Douglas relembra bicho contra o São Paulo, pênalti de Pato e exalta Luan: 'Espero que ele voe'

6.5 mil visualizações 60 comentários

Por Meu Timão

Douglas teve duas passagens pelo Corinthians e foi multicampeão pelo clube

Douglas teve duas passagens pelo Corinthians e foi multicampeão pelo clube

Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Um dos nomes mais marcantes da história recente do Corinthians, o meia Douglas fez parte do time que emergiu da Série B e também conquistou o Mundial de Clubes pelo Timão. Hoje já aposentado, o ex-jogador relembrou seus momentos no Parque São Jorge.

"Eu cheguei na Série B, então cheguei num momento que o clube estava quebrado. Em 2008, mas coisas começaram a acontecer. Apesar de ter saído depois, foi da Série B até o Mundial, então isso fica marcado. Sempre fui muito de boa, sempre tratei todo mundo muito bem", disse o ex-meia em entrevista ao canal de Duda Garbi no YouTube - confira na íntegra abaixo.

"Edenílson, Danilo, Guerrero, a gente é tudo amigo. O Edenílson e o Danilo eram da nossa turma, apesar de serem mais novos. Era eu, Fábio (Santos), Paulinho, Edenílson e Danilo. Toda segunda... o Guerrero era mais tranquilão", lembrou Douglas.

A primeira passagem de Douglas no Timão foi entre 2008 e 2009, depois disso, o meia atuou fora do Brasil e teve uma passagem pelo Grêmio antes de retornar ao Parque São Jorge em 2012. Nesse tempo, foram 178 jogos, muitos clássicos e também muitos bichos envolvidos.

"Mala branca acontece muito, mais em time menor, mas time grande também tem. No Corinthians, uma época, a gente só pegava bicho foda. Principalmente clássico contra o São Paulo, era absurdo. Já peguei R$ 90 mil. Existia uma rivalidade forte. Era Andrés contra Juvenal, os caras não se bicavam. O Andrés falava 'não podemos perder não, é 'tanto' se ganhar'. E aí os caras iam comendo as chuteiras", disse Douglas, antes de relembrar o fatídico duelo contra o Grêmio pela Copa do Brasil, em outubro de 2013.

"Aquela vez contra o Grêmio aqui, na cavadinha do Pato, ali tava perto disso (o bicho). Danilo Fernandes queria matar ele. 'Pô, tu ganha dinheiro pra caramba, eu tô precisando'. Esperou na porta do vestiário, ia dar um pau nele, os caras seguraram. Mas é foda. O Danilo treinava pênalti com o cara, ele batia forte, ai chega no jogo e cava. Depois ele foi falar que treinava assim... pô, o Danilo cegou. Todo mundo queria bater nele. Era pra ter deixado, eu acho. Um soquinho... Só um assim. Nem sabe de onde veio", disse Douglas, em tom irônico.

Douglas e Pato em treino do Corinthians em maio de 2013

Douglas e Pato em treino do Corinthians em maio de 2013

Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Companheiro de equipe de Luan no Grêmio, Douglas analisou o motivo pelo qual o meia ainda não voltou a render dentro de campo. Além disso, deu dicas para que o próximo técnico do Corinthians ajude o camisa 7 a voltar a desempenhar seu melhor futebol.

"Acho que é mais aqui (cabeça). Pelo fato dele ter saído daqui (Grêmio) naquele momento em que já não estava tão bem. Chegou lá (Corinthians) e iniciou bem para caramba e aí teve uma queda. Acho que é mais confiança, isso às vezes atrapalha muito. Mas ultimamente vi uns lances dele, e tem tido muitos elogios. Acho que a sequência, a confiança do treinador, isso ajuda muito para ficar mais solto em campo", disse.

"É um cara que rende muito com a bola no pé. Na real que, se eu sou o treinador, eu faço um esquema para ele jogar. Deixa ele solto, flutuar, é o que ele sabe fazer de melhor. O um contra um, a quebra de linha, jogadas individuais... acho que agora tá melhorando, rendendo mais. Espero que ele voe. Sei da qualidade dele. O Corinthians levou porque sabe da qualidade", completou Douglas.

Pelo Corinthians, Douglas marcou 21 gols em 178 jogos. O meia conquistou sete títulos pelo Timão: Paulistas (2009 e 2013), Série B (2008), Copa do Brasil (2009), Libertadores e Mundial (2012) e Recopa (2013). O jogador pendurou as chuteiras em 2020 e seu último clube foi o Brasiliense, mas citou qual elenco em que atuou no Corinthians foi o melhor.

"Épocas diferentes. Em 2008 tinha um Timão, em 2009 tinha um time bom também, aí veio o Ronaldo. Depois eu saí na metade de 2009. Mas 2012 era foda, em 2013, até o primeiro semestre estava tudo bem, depois começou a desandar. Ganhamos Mundial, Paulista, Recopa e aí, no segundo semestre, as coisas não davam certo. Aí fomos ladeira abaixo, reunião direto com a torcida. Pressão absurda. Não queira passar", finalizou o ex-meia.

Confira a entrevista do ex-meia do Corinthians

Veja mais em: Ex-jogadores do Corinthians e Ídolos do Corinthians.

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

x