Corinthians e Caixa encaminham acordo temporário por parcela reduzida da Arena

Corinthians e Caixa encaminham acordo temporário por parcela reduzida da Arena

Por Vinícius Souza e Lucas Faraldo

44 mil visualizações 296 comentários Comunicar erro

Timão deve ganhar 'fôlego' da Caixa para pagar Arena na virada de 2018 para 2019

Timão deve ganhar 'fôlego' da Caixa para pagar Arena na virada de 2018 para 2019

Divulgação/Corinthians

Corinthians e Caixa Econômica Federal estão próximos de firmar acordo pela redução temporária das parcelas do financiamento referente à construção da Arena. O clube deve obter autorização para pagar, em dezembro e janeiro, somente R$ 2 milhões mensais ao banco estatal, e não os habituais R$ 5,9 milhões, valor definido em contrato.

A redução provisória, de 66%, abrange justamente o período de férias do calendário do futebol brasileiro. O Corinthians se despediu da Arena em 2018 no último dia 25 de novembro (empate sem gols com a Chapecoense) e só voltará a utilizar o estádio em 20 de janeiro, diante do São Caetano, em sua estreia no Campeonato Paulista 2019.

Grosso modo, o acordo, se concretizado, trará alívio de cerca de R$ 8 milhões. Evitará, também, que o Timão precise retirar dinheiro de outros locais para seguir à risca o pagamento do financiamento de R$ 400 milhões. No passado, por exemplo, o clube se viu obrigado a realocar determinado valor do Fiel Torcedor, programa de fidelização alvinegro, para evitar o atraso das parcelas.

O Timão começou a quitar a dívida de R$ 400 milhões em julho de 2015, pouco mais de um ano após a inauguração da Arena. A fim de reduzir a parcela, a diretoria corinthiana interrompeu o pagamento em meados de 2016 e só o retomou em abril deste ano, mais precisamente no dia 13, quando depositou R$ 5,960 milhões à Caixa.

Leia também:
Corinthians promete corte de gastos, e nova prestadora de serviços assume Arena em dezembro
Auditoria é ampliada para 'superinvestigação' de receitas da Arena Corinthians

Ainda segundo apurou o Meu Timão, o Corinthians está perto também de selar acordo por maior "soberania" sobre as contas do estádio. Tal mudança lhe permitiria voltar a lucrar com bilheteria, o que não acontece, em tese, desde o início da era Arena – todas as rendas ligadas a ela devem, por força contratual, ficar com o fundo imobiliário responsável pela administração do empreendimento.

Em entrevista coletiva concedida em fevereiro, logo após ser reeleito presidente do Corinthians, Andrés Sanchez atualizou a dívida do clube pela Arena: algo próximo de R$ 1,17 bilhão, dos quais R$ 400 milhões se devem ao empréstimo intermediado pela Caixa junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Veja também: as promessas jamais cumpridas por Andrés

Veja mais em: Arena Corinthians, Diretoria do Corinthians e Especiais do Meu Timão.

Veja Mais:

  • Resta apenas o acerto dos jogadores com seus novos clubes para selar o negócio

    Corinthians e Atlético-MG se acertam por troca de atacantes; jogadores aceitam conversar

    ver detalhes
  • Uendel pode acertar retorno para o Corinthians em breve

    Empresário confirma que Corinthians deve acertar retorno de Uendel em janeiro

    ver detalhes
  • Ramiro assinou com o Corinthians nesta quinta-feira e é o quinto reforço para 2019

    Novo reforço do Corinthians, Ramiro se aproxima de Jadson e Luan em estatísticas do Brasileirão

    ver detalhes
  • Corinthians jogou boa parte da temporada sem estampa no espaço principal do uniforme

    Otimismo do Corinthians com patrocínio contrasta com fracasso inédito desde era Kalunga

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes