Zenon responde críticos da Democracia Corinthiana e ressalta importância de evento no PSJ

9.7 mil visualizações 44 comentários

Por Andrew Sousa e Vitor Chicarolli, no Parque São Jorge

Zenon foi um dos principais jogadores do Corinthians na década de 80

Zenon foi um dos principais jogadores do Corinthians na década de 80

Divulgação / Corinthians

A Democracia Corinthiana é um dos grandes marcos da história do Corinthians. Mesmo prestigiado, inclusive sendo homenageado em evento no Parque São Jorge nessa segunda-feira, há quem critique o movimento. Questionado sobre o tema durante a ação especial, o ex-jogador Zenon foi firme.

"Nós conseguimos realizar esse projeto porque tinha um grupo de jogadores fantásticos. Jogadores de mente aberta, com muita responsabilidade. Para você criar um projeto desse, tem que ser responsável, se não não anda. Tínhamos a liberdade que queríamos e a responsabilidade na hora do trabalho", disse ao Meu Timão, antes de rebater quem não aprova o período.

"Quem fala mal é porque tem mágoa ou ciúme. Muitos falam que era uma bagunça. Mas aí eu pergunto: como uma bagunça seria bicampeã paulista, disputaria duas semifinais de Brasileirão, disputaria um terceiro título em 1984? Um time bagunçado não chega em lugar nenhum, mas focado e com responsabilidade chega no objetivo", completou.

Leia também:
Corinthians acerta últimos detalhes para inauguração do CT da base; confira fotos
Montevideo Wanderers perde artilheiro e mais cinco jogadores para duelo com o Corinthians
Corinthians fecha parceria e emprestará jogadores do Sub-23 para time sergipano disputar estadual

Deixando os críticos de lado, o ídolo alvinegro fez questão de valorizar o gesto do Corinthians, intermediado por Walter Casagrande, no Parque São Jorge - ao lado de outros nomes do passado, o ex-meia recebeu uma camisa e um diploma.

"Eu acho muito importante o clube fazer isso com ex-jogador. Isso faz com que o atleta fique feliz. Só temos que parabenizar o Corinthians por esses festas. Fico muito grato com o clube", afirmou.

Além de Zenon, nomes como Zé Maria, Ataliba, Rivellino, Wladimir e o próprio Sócrates, representado pelo irmão, foram homenageados antes de almoço especial nas dependências do Corinthians.

Veja mais em: Ídolos do Corinthians, História do Corinthians, Parque São Jorge e Democracia Corinthiana.

Veja Mais:

  • Jemerson fará sua estreia pelo Corinthians diante do São Paulo, dia 13, na Neo Química Arena

    Comissão técnica do Corinthians quer Jemerson contra o São Paulo; veja situação do zagueiro

    ver detalhes
  • Yan posou no lançamento da nova camisa de basquete do Corinthians

    Corinthians lança novo uniforme de basquete e faz homenagem a ídolos neste sábado; veja fotos

    ver detalhes
  • Sub-23 do Corinthians disputa a segunda fase do Brasileirão de Aspirantes

    Sub-23 do Corinthians encara Red Bull Bragantino pelo Brasileirão de Aspirantes; saiba tudo

    ver detalhes
  • É assim que o estágio com Pep Guardiola mexeu com o Corinthians de Mancini

    VÍDEO: É assim que o estágio com Pep Guardiola mexeu com o Corinthians de Mancini

    ver detalhes
  • Processo foi aberto contra o Corinthians e também contra Ronaldo Fenômeno, que recebia parte do valor que a multinacional pagava para expôr suas marcas na camisa alvinegra no final da última década.

    Corinthians e Ronaldo Fenômeno encerram processo após seis anos; clube via bloqueio, R9 com depósito

    ver detalhes
  • Corinthians consegue se classificar para as quartas de final do Paulistão Sub-20

    Corinthians domina, goleia Oeste e avança para as quartas de final do Paulistão Sub-20

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: