médio e longo prazo, estrutura e captação de jogadores muito agressivas", alertou Barroca.

No grupo do Corinthians, estão: Internacional, Fluminense, Juventude e Defensor. Após bater os cariocas, o Timão agora encara uruguaios (dia 3) e gaúchos alviverde (7) e colorado (9).

"A gente sabia da dificuldade que era jogar contra o Fluminense. E sabemos da dificuldade que é jogar contra o Defensor, o mais tradicional em base no Uruguai, com sete jogadores na seleção uruguaia de base. E eles folgaram na primeira rodada, então com certeza estarão mais descansados do que a gente. Mas esperamos vencer esse segundo jogo para já botar uma vantagem grande logo no ponto de partida da competição", finalizou.

O restante da entrevista com Eduardo Barroca você acompanha aqui no Meu Timão nos próximos dias.

Saudações Corinthianas repercutiu integração silenciosa de dois atletas do Sub-20

Veja mais em: Corinthians Sub-20, Base do Corinthians e Especiais do Meu Timão.

Veja Mais:

  • Desejado pelo Atlético-MG, Clayson quer ficar e retomar alto nível no Timão em 2019

    Clayson freia saída e faz Atlético-MG analisar outros corinthianos; acordo por Luan é mantido

    ver detalhes
  • Mantuan será jogador da Ponte Preta em 2019

    Corinthians empresta volante Guilherme Mantuan à Ponte Preta

    ver detalhes
  • Sornoza será jogador do Corinthians em 2019, salvo improvável problema médico

    Sornoza agenda exames e deve assinar com Corinthians nesta quarta

    ver detalhes
  • Marciel está fora dos planos da comissão técnica do Corinthians para 2019

    Sem aval de Carille, Marciel não retorna ao Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes