Sete reforços do Corinthians custaram um terço de Arrascaeta e menos que Pablo; saiba valores

Sete reforços do Corinthians custaram um terço de Arrascaeta e menos que Pablo; saiba valores

48 mil visualizações 345 comentários Comunicar erro

Corinthians gastou pouco mais de R$ 20 milhões em seus sete reforços

Corinthians gastou pouco mais de R$ 20 milhões em seus sete reforços

Montagem MT/Divulgação

O Corinthians gastou cerca de R$ 21 milhões com direitos econômicos para trazer os sete jogadores que ajudarão Fábio Carille em 2019: Michel Macedo, Richard, Ramiro, Sornoza, Gustavo Mosquito, André Luis e Boselli, que já treinam no CT Joaquim Grava.

Um valor que pode ser considerado baixo em relação às operações financeiras de outros clubes brasileiros, como São Paulo, que gastou R$ 26 milhões apenas com Pablo, Palmeiras, que desembolsou R$ 20 milhões para ter Carlos Eduardo, e cerca de um terço do que o Flamengo gastou para tirar Arrascaeta do Cruzeiro (R$ 63 milhões).

Quatro deles foram contratados sem a necessidade de pagar nada pela rescisão de contrato, já que estavam liberados de seus antigos clubes. São eles: Michel Macedo (Las Palmas-ESP), Gustavo Mosquito (Coritiba), Ramiro (Grêmio) e Boselli (León-MEX). O Timão teve de acertar apenas luvas e salários, como é praxe no futebol profissional.

Leia também:
Sem reforços, Carille repete Corinthians e indica escalação com Roger para amistoso
Corinthians recebe ofertas, mas Giovanni Augusto rechaça destinos e dificulta situação da diretoria
Sornoza é apresentado pelo Corinthians: 'Maior clube do Brasil'

Michel estava sem clube desde que acabou o contrato na Espanha. Mosquito estava livre após encerrar o vínculo com o Coritiba. Boselli e León chegaram a um acordo para a rescisão seis meses antes do fim. Ramiro, por sua vez, deixou o Grêmio por imposição do seu agente (Giulliano Bertolucci), que tinha dinheiro a receber do clube gaúcho.

De acordo com o presidente Andrés Sanchez, a operação com Ramiro é a seguinte: Corinthians não paga nada pelo jogador e não precisa liberá-lo em 2019 por nenhuma oferta por melhor que seja. A partir de janeiro de 2020, em caso de oferta de 3 milhões de euros, o clube banca o mesmo valor ao empresário e garante os 70% dos seus direitos ou libera sem ganhar nada.

Se pintar uma oferta acima, o clube dá os 3 milhões de euros ao agente e fica com a diferença. Exemplo: diante de uma oferta de 5 milhões de euros, o clube ficaria com 2 milhões e o restante iria para o empresário.

Em relação aos atletas que o Corinthians teve de pagar pelos direitos econômicos, as operações foram as seguintes: R$ 11 milhões por Sornoza (ex-Fluminense), R$ 8 milhões por Richard (ex-Fluminense) e cerca de R$ 2 milhões por André Luis (ex-Ponte Preta). O último, na verdade, rendeu dinheiro ao Cianorte, do interior do Paraná.

O Corinthians, vale destacar, ainda aguarda Vagner Love, mas de graça como os outros mencionados acima. Luan, do Atlético-MG, também interessa, mas o negócio esfriou justamente pelos valores pedidos pelo clube de Belo Horizonte.

Veja mais em: Ramiro, André Luis, Michel Macedo, Gustavo Silva, Mauro Boselli, Richard, Sornoza, Contratações do Corinthians, Diretoria do Corinthians e Mercado da bola.

Veja Mais:

  • Em noite abaixo tecnicamente, Timãozinho dá adeus à Copa São Paulo; Vasco fará final contra São Paulo

    Corinthians sucumbe nos pênaltis e cai na semifinal da Copinha 2019

    ver detalhes
  • Léo Santos está de volta ao time titular; Corinthians busca primeira vitória após volta de Carille

    Carille saca Marllon e define Corinthians para jogo contra Guarani

    ver detalhes
  • A saída de Romero do Corinthians | #113

    VÍDEO: A saída de Romero do Corinthians | #113

    ver detalhes
  • Gustagol estará outra vez no comando de ataque corinthiano; Carille leva 21 jogadores

    Sem Boselli e Manoel, Carille relaciona 21 jogadores para duelo com Guarani

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes