Coelho detalha experiência no profissional do Timão e aponta principais diferenças para o Sub-20

1.8 mil visualizações 18 comentários

Por Vitor Chicarolli e Tomás Rosolino, no CT Joaquim Grava

Coelho disputou oito jogos pelo profissional do Corinthians

Coelho disputou oito jogos pelo profissional do Corinthians

Agência Corinthians

Em oito jogos pelo Corinthians, Dyego Coelho conquistou três vitórias, dois empates e duas derrotas. Mesmo com pouco tempo no profissional do Parque São Jorge, o treinador agradou a torcida pela intensidade e estilo de jogo ofensivo implantado na equipe alvinegra.

Em entrevista concedida nesta quinta-feira no CT Joaquim Grava, Coelho confessou que aprendeu bastante com a breve passagem pelo time principal do Timão e também destacou o potencial dos jogadores, que foram fundamentais para a mudança de postura do grupo na reta final do Campeonato Brasileiro.

"A gente aprende em todos os sentidos. Tive uma passagem rápida, porém muito intensa pelo profissional. O que me chamou atenção foi a disposição e a formar de acreditar dos jogadores. Se você falar a verdade para o jogador, trazer ele do seu lado e fazer acreditar no trabalho, cobrar uma situação, eles entendem mais fácil. E eles entenderam muito bem aquilo. Eu aprendi muito com eles. Eu vi que realmente a gente termina aprendendo mais do que ensinando. E é isso que vou tentar passar para os meninos agora. Não importa a idade. O que a gente faz, ideia de jogo e de treino, tudo passa pelo jogador. Se eles acreditarem nisso, as coisas tendem a funcionar", contou.

Leia também:
Corinthians contrata novo preparador de goleiros para 2020 a pedido de Tiago Nunes
Coelho se reapresenta e Corinthians faz treino para a Copa São Paulo no CT
Coelho revela conversa com Tiago Nunes sobre Corinthians e exalta qualidade do novo treinador

Ao ser questionado sobre as principais diferenças entre a base e o profissional, Coelho foi pontual e disse que com o grupo principal, há limites para cobranças. Por outro lado, os garotos permitem um nível de exigência maior.

"Muita coisa muda. A gente fica mais cascudo em determinadas situações, até pelos atletas com quem trabalhei. Muda bastante realmente algumas formas de pensar, eu tinha uma maneira de agir... e quando você chega num clube tão grande, precisa ser mais cauteloso. Na base eu cobrava muito mais, no profissional essa cobrança precisa ter um limite. A cobrança lá em cima é muito mais tranquila", concluiu.

Vale lembrar que, com a chegada do técnico Tiago Nunes, Coelho se despede do profissional e retorna ao Sub-20 do Timão.

Veja mais em: Dyego Coelho, Base do Corinthians e Corinthians Sub-20.

Veja Mais:

  • Neo Química já foi patrocinadora máster do Corinthians na época de Ronaldo Fenômeno

    Neo Química, dona do naming rights, volta à camisa do Corinthians; saiba os detalhes 

    ver detalhes
  • Foi assim que o Corinthians de Mancini ajudou a mudar a história do Brasileirão 2020

    VÍDEO: Foi assim que o Corinthians de Mancini ajudou a mudar a história do Brasileirão 2020

    ver detalhes
  • Ex-Corinthians, Léo Príncipe cobra R$ 257,3 mil do clube na Justiça do Trabalho

    Ex-Corinthians, Léo Príncipe move ação contra o clube e cobra quase R$ 260 mil

    ver detalhes
  • Jô fez o terceiro do Corinthians na vitória contra o Sport

    Jô mantém ótima média na Neo Química Arena em jogos do Brasileiro; atacante fica perto da artilharia

    ver detalhes
  • 'Meio sinistro' | Vim parar na Neo Química Arena e não sei por quê | Isso é Corinthians

    VÍDEO: 'Meio sinistro' | Vim parar na Neo Química Arena e não sei por quê | Isso é Corinthians

    ver detalhes
  • Daniela Alves, técnica do time de base do Corinthians feminino, projetou o desempenho do Timão na competição nacional

    Daniela Alves vê Corinthians pronto para o Brasileiro Feminino Sub-18 e aposta em torneio disputado

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: