Corinthians é denunciado no STJD por gritos homofóbicos no Majestoso; time pode perder pontos

28 mil visualizações 495 comentários

Por Meu Timão

Corinthians terá de responder no tribunal sobre cantos homofóbicos da torcida

Corinthians terá de responder no tribunal sobre cantos homofóbicos da torcida

Danilo Fernandes / Meu Timão

O Corinthians foi denunciado na Quarta Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e terá de se defender por causa dos gritos homofóbicos da torcida contra o São Paulo. A pena máxima pode acarretar perda de pontos do clube no Campeonato Brasileiro.

O duelo foi disputado no dia 22 de maio e a denúncia será julgada na quinta-feira, dia 23 de junho. De acordo com a ata da sessão marcada para a semana que vem, o Timão terá de responder denúncias em dois artigos diferentes do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): o 243G e o 213 (incisos I e III).

O 243G fala sobre "praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência". Os cantos homofóbicos foram citados na súmula pelo juiz Wilton Pereira Sampaio.

O artigo informa que "caso a infração prevista neste artigo seja praticada simultaneamente por considerável número de pessoas vinculadas a uma mesma entidade de prática desportiva, esta também será punida com a perda do número de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição". Ainda há uma multa de R$ 100 a R$ 100 mil.

A segunda parte do artigo diz que pena ainda pode fazer com que torcedores identificados praticando o ato fiquem "proibidos de ingressar na respectiva praça esportiva pelo prazo mínimo de setecentos e vinte dias".

Apesar de dura, a pena ainda não foi aplicada no futebol brasileiro. Cruzeiro e Grêmio chegaram a ser denunciados no tribunal após cânticos homofóbicos de ambas as torcidas no duelo entre eles, pela Série B. Um pedido de "transição disciplinar" do time mineiro, porém, fez a sessão ser cancelada.

No texto da súmula, Wilton diz que foi informado dos cantos homofóbicos durante o intervalo e que, após anúncio do alto-falante, não se identificou mais gritos desse tipo. A mostra de que o Corinthians combateu o ocorrido pode pesar a favor do Timão no julgamento.

Já o artigo 213, nos incisos citados, trata de objetos atirados no gramado, outro ponto citado pelo árbitro na súmula. No caso, Wilton disse ter sido informado pelo lateral Reinaldo, do São Paulo, do lançamento de um isqueiro no gramado. Nesse caso, porém, se o Corinthians confirmar a identificação e detenção de quem lançou o objeto, fica livre de culpa.

Veja mais em: STJD.

Veja Mais:

  • Willian em jogo válido pelas oitavas da Libertadores entre Corinthians e Boca Juniors

    Willian recebe boa notícia, mas não deve reforçar o Corinthians contra o Boca

    ver detalhes
  • Giovane (atacante), Breno Bidon (volante), Matheus Araújo (meia), Robert Renan (zagueiro) e Xavier (volante) durante treino no CT na tarde de quinta-feira; de costas, Bruno Melo, que também deve ser titular no Rio de Janeiro

    Corinthians deve ter uma equipe de garotos contra o Fluminense no Rio; entenda

    ver detalhes
  • Bruno Méndez retornou recentemente, mas não tem saída descartada pelo Corinthians

    Clube do México volta a se interessar por Bruno Méndez e espera decisão do Corinthians

    ver detalhes
  • Willian foi eleito pela torcida o melhor jogador do elenco no mês de junho

    Meia-atacante do Corinthians é eleito o melhor jogador do mês de junho; centroavante é o pior

    ver detalhes
  • Róger Guedes em jogo do Corinthians contra o Boca Juniors pela Libertadores

    Róger Guedes volta a ser titular em jogo de Libertadores após quase cinco anos; veja retrospecto

    ver detalhes
  • Capa da história em quadrinhos feita por Maria Fernanda e Guilherme, de 11 anos

    Róger Guedes ganha história em quadrinhos produzida por crianças de escola estadual em Itaquera

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

x