Após 20 anos, Rincón relembra conquista do bicampeonato brasileiro de 1999 com o Corinthians

2.4 mil visualizações 55 comentários

Por Meu Timão

Rincón falou sobre a conquista do bicampeonato brasileiro de 1999

Rincón falou sobre a conquista do bicampeonato brasileiro de 1999

Ricardo Correa/Placar/Divulgação Corinthians

Há exatos 20 anos, o Corinthians vencia o Atlético Mineiro e conquistava o seu terceiro título de Campeonato Brasileiro. Com um elenco recheado de craques, o meia Rincón, um dos principais nomes daquele time, relembrou a conquista e reforçou a qualidade do time, que parecia já saber que seria campeão mesmo antes de entrar em campo.

Vindo já de um título do Campeonato Brasileiro no ano anterior, em 1998, o Corinthians manteve a base daquele time, com Marcelinho, Vampeta, Ricardinho, Edílson e Rincón, mas se reforçou com nomes importantes como Dida, João Carlos e Luizão.

“O time de 1999 já estava consolidado pelo campeonato de 1998”, analisa o colombiano. “O desafio era esperar a Libertadores e fazer uma boa apresentação lá”, completou.

Leia também: Corinthians atiça torcedores nas redes sociais após vice do Flamengo; veja repercussão

Com uma primeira fase tranquila, o desafio alvinegro começou mesmo durante o mata-mata. O Corinthians enfrentou o Guarani nas quartas de final e precisou de três jogos para vencer o adversário. Na sequência, uma semifinal com duas vitórias diante do São Paulo garantiu a classificação para a grande final, onde o Timão enfim venceu o Atlético, também em três partidas.

“O mata-mata todo foi o momento mais complicado, porque tinham times de muita qualidade. Mas nesses momentos sempre aparecia a maturidade de todos os jogadores experientes”, adiciona o meia.

Um dos grandes destaques daquele time, Rincón acredita que era fácil aparecer porque o elenco estava muito ajustado. Cabe destacar que essa base foi, além de bicampeã brasileira, campeã mundial nos anos 2000, junto com os paulistas de 1997, 1999 e 2001.

“A equipe jogava bola mesmo, e saía (para o ataque) com muita velocidade. O time jogava em conjunto, e aí apareciam alguns destaques como Ricardinho, Vampeta, Marcelinho, Edílson, Dida, Sylvinho e depois Kleber”, finaliza o meia.

Veja mais em: Ídolos do Corinthians e História do Corinthians.

Veja Mais:

  • Neo Química já foi patrocinadora máster do Corinthians na época de Ronaldo Fenômeno

    Neo Química, dona do naming rights, volta à camisa do Corinthians; saiba os detalhes 

    ver detalhes
  • Ex-Corinthians, Léo Príncipe cobra R$ 257,3 mil do clube na Justiça do Trabalho

    Ex-Corinthians, Léo Príncipe move ação contra o clube e cobra quase R$ 260 mil

    ver detalhes
  • 'Meio sinistro' | Vim parar na Neo Química Arena e não sei por quê | Isso é Corinthians

    VÍDEO: 'Meio sinistro' | Vim parar na Neo Química Arena e não sei por quê | Isso é Corinthians

    ver detalhes
  • Jô fez o terceiro do Corinthians na vitória contra o Sport

    Jô mantém ótima média na Neo Química Arena em jogos do Brasileiro; atacante fica perto da artilharia

    ver detalhes
  • Corinthians se reapresentoou na tarde desat sexta-feira de olho em jogo contra o Red Bull Bragantino

    Com retorno de Otero e dupla suspensa, Corinthians se reapresenta no CT Joaquim Grava

    ver detalhes
  • Daniela Alves, técnica do time de base do Corinthians feminino, projetou o desempenho do Timão na competição nacional

    Daniela Alves vê Corinthians pronto para o Brasileiro Feminino Sub-18 e aposta em torneio disputado

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: