Presidente do Corinthians, Duilio vê clubes em 'situação horrorosa e preocupante' financeiramente

13 mil visualizações 138 comentários

Por Meu Timão

Duilio foi eleito em novembro e iniciou seu mandato no começo de janeiro

Duilio foi eleito em novembro e iniciou seu mandato no começo de janeiro

Divulgação

O presidente do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, foi taxativo ao definir que todos os clubes do futebol brasileiro passam por uma situação financeira complicada em meio à pandemia da Covid-19. Ainda que discorde do termo "fodidos" usado pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo, em reunião com os mandatários, ele concordou que os tempos são ruins.

"Agora, que os clubes estão "fodidos" é uma palavra que não precisava ser usada da forma como foi. Mas que os clubes estão em uma situação horrorosa e muito preocupante estão", comentou o dirigente, em entrevista à Folha de S. Paulo.

"Ninguém teve bom resultado em 2020. O que ele fala ali é que o futebol continue e o que os clubes precisam. Inclusive, todos os clubes que estavam presentes foram a favor de não parar", continuou Duilio, que estava no encontro virtual em que Caboclo usou essas palavras para ser contra a paralisação do futebol.

Falando internamente, Duilio disse que já cortou 20% de despesa em todos os departamento, menos na equipe feminina. Atuais campeãs paulistas e brasileiras, as mulheres conseguiram uma série de patrocínios para a temporada 2021. Segundo ele, porém, provavelmente haverá mais cortes no clube até o final do ano.

"Os 20% que a gente cortou em cada departamento a diretoria já tinha determinado. A gente não pensa em demitir pessoal, mas em algum momento teremos cortes. Estamos impossibilitados por questões de pandemia, de estabilidade, por ter tido redução salarial, toda essa parte da lei que foi feita. Mas, onde é o custo maior, que são os jogadores, eles têm contrato vigente. Então, infelizmente, você não consegue tirar na hora que quer", pontuou, antes de concluir seu posicionamento sobre a continuidade do futebol em meio à pandemia.

"No momento em que foi falado, em 2020, sobre a paralisação, o Corinthians foi um dos primeiros a apoiar e entender que era o momento de parar. Neste momento, o Corinthians não se posicionou contra a volta do futebol e não quis a parada porque não existe uma preocupação dos órgãos de saúde de que o futebol possa em algum momento atrapalhar ou criar novos casos. A partir do momento que os órgãos de saúde entendam que o futebol pode prejudicar a população, o Corinthians vai ser o primeiro a não jogar", concluiu.

Veja mais em: Duílio Monteiro Alves.

Veja Mais:

  • Corinthians já mira o duelo contra o Always Ready, na quinta-feira

    Corinthians faz trabalhos táticos e conta com seis jogadores da base em reapresentação ao CT

    ver detalhes
  • Ramiro está emprestado ao Al Wasl, dos Emirados Árabes Unidos; clube de Dubai terá de pagar US$ 4 milhões para ficar com o meio-campista

    Corinthians deve ter a volta de seis emprestados em junho, mas apenas três têm chance de ficar no CT

    ver detalhes
  • Vítor Pereira ostenta um bom início de aproveitamento na Neo Química Arena

    Vítor Pereira tem segundo melhor início de um técnico do Corinthians na história da Arena

    ver detalhes
  • Corinthians enfrenta o América-MG pelo Brasileirão neste domingo, às 18h, na Neo Química Arena

    Corinthians inicia venda de ingressos para duelo contra o América-MG na Neo Química Arena

    ver detalhes
  • Boca Juniors vai pagar menos por casos de racismo do que Corinthians por infração a artigo que trata de propaganda no banco de reservas

    Conmebol multa Boca por racismo; valor é menor que pena ao Corinthians por propaganda no banco

    ver detalhes
  • Caio Mello não faz mais parte do quadro de funcionários do Corinthians

    Fisioterapeuta deixa o Corinthians após mais de 13 anos

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

x