Jadson e Sornoza concorrentes? Não é bem assim. E Carille explica diferenças ao Meu Timão

Jadson e Sornoza concorrentes? Não é bem assim. E Carille explica diferenças ao Meu Timão

Por Lucas Faraldo e Rodrigo Vessoni, no CT Joaquim Grava

24 mil visualizações 188 comentários Comunicar erro

Carille acha que Sornoza e Jadson têm características diferentes

Carille acha que Sornoza e Jadson têm características diferentes

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Engana-se quem pensa que Jadson e Sornoza são, no cenário ideal projetado por Fábio Carille, concorrentes de posição no Corinthians de 2019. Em entrevista concedida ao Meu Timão, o treinador discorreu sobre as expectativas que tem para cada um dos dois meias, que, embora vistam números de titulares (camisas 10 e 7), passaram a não iniciar mais juntos as partidas a partir da segunda quinzena de fevereiro.

Leia também:
Ao Meu Timão, Carille analisa jogadores, novos cartolas e dificuldades com elenco do Corinthians
Ao Meu Timão, Carille diz por que Araos e Sergio Díaz serão liberados pelo Corinthians
Carille prepara um novo posicionamento para Pedrinho; treinador deu detalhes ao Meu Timão

Antes de entender o que Carille pensa sobre (e espera de) Jadson e Sornoza, convidamos você leitor a conferir alguns números de 2019 envolvendo a dupla de meias do Timão:

  • Carille começou a temporada testando a escalação de ambos juntos, num cenário visto em 75% dos jogos até a segunda quinzena de fevereiro);
  • A partir da segunda quinzena de fevereiro, só foram escalados juntos uma vez em 24 jogos (4%) - e numa situação de exceção, quando equipe mista enfrentou a Chapecoense (e perdeu) pela Copa do Brasil;
  • 20 minutos foi o período em que Jadson e Sornoza ficaram juntos em campo contra o Flamengo, na semana passada; e foi nesse intervalo de 20 minutos que saiu o gol do Flamengo - Sornoza foi substituído no lance seguinte por Júnior Urso;
  • São raras situações como a do último jogo (vitória sobre o Athletico), em que Jadson é titular e Sornoza é reserva: somente seis vezes em 33 jogos (18%) da equipe no ano;

Cabe recordar que Sornoza iniciou a temporada sendo escalado como meia aberto pelas pontas, numa posição similar à desempenhada por Clayson atualmente (mas com função diferente, afinal é meia e não atacante). Jadson, nesse contexto, era o armador centralizado.

A partir da estreia de Júnior Urso, na vitória sobre o São Paulo por 2 a 1 em 17 de fevereiro, o Corinthians já é escalado com uma nova proposta ofensiva, na qual Sornoza joga mais centralizado mas não tão avançado quanto Jadson jogava; o camisa 10 se tornou reserva ali.

Dito tudo isso, vamos às explicações de Fábio Carille:

"O Sornoza não joga de costas, por não saber e até mesmo pelo seu biotipo. O Jadson sabe jogar, movimentar perto do nove, de rodar e o Sornoza é um cara que vem de frente. Tanto que ele (Sornoza) faz a Libertadores pelo Deportivo del Valle jogando aberto pela direita com a mesma ideia do Pedrinho, assim como o Jadson em 2015. Por isso tentei no início trazer ele aberto pela esquerda, mas não deu certo. Eu não sei se não vai dar certo ou eu não tive tempo para fazer funcionar. Mas ele (Sornoza) não é esse meia de ficar, ele é de vir buscar a bola, construção, tem uma bola longa maravilhosa (exemplo: lançamento para gol de Vagner Love na final do Paulista) e a gente tem que movimentar melhor para que apareça esse talento dele. Mas ele vem buscar a bola no pé e acaba sendo mais um segundo (volante) do que um meia armador, que infiltra", discorreu o treinador, falando mais especificamente do equatoriano antes de concluir sobre Jadson:

"Eu acredito demais no Jadson. É um jogador que eu sei que a participação sem bola não é boa, mas se a bola chega e começar a distribuir o jogo ele pode ser muito importante para nós. Acho que a parada para a Copa América vai ser importante para tudo."

Desde que parou de escalar Sornoza como meia aberto pela esquerda, Carille só utilizou Jadson como titular: contra Ituano (time reserva), Ferroviária (intuito de manter pressão no campo de defesa do adversário), São Paulo (na ida das finais, quando Ramiro foi escalado, junto com os também volantes Ralf e Urso), Chapecoense (time reserva e Sornoza improvisado pelas pontas), Vasco e Athletico (perspectiva - não confirmada - de o Corinthians mais pressionar do que contra-atacar e Sornoza desgastado fisicamente).

O Corinthians enfrenta o Deportivo Lara, da Venezuela, na noite desta quinta-feira, na Arena, em Itaquera, pela segunda fase da Copa Sul-Americana. Carille fechou o treino da imprensa o treino da véspera da partida e não confirmou assim a escalação.

Veja mais em: Fábio Carille, Sornoza, Jadson e Escalação do Corinthians.

Veja Mais:

  • No final do seu contrato no Atlético de Madrid, Juanfran teve seu nome ligado ao Corinthians

    Corinthians tem nome ligado a lateral do Atlético de Madrid; diretoria nega

    ver detalhes
  • Matheus Jesus ainda não estreou pelo Corinthians

    Dupla recém-contratada pelo Corinthians já está adaptada? Preparador explica ao Meu Timão

    ver detalhes
  • [Sarah Tonon] Você aceitaria o Tite de volta ao comando do Corinthians AGORA?

    ver detalhes
  • Love e Sornoza são contratações que se deram bem no primeiro semestre; Boselli nem tanto

    Primeiro semestre do Corinthians: as situações dos 15 contratados (e vem mais por aí!)

    ver detalhes

Comente a notícia: