Corinthians vive 14 horas de turbulência após derrota em Maceió; veja a linha do tempo

11 mil visualizações 123 comentários Comunicar erro

Horas de turbulência terminaram no CT Joaquim Grava, com conversa entre torcida e elenco

Horas de turbulência terminaram no CT Joaquim Grava, com conversa entre torcida e elenco

Rodrigo Vessoni/Meu Timão

O rendimento ruim do Corinthians vem sendo questionado há muito tempo. Mesmo com o título do Paulista, o time de Fábio Carille não conseguiu agradar a Fiel neste ano. A derrota para o CSA nesta quarta-feira, porém, parece ter sido a gota d'água para os torcedores.

O reflexo da derrota por 2 a 1 em Maceió, então, não demorou a aparecer. No dia do Halloween, o clube viveu pressão pouco vista na era vitoriosa das últimas temporadas. Foram 14 horas de tensão.

E se você perdeu algo de tudo que aconteceu nesse período, o Meu Timão te ajuda: preparamos uma linha do tempo com cada um dos momentos de turbulência desta quinta-feira assombrada para Carille, seus comandados e a direção corinthiana.

As 14 horas de terror no Corinthians

Apito final (aproximadamente 23h30) - Mesmo com todo apoio dos torcedores, o Timão foi apático e não conseguiu sequer o empate com o CSA, ameaçado de rebaixamento.

"Fora, Carille" - Assim que o jogo acabou em Maceió, o clima nas redes foi de revolta. Antes blindado por alguns torcedores, o treinador passou a ser alvo de campanhas por sua demissão.

Confusão em campo - Ainda no gramado do estádio Rei Pelé, parte da diretoria do Corinthians se envolveu em confusão na entrada de um dos vestiários. Nada muito grave, mas um indício de tudo que ainda estava por vir...

Presidente pistola - Ao contrário do que costuma acontecer, Fábio Carille não concedeu entrevista coletiva após a derrota. Em seu lugar, Andrés Sanchez falou à imprensa e não poupou o elenco pelo momento ruim: "Quem quiser tirar férias, só pedir", afirmou. Ainda durante a fala, o mandatário evitou garantir a permanência do técnico.

Madrugada tensa - Depois de serem recepcionados com um protesto tímido no hotel em Maceió, o elenco do Corinthians passou por novo susto. Carros com placa de São Paulo pararam em frente ao local e tentaram uma invasão, chegando a quebrar vidros e entrar em confronto corporal com seguranças do clube.

Vandalismo no PSJ - Mesmo com o plantel em Alagoas, os protestos começaram a render também em São Paulo. A primeira mostra de insatisfação veio no Parque São Jorge, que amanheceu com pichações cobrando Carille, o elenco e o próprio Andrés Sanchez.

Nota da maior organizada - A Gaviões da Fiel emitiu nota no começo da tarde para cobrar mais entrega dos jogadores em campo.

Recepção pesada (por volta das 14h) - A delegação do Corinthians voltou a São Paulo e optou por sair direto da pista para evitar protestos. Não teve como fugir, no entanto, dos torcedores que esperavam no CT Joaquim Grava. Depois das cobranças na chegada da equipe, dez torcedores entraram nas dependências do clube para conversar com lideranças do elenco - a Gaviões da Fiel detalhou o encontro em nota oficial horas depois.

Veja mais em: Campeonato Brasileiro, Fábio Carille, Torcida do Corinthians, Andrés Sanchez, CT Joaquim Grava e Parque São Jorge.

Veja Mais:

  • Corinthians ainda não sabe se disputa Libertadores ou Sul-Americana em 2020

    G4, 5, 6, 7 ou 8: entenda as três situações possíveis para o Corinthians no Brasileirão

    ver detalhes
  • Meia é o principal jogador do Corinthians na temporada

    Importância de Pedrinho no Corinthians assusta: time ainda não venceu sem o meia no Brasileiro

    ver detalhes
  • Pela segunda rodada seguida, Timão vai jogar mais tarde do que o previsto

    CBF altera horário de próximo jogo do Corinthians no Brasileirão

    ver detalhes
  • Guilherme Mantuan e João Victor devem ser liberados nos próximos dias; Oeste e Inter de Limeira disputam a dupla

    Diretoria do Corinthians antecipa 2020 e dupla fica perto de ser emprestada

    ver detalhes
  • Corinthians estuda a situação de Sidcley desde o mês passado

    Alvo do Corinthians para a próxima temporada negocia com clube de Portugal

    ver detalhes
  • Matheus Alexandre, de 20 anos, foi contratado em abril e seguiu na Ponte Preta

    Sete dos 25 emprestados pelo Corinthians têm mais chance de trabalhar com Tiago Nunes em 2020

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: