Atual situação, social, folha salarial, CT da base, Arena... diretor financeiro fala ao Meu Timão

Atual situação, social, folha salarial, CT da base, Arena... diretor financeiro fala ao Meu Timão

40 mil visualizações 218 comentários Comunicar erro

Matias Antonio Romano Ávila, diretor financeiro do Corinthians

Matias Antonio Romano Ávila, diretor financeiro do Corinthians

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Como está atual saúde financeira do Corinthians? O clube pode terminar o ano de 2019 no azul? A parte social e os esportes atrapalham as finanças? A meta estipulada para patrocínios no uniforme foi atingida com as dez empresas? Ter sido eliminado nas oitavas de final da Copa do Brasil mexeu no que estava previsto em termos de premiação? Quanto é a atual folha salarial? O CT da base consumiu e ainda consumirá muito dinheiro?

Leia também:
Quanto custa a equipe sub-23? Diretor financeiro responde ao Meu Timão
Taça do Mundial? Marmita? Diretor financeiro do Corinthians esmiúça imbróglios

Para responder todas essas perguntas e outros questionamentos do torcedor do Timão, a reportagem do Meu Timão conversou com Matias Antonio Romano Ávila, diretor financeiro do clube.

Durante cerca de 50 minutos em sua sala no Parque São Jorge, o responsável de uma das principais áreas do Corinthians não se furtou a responder tais questionamentos. Acompanhe abaixo a entrevista exclusiva de Matias Ávila.

Entrevista exclusiva

Finanças

Meu Timão: Como estão as finanças do Corinthians?

Matias Ávila: "Estamos num momento de transição, de uma fase gloriosa, com inúmeros títulos, para um outro momento, após duas mudanças grandes de elenco. Aqui 85% é futebol, mas o corinthiano tem essa ânsia de viver o clube. Ele pode não saber de outro esporte, mas ele vai lá, ele vai pelo escudo, pela marca. A nossa participação nos esportes amadores é importante para a marca e custa muito pouco. Não temos problemas com os outros esportes, como muita a gente acredita. Não temos problemas nem com o social, nem com outros esportes nem com o clube em si. O clube está bem administrado e satisfaz aqueles que elegem o presidente, mas não é só isso. Administramos para 14 mil associados, sendo 7 mil pagantes, e 40 milhões de torcedores. Tem de ter uma visão macro, porque o dinheiro entra pela marca que é o clube. A camisa está completa, que era o anseio. Se tivéssemos um máster o ano passado, teria fechado zerado.

A gente programou um orçamento zerado este ano. A grande arrecadação de TV entra no segundo semestre e precisamos vender um ou dois jogadores. Tá no orçamento: R$ 54 milhões necessários em venda de atletas. Se entrar, zerou. Tá ótimo. Precisa vender muito pouco, mas precisa. O nosso negócio é comprar, vender, ser competitivo e ganhar títulos. O Andrés é afinado com a gente. E é corajoso, hein! Colocar um teto (salarial), trabalhar um time de primeira linha e ser competitivo precisa ter coragem. A parte financeira do Corinthians é bem controlada.

Trouxemos 14 jogadores. Você bota a camisa do Corinthians no cara, ele não consegue jogar, que culpa tem o treinador? O presidente? Então, voltando, o Corinthians é o futebol, que é controlado. Estamos com salários em dia, com o Profut (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, que visa o pagamento de dívidas com o Governo de forma parcelada) em dia. Temos alguma coisa atrasada de direitos de imagem, imposto... mas financeiramente estamos preparados para terminar o ano de 2019 zerado".

Júnior Urso chegou, vestiu a camisa e náo precisou nem de adaptação

Júnior Urso chegou, vestiu a camisa e não precisou nem de adaptação

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Meu Timão: Pelo último balanço, divulgado na virada do ano, havia pendências com a compra de direitos econômicos. Dá para manter as obrigações mensais em dia e acertar essas pendências antigas ao mesmo tempo?

Matias Ávila: "O Corinthians, em algum momento, achou que era o clube mais rico do mundo. O Corinthians é o Corinthians, que não é o mais rico do mundo. Contratamos um monte de jogador que não conseguiu jogar. Isso é um jogo, você traz um cara que não joga? Que culpa tem o treinador? Que culpa tem o presidente? E tem cara que entra que parece ter dez anos de clube, como o Júnior Urso, o Romarinho ali atrás. Vez ou outra aparece algumas coisas antigas, que atrapalham. Mas é um clube de mais de cem anos, não tem jeito."

Meu Timão: Nos últimos dois anos, o ano fiscal fechou em déficit: R$ 38 milhões (2017) e R$ 17 milhões (2018), respectivamente. A provisão para 2019 é fechar, praticamente, zerado. Azul, mas um azul clarinho, algo em torno de R$ 600 mil. Será possível mesmo?

Matias Ávila: "Estamos caminhando para isso, precisamos cumprir algumas etapas. Acredito que o Andrés entregará o cargo no fim do ano que vem numa situação virtuosa, administrado, CT da base pronto, todas as negociações da Arena sendo feitas e o Corinthians competitivo, acho que será o cenário final."

Corinthians caiu nas oitavas de final da Copa do Brasil

Corinthians caiu nas oitavas de final da Copa do Brasil

Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians

Premiações e salários

Meu Timão: O clube, até agora, arrecadou R$ 19 milhões em premiações nas três competições (Paulistão, Copa do Brasil e Sul-Americana).

Matias Ávila: "Metade disso nem entrou ainda."

Meu Timão: Sim, devido às disputas que ainda não acabaram...

Matias Ávila: "Mas algumas coisas vão entrando. Outras no final."

Meu Timão: É um bom valor? Estava previsto? Ou será um plus?

Matias Ávila: "Prevíamos a Sul-Americana até o Racing Club (primeira fase). E Copa do Brasil prevíamos uma antes da fase que saímos (quarta fase, que antecedeu às oitavas diante do Flamengo). Foi bom. Mas não colocamos nada no orçamento. Ainda não entrou boa parte desses valores já garantidos."

Meu Timão: Quanto é a folha salarial do Corinthians hoje em dia?

Matias Ávila:"Nossa folha hoje é R$ 10,4 milhões, com uma queda prevista ainda no meio do ano para algo em torno de R$ 9,5 milhões."

Outros gastos

Meu Timão: Parte da torcida sempre diz que o social e os esportes amadores derrubam as finanças do clube. O que poderia dizer a essas pessoas?

Matias Ávila: "Gasta peanuts (amendoim em inglês), gasta nada. Lembro da conta do ano passado. Era assim: custou R$ 21 milhões, arrecadamos R$ 14 milhões. Para quem arrecada R$ 500 milhões, pagar R$ 7 milhões de esportes amadores numa temporada não é nada. Tem três clubes no mundo que tem futebol profissional, base, feminino, futsal, basquete, vôlei e natação: Barcelona, Real Madrid e o Corinthians. Ponto. Não temos que trabalhar isso? Quando fala que tem de acabar um deles eu fico p... da vida. Me chateia demais, não pode acabar. É se impor como marca."

Meu Timão: Na administração passada se alardeou um processo de diminuição de custo operacional e pessoal. Como anda esse processo?

Matias Ávila: "Continua. Corinthians tem um processo que faz parte do programa de governo do Andrés, que é assim: todos os contratos são registrados em compliance (conjunto de disciplinas a fim de cumprir e se fazer cumprir as normas legais e regulamentares), ou seja, não se paga nenhuma nota no clube que não esteja dentro do próprio contrato. A empresa do fornecedor tem de fazer parte do contrato. Não pode dar uma nota de um e o contrato é outro. Aqui não sai nada por fora. Tudo é computado dentro do balanço do clube. Todos os diretores são responsáveis pelas áreas, eu cobro eles. Quando passa eu encho o saco, fico no pé. Marketing, social, cultural, esportes terrestres, aquáticos, amadores, base, feminino e o futebol... todos são cobrados. Clube tem regras e transparências a serem cumpridas. Vou dar um exemplo: o Corinthians gastava 8 milhões de reais por ano em brindes, camisas que davam aos conselheiros, etc. Não dá mais nada para ninguém. Outra coisa: conselheiro tem direito a um ingresso e tem direito a comprar mais quatro ingressos. Ah, é final e quero 50. Não. Ah, é clássico contra o Palmeiras. Não tem mais do que o acordado e acabou. Regra se cumpre. Vale para todos os diretores e conselheiros. O Corinthians tem regras de direitos e compliance."

Uniforme de jogo do Corinthians tem dez patrocinadores, além da Nike

Uniforme de jogo do Corinthians tem dez patrocinadores, além da Nike

Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Marketing e patrocínios

Meu Timão: O marketing do Corinthians colocou dez patrocinadores no uniforme, além da Nike. Quanto está valendo a camisa?

Matias Ávila: "Não sei bem. O Caio (Campos, superintendente de marketing) pode falar melhor, mas acho que é R$ 54 milhões. Acho. Sem a Nike, só as marcas."

Meu Timão: Lembra quanto tinha colocado na provisão para arrecadar com o uniforme?

Matias Ávila: "Acho que foi R$ 44 milhões (de valor mínimo de patrocínio). Mas é um dinheiro que não entrou em sua totalidade, vai entrando todo mês. Lá no final do ano que podemos falar melhor disso."

Meu Timão: E o máster? Renderá o esperado? Quando divulgar o balanço de 2019, vai aparecer o valor de R$ 12 milhões? R$ 30 milhões?

Matias Ávila: "Pergunta para o Caio, mas tenho um número: antes de lançar o digital, tínhamos umas sete mil contas abertas nas agências do BMG. Pra você ver a força da marca. Depois que abriu o digital, acho que temos umas 14 mil contas. Ou mais. O Caio pode ajudar melhor. Vai dar um número bom. São dois anos. Pode ser melhor do que a gente imaginava. Estamos confiantes."

Em tempo: confira a entrevista exclusiva do Meu Timão com o líder do marketing do Corinthians, Caio Campos.

Primeiro e segundo semestre

Meu Timão: Todos os conselheiros que a gente conversa dizem a condição financeira será mais tranquila no segundo semestre. É verdade isso?

Matias Ávila: "Dinheiro de TV, que melhora no segundo semestre."

Meu Timão: Essa melhora pode render investimentos novos? Ou já está comprometida?

Matias Ávila: "Tudo está comprometido. A previsão é de R$ 240 milhões por ano (de televisão), a gente espera arrecadar mais."

Meu Timão: Precisou recorrer a bancos no primeiro semestre?

Matias Ávila: "Você tem isso com uma coisa normal, você precisa equalizar despesa e receita. A despesa é todo mês, a receita nem sempre. Muitas vezes falta alguma coisa, aí você precisa tomar empréstimo. Os custos financeiros do Corinthians é pra isso: equalizar despesa e receita. O ano passado economizamos R$ 4 milhões do orçado (em busca de empréstimos), este ano estamos um pouquinho acima dentro do orçado. Nós só temos relações com banco de primeira linha, além de uns bancos de investimento."

Mercado da bola e emprestados

Meu Timão: Os R$ 54 milhões necessários com a venda de jogador ainda não aconteceram. A tendência é que seja nesta janela...

Matias Ávila: "O ano passado vendemos mais no fim do ano, outubro, novembro. Mas a ideia é usar esse período para preparar o time de 2020, arrecadar mais com direitos de TV e patrocínio, que está indo bem."

Meu Timão: Voltando a falar dos profissionais, alguns clubes pagam mais de R$ 1 milhão de salário para alguns jogadores. Isso é inviável para o Corinthians?

Matias Ávila: "Nós não faremos isso. Torcedor pode desencanar que jamais faremos isso. Eventualmente pode trazer um jogador e ter de pagar pelos direitos dele, diluídos por mês, etc. Isso seria diferente. Mas de salário, não."

Meu Timão: Sobre a folha de R$ 10,4 mil, é possível diminuir o valor dessa folha ou um clube do tamanho do Corinthians é impossível pensar nisso?

Matias Ávila: "Para ser competitivo, na minha opinião, o Corinthians precisa ter uma folha de R$ 10 milhões. Eu já cheguei a falar isso para o Andrés, não vamos conseguir fazer sete, oito, nove. Temos de ter uma folha de dez mesmo. É comprar, vender, formar, fazer acontecer para manter uma folha assim."

Marlone está no Goiás junto com os também corinthianos Giovanni Augusto e Yago

Marlone está no Goiás junto com os também corinthianos Giovanni Augusto e Yago

Divulgação

Meu Timão: Boa parte dos 32 emprestados têm salário pago pelo Corinthians. Ou 100% ou alguma parte. Dá pra falar que esse é um grande problema do Corinthians e dos outros clubes grandes do Brasil?

Matias Ávila: "O grande problema da lei é que não se pode demitir. Tem de pagar e honrar até o fim do contrato."

CT da base e Arena Corinthians

Meu Timão: Sobre o CT da base, qual o valor que custará ao término da obra?

Matias Ávila: "Já gastamos R$ 12 milhões, acho que devemos gastar mais uns R$ 5 milhões. Isso está no orçamento. Será um espaço espetacular, ninguém terá um igual no Brasil. Será um centro para 150 jogadores da base, a partir dos 15 anos."

Arena Corinthians terá novidades nos próximos dias, impactando na vida do torcedor

Arena Corinthians terá novidades nos próximos dias, impactando na vida do torcedor

Bruno Teixeira/Ag. Corinthians

Meu Timão: A Arena Corinthians faz parte de outra contabilidade. Mas o que poderia falar sobre o estádio? O pagamento e o custo do mesmo...

Matias Ávila: "Tem um fundo composto por três empresas: Caixa, Corinthians e Odebrecht. Este fundo que construiu a Arena. A Caixa fez um empréstimo ao fundo e o fundo tem de pagar o empréstimo, de 600 milhões e pouco. O Corinthians já pagou R$ 150 milhões. E deve pouco mais de R$ 400 milhões. Pagamos R$ 6 milhões durante oito meses e R$ 2,5 milhões durante os outros quatro meses do ano. Isso é o empréstimo do fundo. Paralelamente a isso, o Corinthians precisou aumentar a Arena para fazer a abertura da Copa e quem fez essas obras foi a Odebrecht. O clube recebeu os CIDs da Prefeitura para pagar a Odebrecht. O valor da construção menos as obras não concluídas e menos os CIDs, dá uma dívida que é completamente pagável. Mas essa negociação tem três partes. O que temos de acertar é essa diferença a pagar. Dos 12 anos acordados inicialmente, pagamos os quatro primeiros. A Arena é uma dívida administrável. O Corinthians administra isso com a Caixa e a Odebrecht. Essa recuperação judicial da construtura acho que pode ajudar. Eles precisam de dinheiro e nós precisamos pagar."

Veja mais em: Diretoria do Corinthians, Parque São Jorge, Arena Corinthians e Base do Corinthians.

Veja Mais:

  • Araos voltou a ser relacionado pelo técnico Fábio Carille

    Corinthians encerra preparação e confirma relacionados para jogo contra o Flamengo com novidades

    ver detalhes
  • Corinthians de Carille perdeu duas vezes para o Flamengo nesta temporada

    Carille pode vencer Flamengo pela primeira vez neste domingo; veja retrospecto

    ver detalhes
  • Ralf é titular absoluto de Fábio Carille na temporada

    Lesão interrompe longa sequência de Ralf em campo pelo Corinthians

    ver detalhes
  • Corinthians e Goiás se enfrentam no próximo dia 7, às 19h15

    CBF divulga nova data e horário para duelo adiado entre Corinthians e Goiás pelo Brasileirão

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • Melhores comentários

    Foto do perfil de Gabryell

    Gabryell 30 comentários

    por @gabryell.lima

    Eu acredito nessa galera aí.
    Eu vi o que fizeram com o Corinthians, se o Ronaldo confia no Andrés é porque o cara sabe mexer os palitos.
    A Marca Corinthians cresceu muito mesmo, em todos os esporte se ver Corinthians. Isso é tão mAssa, você tem Corinthians em tudo.
    ParAbéns

  • Foto do perfil de Felipe

    Felipe 37 comentários

    por @felipe.king

    Legal as 14 mil contas... E legal vai ficar o CT da base hein...as imagens que eu vi são incríveis show de bola!

  • Últimos comentários

    Foto do perfil de Hugo

    Ranking: 10º

    Hugo 26909 comentários

    218º. por @domhugoleonardo

    Ahan

  • Foto do perfil de Ramon

    Ranking: 16º

    Ramon 22138 comentários

    217º. por @ramon.felipe1

    Eu queria abrir a caixa preta das finanças do Corinthians, deve ser uma farra sem fim pra certas pessoas.

  • Foto do perfil de rafael

    Ranking: 488º

    Rafael 1888 comentários

    216º. por @rafael.assakura

    Então mas por causa dessa metodologia de sucatear o nosso planejamento adm nos temos ai uma arena até então impagavel, fizeram uma projeção d que venderiam cids, naming rights, camarotes, cadeira cativa, teria uma media de publico de 35.000 por partida c um ticket medio estipulado em 120 reais. O que aconteceu?
    Divida astronomica.

    Foto do perfil de Johnny

    Johnny 588 comentários

    27/06/2019 às 19h02 por @johnny.barbosa3

    Sim, eu entendo, mas o clube, precisa ter as contas aprovadas, então, é necessário, mostrar dados mais próximos do que pretende fazer no ano, senão, está maquiando as informações e no fim, não vão aprovar.
    Mas eu entendi o seu raciocínio, mas no futebol, em nível vencedor, não vejo tão simples de realizar, até os maiores clubes do mundo, agem desta forma.

  • Foto do perfil de Johnny

    Ranking: 2062º

    Johnny 588 comentários

    215º. por @johnny.barbosa3

    Sim, eu entendo, mas o clube, precisa ter as contas aprovadas, então, é necessário, mostrar dados mais próximos do que pretende fazer no ano, senão, está maquiando as informações e no fim, não vão aprovar.
    Mas eu entendi o seu raciocínio, mas no futebol, em nível vencedor, não vejo tão simples de realizar, até os maiores clubes do mundo, agem desta forma.

    Foto do perfil de rafael

    rafael 1888 comentários

    27/06/2019 às 18h20 por @rafael.assakura

    Exatamente, projeções são intangiveis, não deveria ser cogitado como receita, na verdade vendas e premiações deveriam ser superavit p assim esse montante ser utilizado no ano seguinte, ai sim poderiamos projetar um gasto x com contratações ou aumento na folha salarial, poderiamos manter aqueles jogadores do elenco aumentando o salário + bonus ou comprariamos jogadores dentro do planejamento ordinario. Os cofres do clube seria saudavel e não essa bagunça d hoje. Também devemos avaliar que tds as vendas são variaveis, podemos vender um jogador titular e repor imediatamente a perda, imagino que esse tipo de procedimento seria o mais próximo do ideal.

  • Foto do perfil de rafael

    Ranking: 488º

    Rafael 1888 comentários

    214º. por @rafael.assakura

    Exatamente, projeções são intangiveis, não deveria ser cogitado como receita, na verdade vendas e premiações deveriam ser superavit p assim esse montante ser utilizado no ano seguinte, ai sim poderiamos projetar um gasto x com contratações ou aumento na folha salarial, poderiamos manter aqueles jogadores do elenco aumentando o salário + bonus ou comprariamos jogadores dentro do planejamento ordinario. Os cofres do clube seria saudavel e não essa bagunça d hoje. Também devemos avaliar que tds as vendas são variaveis, podemos vender um jogador titular e repor imediatamente a perda, imagino que esse tipo de procedimento seria o mais próximo do ideal.

    Foto do perfil de Johnny

    Johnny 588 comentários

    27/06/2019 às 16h48 por @johnny.barbosa3

    Não dá para um clube basear o seu orçamento somente no que é fixo, concreto. Os valores ficaram totalmente desproporcionais, por isso que o orçamento é uma projeção. Ex. O clube na linha premiação, colocou classificações conservadoras (1° fase da sulamericana, 4° fase da Copa do Brasil, etc) ou seja, não tem valores garantidos, o clube não tem produtos para vender e ter uma renda fixa, que fale, ao fim do ano, eu terei isso e gastarei isso e ponto. Por ter ativos em jogadores e a necessidade de fazer dinheiro/enxugar folha de pagamento e aquisições de novos ativos. É correto projetar vendas. Lembrando que projeções, não quer dizer que irá concretizar (volto ao exemplo da premiação, que já está maior que o previsto, como os 5 milhões do título do Paulista)

  • Foto do perfil de Rogério

    Ranking: 251º

    Rogério 3028 comentários

    213º. por @rogerio.vanadia

    Ok. Pensar em títulos não tem nada a ver com fazer um orçamento. Más...

    Foto do perfil de Cézar

    Cézar 3818 comentários

    26/06/2019 às 21h46 por @cezar.cebola

    Mano na moral dirigente de time grande tem que pensar em títulos e não em ser eliminado, então pra você tá bom a administração do Corinthians hoje, dirigente tem que fazer planejamento pra títulos é não pra eliminação

  • Foto do perfil de Johnny

    Ranking: 2062º

    Johnny 588 comentários

    212º. por @johnny.barbosa3

    Não dá para um clube basear o seu orçamento somente no que é fixo, concreto. Os valores ficaram totalmente desproporcionais, por isso que o orçamento é uma projeção. Ex. O clube na linha premiação, colocou classificações conservadoras (1° fase da sulamericana, 4° fase da Copa do Brasil, etc) ou seja, não tem valores garantidos, o clube não tem produtos para vender e ter uma renda fixa, que fale, ao fim do ano, eu terei isso e gastarei isso e ponto. Por ter ativos em jogadores e a necessidade de fazer dinheiro/enxugar folha de pagamento e aquisições de novos ativos. É correto projetar vendas. Lembrando que projeções, não quer dizer que irá concretizar (volto ao exemplo da premiação, que já está maior que o previsto, como os 5 milhões do título do Paulista)

    Foto do perfil de rafael

    rafael 1888 comentários

    27/06/2019 às 15h37 por @rafael.assakura

    Sou formado em propaganda e marketing, entendo um pouquinho de adm hehehehe, P mim adm baseia-se em kotler. Minha visão de adm é totalmente diferente da sua, P mim ordinario é ordinario e ponto final. Não existe "se". Projeção de receitas é intangivel logo não é ordinario, sem ideia.

  • Foto do perfil de rafael

    Ranking: 488º

    Rafael 1888 comentários

    211º. por @rafael.assakura

    Sou formado em propaganda e marketing, entendo um pouquinho de adm hehehehe, P mim adm baseia-se em kotler. Minha visão de adm é totalmente diferente da sua, P mim ordinario é ordinario e ponto final. Não existe "se". Projeção de receitas é intangivel logo não é ordinario, sem ideia.

    Foto do perfil de Johnny

    Johnny 588 comentários

    27/06/2019 às 11h09 por @johnny.barbosa3

    Você compra uma casa, com dinheiro em "caixa"?
    Empresas compram produtos, serviços, somente com dinheiro em caixa? Acho que você não tem muito conhecimento de economizar, contabilidade, administração.
    O orçamento é uma projeção de receitas e gastos.

  • Foto do perfil de Rafael

    Ranking: 299º

    Rafael 2713 comentários

    210º. por @rafael.guarda

    É uma das provas que a nossa lei trabalhista é retrógrada, enquadrar um profissional que ganha centenas de milhares de reais na mesma lei de quem ganha salário mínimo é f...

    Foto do perfil de rodrigo

    rodrigo 1 comentário

    26/06/2019 às 07h56 por @rodrigo.bass

    No caso é a lei trabalhista da década de 40, a CLT. Se você contrata por prazo determinado você se vincula ao jogador durante o tempo de contrato. Você só tem como rescindir se houver justa casa. Não havendo isso você pode até demitir, mas terá que pagar todos os salários devidos até o fim do contrato. A galera reclama que empresta jogador pagando salário, mas não tem outra alternativa. Ou você paga o cara jogando em outro clube para ter ortunidades dr dar a volta por cima ou ter visibilidade ou paga só pra treinar. Se o cara já foi contratado não tem outra alternativa. A não ser que o jogador aceite fazer a rescisão por conta própria em que ele opta por n receber p que deve até o fim do contrato

  • Foto do perfil de Fabio

    Ranking: 5569º

    Fabio 187 comentários

    209º. por @fabio10

    Na entrevista ele diz que o salário do sub 23 é irrisório...mas no UOL deu que os gastos com esse time inútil do sub 23 é de 4 milhões...ou seja isso ele não conta né..espera o que deste presidente se não desvia verba do clube né infelizmente