Filial do Corinthians nos EUA dá resultados positivos e expõe a marca

Filial do Corinthians nos EUA dá resultados positivos e expõe a marca

SÃO PAULO - Com torcida estimada em 25 milhões, segundo a empresa de consultoria esportiva Pluri, o Corinthians sempre foi uma equipe que pôde contar e tirar proveito de seus seguidores. Quando venceu o Chelsea no Mundial de Clubes da Fifa, até japonês se rendeu às cores do time de Parque São Jorge. E Tóquio nunca mais foi a mesma. Após a conquista no Japão, o Corinthians avançou fronteiras. Na cidade de Fontana, a 67 km de Los Angeles, o clube também está presente na vida dos cerca de 196 mil habitantes da pequena cidade da Califórnia. O Corinthians ensina boa parte dos meninos de Fontana a jogar futebol.


Há cerca de dois anos, Josias Baptista resolveu investir em um centro de treinamento de futebol naquela cidade. Para isso, o empresário do mundo televisivo encontrou na marca Corinthians o parceiro que precisava. Assinado o acordo, ainda na época em que Andrés Sanchez presidia o time, Baptista começou a trabalhar nos projetos Corinthians Soccer Academy e Corinthians USA. Após acertar parceria com o clube paulista, o empresário convidou seu amigo Palhinha para tomar a frente do projeto. Desde que as filiais foram abertas, os resultados foram extremamente positivos. Quando o projeto de fato foi lançado, apenas 15 garotos dos Estados Unidos fizeram suas inscrições. Mas passados um ano e meio, já são mais de 300 alunos, distribuidos em categorias que vão desde o Sub-8 até os 23 anos.


O ex-jogador Palhinha, que passou com sucesso por Cruzeiro e São Paulo, é quem organiza tudo isso. É comum no futebol ex-atletas se envolverem em atividades de seus ex-clubes. No caso de Palhinha, ele optou por trabalhar com a bandeira do Corinbthians, onde nunca jogou. Palhinha é o headcoach do Corinthians nos Estados Unidos. Além de coordenar os treinadores da Soccer Academy, Palhinha é o chefão das equipes Sub-23 e do time adulto do Corinthians USA. Para acompanhar todos os jogos, o ex-meia treina as equipes maiores em período integral. Das 18h às 22h, no entanto, vê de perto as atividades dos garotos. "Para o time adulto, nós trouxemos jogadores do Brasil e do México. E como as escolas aqui começam às 8h da manhã e terminam às 15h30, a gente só consegue trabalhar com o pessoal da academia no período da noite. E é dessa forma que a gente começou a trabalhar e o resultado começa a dar certo", diz o treinador da filial, que não acredita ter sua história como jogador manchada entre os são paulinos e cruzeirenses.

No Corinthians Soccer Academy, Palhinha, hoje com 45 anos, coordena alunos e professores das categorias Sub-8 ao Sub-19. E mesmo com pouco tempo, as filiais ja chegaram a títulos nas categorias Sub-13 e Sub-15, que levantaram o troféus do Moreno Valley Championship. Mas não é só entre os meninos que os resultados são positivos. "No Sub-23, em que disputamos, ficamos em segundo lugar de toda a Califórnia. Agora estamos disputando o campeonato adulto da Coast Soccer League, na categoria Premiere. Nós já fizemos dois jogos, temos duas vitórias e estamos em primeiro lugar", conta orgulhoso o treinador.

Enquanto fala sobre o projeto, Palhinha cita Josias Baptista em forma de agradecimento. Não apenas pela oportunidade de coordenar o projeto, mas também pela estrutura que o empresário dá aos alunos nos EUA. "Aqui os garotos ficam três meses por causa de um pacote que o Josias "vende"para cursar inglês em uma escola da região. De quabra, eles treinam conosco, disputam campeonatos e também têm alimentação, locais para dormir e transporte. Fora isso, ganham também o material esportivo, que é todo da Nike e inclui calção, camisa e bolsa, entre outras coisas", explica. Toda essa estrutura é disponibilizada para crianças, que podem iniciar na escolinha a partir dos 6 anos de idade.

'CORINTHIANS NA MLS'
Com o rápido crescimento do projeto, Josias Baptista quer mais. Além de tentar fazer um campeonato de futebol amador, nos moldes dos pontos corridos, o brasileiro também vai tentar cotizar o Corinthians USA. Tendo maiores recursos financeiros, o planejamento é formar uma equipe para entrar de vez no futebol profissional dos Estados Unidos. "O objetivo é quem sabe um dia chegar à MLS (Major League Soccer, equivalente à primeira divisão de futebol dos EUA)", afirma Palhinha. O headcoach também fala sobre o crescimento do "soccer" nos Estados Unidos. "O futebol está tão diferente aqui que já é o quarto esporte mais forte e popular do país. E da forma como está crescendo, acredito que daqui a uns 3 anos o futebol pode estar quase como o primeiro esporte dos EUA."

Além de ver sua marca divulgada em outro país, o Corinthians também pode se beneficiar na chegada de jogadores. De acordo com o contrato, a equipe de Parque São Jorge tem prioridade no caso de um menino se destacar na escolinha da Califórnia. Dessa experiência, dois jogadores já tiveram uma breve passagem pela matriz do clube, em São Paulo. "Nós já mandamos dois garotos para o Corinthians. Os meninos de 15 e 16 anos ficaram 10 dias treinando no Parque São Jorge. Foi uma experiencia espetacular para eles e para nós também. E fora esses dois, também já tivemos um menino convocado para a seleção americana Sub-13", revela Palhinha, mostrando que onde tem bom futebol há sempre um toque de Brasil.

Comentários

  • 1000 caracteres restantes