Mãe de garoto que ganhou blusa do Timão no metrô agradece presente e comenta repercussão da história

2.4 mil visualizações 32 comentários Comunicar erro

Por Meu Timão

Cristiane Pereira estava com seu filho Vítor, portador da síndrome de Williams, quando a situação aconteceu

Cristiane Pereira estava com seu filho Vítor, portador da síndrome de Williams, quando a situação aconteceu

Arquivo Pessoal

Portador da síndrome de Williams, o jovem Vitor Miguel Mello foi protagonista de uma bela história ligada ao Corinthians na última semana. Enquanto estava a caminho de casa com sua mãe, Cristiane Pereira Miguel, o pequeno torcedor foi pego de surpresa ao receber um agasalho do Timão de um desconhecido que estava próximo a eles em uma estação de metrô da capital paulista.

“Eu estava saindo da ABSW (Associação Brasileira de Síndrome de Williams), na Praça da República, e indo para casa, em Suzano, de metrô e trem. E notei que quando estava fazendo a transferência do Metrô para a CPTM, Vitor estava olhando para o lado direito. Continuamos andando e vi que ele continuava olhando. Aí resolvi parar para ver o que era, e de repente percebi que ele estava olhando para um rapaz que estava vestindo uma blusa do Corinthians”, explicou ao site oficial do Corinthians.

“Vi que o rapaz também ficou olhando para nós em resposta. Então ele chegou perto do Vitor e foi super simpático, deixou ele ver a blusa de perto, pegar, etc., quando ele me falou baixinho: ‘É uma dessa que eu quero, mãe’. Eu fiquei sem graça, mas talvez o rapaz tenha ouvido. Ele perguntou se o Vitor não tinha camisa do clube, e respondi que tinha apenas as de manga curta. De repente ele abre o zíper e dá a blusa, dizendo: ‘Tome, garoto. Para dar sorte para nós hoje, que o Corinthians joga’. E foi embora andando rápido. Fiquei tão sem reação que mal consegui agradecer, só entendi o que aconteceu na estação seguinte”, completou.

Leia também:
Urso agenda exames, mas Corinthians vê chance remota de atuação contra o Athletico-PR
Mais forte com comida da avó, Janderson vibra com 'melhor ano' e projeta primeiro gol
Janderson vai da idolatria por Ronaldinho à representação do Corinthians em Dia das Crianças

A síndrome de Williams, cabe destacar, é uma deficiência rara que se assemelha ao autismo, mas não é exatamente igual pela condição de formação como pelas características de personalidade.

Emocionada com a situação do torcedor que presenteou seu filho, Cristiane publicou a história em suas redes sociais. Em pouco tempo, então, a história viralizou e recebeu milhares de curtidas, algo que deixou a mãe de Vítor espantada.

“Primeiro eu fiquei em choque, porque recebi muitas mensagens de pessoas que queriam até levar ele para um jogo, pagar ingressos, mas é uma situação delicada porque ele é uma criança que precisa de acompanhamento. Mas agora eu já digo que o meu coração precisa colaborar, porque tenho estado bem emocionada, eufórica. E ele está super feliz desde que ganhou a blusa. Até brinco com ele, perguntando se ele quer conhecer a Arena, e ele diz que quer bastante. Passou o penúltimo fim de semana gritando as músicas do Corinthians, do bando de loucos. Não sei se ele já processou que vai ver um jogo do Corinthians na Arena. Mas estamos todos bem empolgados”, disse.

Cristiane também contou como surgiu o amor de Vitor pelo Corinthians, alvinegro desde os primeiros anos de vida por influência dos familiares.

“Eu não sou muito fã de futebol, torço mais pelo Brasil em época de Copa do Mundo. Meu pai é corinthiano bem fanático, e minha irmã é fã desde sempre. Quem ensinou o Vitor a torcer foram eles. Ela ensinou ele a cantar o hino, aí ficava estimulando, dava camisetas. Também tenho um tio bem fanático que tem tudo do clube: copo, chaveiro, vários objetos. O estímulo que ele tinha em casa era esse, todo mundo ao redor dele é corinthiano. E quem tem convivência com ele sempre acaba dando alguma coisa”, expôs.

Atualmente, Cristiane é voluntária e trabalha na Associação que recebeu seu filho. Ela auxilia família a lidar melhor com o contexto social da doença, que em muitos casos não é compreendida da melhor forma pela sociedade. Os portadores de tal síndrome, por sinal, tem tendência a ser mais carinhoso e simpático.

“Uma vez fomos a um parque em Mogi das Cruzes onde pessoas com deficiência fazem um encontro. E nesta ocasião estava tendo um encontro de torcedores corinthianos pedindo paz, com faixas. Fiquei junto ao meu grupo e em dado momento eu olho para o grupo de corinthianos de novo, e vejo o Vitor posando para foto com eles”, concluiu.

Confira a publicação de Cristiane em seu Facebook

Veja mais em: Fatos marcantes e Torcida do Corinthians.

Veja Mais:

  • Volante ao lado do idoso atropelado e de sua família

    Ralf transfere vítima de acidente de hospital e faz visita nessa segunda-feira

    ver detalhes
  • Neto acusa elenco corinthiano de tentar derrubar Carilleneto

    Neto acusa elenco corinthiano de tentar derrubar Carille, detona jogadores e faz apelo ao técnico

    ver detalhes
  • Imagina como seria se você tivesse Fábio Carille como seu chefe no seu trabalho

    [Mayara Munhoz] Imagina como seria se você tivesse Fábio Carille como seu chefe no trabalho

    ver detalhes
  • Declarações de Carille não estão sendo bem recebidas pelo ambiente do Corinthians

    Declarações de Carille são vistas como 'desnecessárias' e incomodam ambiente no Corinthians

    ver detalhes
  • Ramiro foi disparado o corinthiano que mais falou e gesticulou no treino desta segunda

    Janderson e Régis goleadores, Ramiro líder: reservas treinam forte por reabilitação no Corinthians

    ver detalhes
  • Ralf foi único jogador entre aqueles hoje considerados titulares que treinou com bola nesta segunda

    Sem punição, Ralf volta ao Corinthians e deve ser opção para Carille quarta-feira

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: