Corinthians repete fatiamento de jogadores mais valiosos

3.1 mil visualizações 0 comentários

Por Meu Timão

Corinthians tem apenas 10% dos diretos de Paulinho

Corinthians tem apenas 10% dos diretos de Paulinho

Com Jucilei, Bruno César e Dentinho, três jogadores negociados neste ano, o Corinthians poderia ter arrecadado quase 23 milhões de euros (na cotação atual, R$ 53 milhões). Desse montante, entretanto, menos de um quarto ficou nos cofres dos corintianos, já que todos eram fatiados com diferentes parceiros.

O fato poderia ser uma lição para o Corinthians, que conquistou o título de campeão do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, mas se repete na montagem do elenco. Dois dos jogadores com mais potencial de mercado, o volante Paulinho e o atacante Willian, também são divididos com parceiros da direção corintiana. Em caso de negociação de ambos, cerca de 20% ficaria realmente com o clube.

O presidente Andrés Sanchez já teve de responder a respeito do fatiamento de Jucilei e uma opção de compra de direitos da qual o clube abriu mão. "O Corinthians comprou 50% e os outros 50% eram do Corinthians-PR. Vendemos 35% por R$ 2 milhões e ficamos com 15%", explicou em fevereiro Andrés, que na época apontou falta de recursos para a aquisição. Assim, um lucro que poderia ser de 5 milhões de euros foi reduzido a 1,5 milhão.

Segundo o Terra apurou, procedimento semelhante foi adotado recentemente na contratação de um jogador para as categorias de base por quem o clube desembolsou perto de R$ 800 mil no início do ano. A intermediários da transação, o presidente Andrés Sanchez fez um acordo para que, futuramente, o grupo tenha direito a exercer uma opção de compra de parte desses direitos.

De acordo com o diretor adjunto de futebol Duílio Monteiro Alves, a situação, que se repete com Willian e Paulinho, é inevitável. "Muitas vezes a parceria é necessária pelo fator financeiro e até porque o jogador já pertence a algum grupo. Você entra como parceiro", argumentou ao Terra quando questionado o porquê de possuir uma porcentagem pequena nos direitos econômicos da dupla.

Para Duílio, apesar de o Corinthians ter desperdiçado a oportunidade de um lucro maior, todos os negócios valeram a pena. "Também gastamos pouco com a compra deles e acabaram indo bem, renderam dentro de campo e nos ajudaram", analisou o diretor, que se juntou ao departamento de futebol apenas em janeiro de 2011 após a saída de Mário Gobbi, provável candidato à presidência.

Questionado se o Corinthians poderia tentar negociações com parceiros para aumentar sua participação em relação a Paulinho e Willian, Duílio diz que o clube está focado em impedir que ambos sejam negociados até o fim da janela, que se encerra em 31 de agosto. "Não conversamos sobre isso, mas é uma intenção no futuro. Hoje queremos segurá-los e, quando chegar uma proposta, se possível podemos fazer essa compra", afirmou.

Se reluta em apostar financeiramente na contratação de jogadores jovens, por outro lado o Corinthians fez investimentos altos em dois nomes consagrados: por Alex e Liedson foram desembolsados aproximadamente R$ 20 milhões apenas com recursos dos cofres corintianos, sem a participação de parceiros. Com 29 e 33 anos respectivamente, dificilmente eles serão futuramente negociados por valores do mesmo porte.

O meio-campo Edenílson e o goleiro Renan, outros reforços para o Brasileiro, também têm apenas uma pequena participação de seus direitos ligada ao Corinthians - em relação ao volante, esse número não ultrapassa 20%.

A exceção é o lateral Weldinho: o Corinthians desembolsou quantia não revelada para comprar 90% de seus direitos junto ao Paulista de Jundiaí. O clube do interior de São Paulo tem sido parceiro recente dos corintianos em várias negociações, como a do pouco utilizado volante Nenê Bonilha e de outros atletas para as categorias de base.

O fatiamento da dupla Paulinho-Willian

Paulinho - BMG (50%), Pão de Açúcar (40%) e Corinthians (10%)

Willian - BMG (40%), Atlético-PR (50%) e Corinthians (10%)

As três principais negociações de 2011*

Jucilei - para o Anzhi, da Rússia, em fevereiro - 10 milhões de euros
Corinthians Paranaense (50%), grupo de empresários (35%) e Corinthians (15%)

Dentinho - para o Shakhtar, da Ucrânia, em maio - 7,5 milhões de euros
DIS (22,5%), BMG (15%), Talquinho (empresário, 10%), Cláudio Guadagno (empresário, 10%) e Corinthians (42,5%)

Bruno César - para o Benfica, de Portugal, em março - 5,3 milhões de euros
DIS (80%) e Corinthians (20%)

Os valores totais das negociações são do site alemão Transfermarkt, referência em transferências de jogadores

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Corinthians pretende bater o martelo sobre Jô até o final deste mês

    Corinthians e Jô tentam equacionar diferença financeira para acordo; diretoria trabalha com prazo

    ver detalhes
  • Cássio participou de uma entrevista virtual coletiva nesta quinta-feira

    Cássio reforça discurso de maior corte salarial no Corinthians para evitar demissões

    ver detalhes
  • Bruno Méndez (20), Lucas Piton (19) e Carlos Augusto (21) são considerados três dos principais ativos do Corinthians, com boa chance de venda ao exterior

    Novo Pedrinho? Corinthians tem 22 jogadores com idade para despertar interesse de clubes de fora

    ver detalhes
  • ShopTimão lança camisetas em homenagem a Cássio

    Corinthians lança camisetas em homenagem a Cássio; veja modelos e como comprar

    ver detalhes
  • Live do Meu Timão: mercado da bola no Corinthians | Chegadas e saídas

    VÍDEO: Live do Meu Timão: mercado da bola no Corinthians | Chegadas e saídas

    ver detalhes
  • Corinthians tem cerca de 75 mil associados no Fiel Torcedor

    Corinthians desmente informação sobre queda no número de sócios após manifestações

    ver detalhes

Últimas notícias do Corinthians

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!