Corinthians tem ao menos sete reuniões ou votações de órgãos internos afetadas por paralisação

4.6 mil visualizações 29 comentários Comunicar erro

Todos os órgaos internos do Corinthians no Parque São Jorge estão impactados pelos efeitos do coronavírus

Todos os órgaos internos do Corinthians no Parque São Jorge estão impactados pelos efeitos do coronavírus

Meu Timão

A paralisação por conta do Covid-19, o novo coronavírus, também atrapalhará os andamentos políticos e administrativos do Corinthians nos próximos dias. Ao menos sete reuniões e/ou votações importantes dos órgãos reguladores do clube estão sendo adiadas ou canceladas.

O Meu Timão conversou com pessoas ligadas ao Conselho Deliberativo, Conselho de Orientação (Cori), Conselho Fiscal, Comissão de Ética e Disciplina, Comissão da Reforma Estatutária, Comitê Eleitoral e Assembléia Geral dos sócios, para entender o tamanho do impacto nos andamentos de cada um deles.

O cenário, de acordo com todas os sócios e conselheiros ouvidos pelo Meu Timão, é o pior possível. A tendência é um atraso atrás do outro ocasionando um verdadeiro efeito cascata.

É válido lembrar que todas as atividades envolvendo o clube e os times também se encontram paradas por conta da pandemia. O CT Joaquim Grava, o Parque São Jorge e a Arena Corinthians estão fechados. O Timão, inclusive, colocou os locais à disposição do Governo de São Paulo para serem utilizados no combate ao vírus.

Confira abaixo o efeito da paralisação nos andamentos político e administrativo do Corinthians

Comissão da Reforma Estatutária

Faltava apenas uma última reunião para finalizar o relatório das últimas mudanças no Estatuto do Clube. Relatório esse que, na sequência, seria colocado à prova em votações no Conselho Deliberativo e em Assembléia Geral. Não há prazo para acontecer essa última reunião dos 14 envolvidos na Comissão.

Comissão de Ética e Disciplina

Reuniões estavam sendo realizadas para deliberar se as acusações de má conduta de alguns associados antes da eleição presidencial de 2018 seriam (ou não) transformadas num processo administrativo para advertência, suspensão ou até eliminação do quadro associativo do clube. As deliberações e o surgimento de possíveis acusados não deverão acontecer tão cedo, já que não há previsão de novas reuniões dos cinco membros da Comissão de Ética e Disciplina.

Comitê Eleitoral

Pelo atual estatuto é necessário a criação de um Comitê Eleitoral seis meses antes do pleito para presidente, marcado para o próximo mês de novembro. Todos ouvidos pelo Meu Timão acreditam que esse Comitê Eleitoral deva sofrer algum atraso em sua formação por conta da paralisação.

Conselho Fiscal

A próxima reunião, que prometia agilizar a análise dos últimos documentos referentes ao balanço financeiro de 2019, ainda não tem data para acontecer. Em tempo: os membros do Conselho Fiscal ainda aguardam dados e documentos que serão repassados pelo departamento financeiro do clube que, por sua vez, precisam ser abastecidos por uma auditoria externa.

Conselho de Orientação (Cori)

O órgão também tem como meta principal neste momento a análise dos números referentes ao balanço financeiro de 2019. Seu parecer é fundamental para que os documentos sejam apreciados e votados posteriormente pelo Conselho Deliberativo. Porém, não há previsão de uma nova reunião do Cori. Isso porque, num verdadeiro efeito cascata, é necessário (ao menos de bom grado) que o Conselho Fiscal tenha acesso aos números anteriormente.

Em tempo: o balanço do ano anterior do clube (como de qualquer empresa do país) precisa ser aprovado até o mês de abril. Porém, vale lembrar que o Governo pode alterar esse prazo num futuro próximo devido à pandemia.

Conselho Deliberativo

A primeira reunião importante seria nesta segunda-feira (dia 23), para votação do novo Estatuto do Clube. O encontro dos conselheiros - em sua maioria composto por pessoas de mais idade -, já está adiado. Pelo atraso das deliberações da Comissão da Reforma Estatutária, é possível que nem aconteça.

A segunda reunião importante seria no final de abril, para apreciação e votação do balanço financeiro de 2019. Devido aos atrasos dos outros órgãos que analisam os documentos anteriormente (Conselho Fiscal e Conselho de Orientação), é difícil saber quando realizada essa votação que poderá complicar a situação política do presidente Andrés Sanchez em caso de reprovação das contas.

Assembléia Geral

Num efeito cascata, uma próxima reunião de todos os associados deve ficar mesmo para novembro, quando será realizada mais uma eleição presidencial. É difícil pensar que haverá uma Assembléia Geral no Parque São Jorge para votação do novo estatuto, já que a mesma precisaria acontecer seis meses antes do pleito, marcado para novembro. Uma aglomeração de pessoas como essa já em maio é impensável hoje em dia.

Veja mais em: Parque São Jorge, Diretoria do Corinthians, Andrés Sanchez e Eleições no Corinthians.

Veja Mais:

  • Malcom se mostra otimista por sequência do Corinthians em 2020

    Ao Meu Timão, Malcom detalha pandemia na Rússia e diz ser questão de tempo para Corinthians engrenar

    ver detalhes
  • Araos é um dos pedidos de contratação de Sampaoli, do Atlético-MG

    Meia corinthiano entra na mira do Atlético-MG a pedido de Sampaoli, diz portal

    ver detalhes
  • Gabriel Strefezza jogou no Corinthians até chegar na categoria Sub-20

    Ex-Corinthians que faz sucesso na Itália relembra formação nas categorias de base do clube

    ver detalhes
  • Os gols mais emocionantes da Arena Corinthians na visão de quem estava lá

    VÍDEO: Os gols mais emocionantes da Arena Corinthians na visão de quem estava lá

    ver detalhes
  • [Rafael Castilho] Como você faz falta, Corinthians!

    ver detalhes
  • Neto voltou a falar sobre possível demissão de Tiago Nunes

    Neto afasta retorno de Mano do Corinthians, mas volta a citar Tiago Nunes pressionado

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia: