Tempestade ou Temporal?

Li muito sobre a indignação: Como assim empatar com um time como a Penapolense? Reforços urgente! Diretoria Incompetente! Elenco desmotivado! Elenco ruim! etc.

Antes de mais nada, apesar das 4 derrotas, o time enfiou 4×1 no san7os //www.youtube.com/watch?v=S7uHkUUHK5c, palmares sofreu pra ganhar de 1×0 //www.youtube.com/watch?v=rmr_SIwuuOk. O time é muito melhor do que a maioria fala, além disso muitos atribuem a falta de vontade o que é uma absurdo. Algum de vocês já jogou em 30 pra 40 graus um jogo de futebol com os amigos? Agora imagine isso, sem churrasco, sem pausas, nada gelado, sem rede. Jogador profissional precisa jogar em alto nível e desempenho, pelas paradas técnicas e a feição dos jogadores a temperatura estava insuportável.

Agora pensemos, estamos fazendo uma tempestade aonde só existe temporal? Um trabalho que deveria ter sido feito em Dezembro, mas a aposta foi compreensível, um time que foi tantas vezes campeão, por que não apostar nele mais uma vez pra ver se não dá certo? Aposta feita, 2 jogos ganharam, os 4 seguintes a coisa desandou, muito mais pelas mudanças forçadas que vieram mais pro bem do que pro mal. As laterais, antes guardadas por dois laterais extremamente regulares e consistentes defensivamente, agora eram protegidas por dois jogadores com mais tino ofensivo que defensivo. A intenção de Mano era aproveitar o que o time tinha de melhor, a defesa, com um ataque remodelado, intenção desfeita quando viu que o esquema não seria o mesmo com pouca proteção defensiva nas pontas e o ataque inoperante. O time tinha que ser refeito em meio ao campeonato, as laterais renderam 19 gols tomados, sendo 10 deles pela lateral esquerda. 4 derrotas e a aproximação da zona de rebaixamento, muitos se desesperaram, falaram que o Mano era incompetente (muito pelo contrário, ele foi um dos poucos que conseguiria e conseguiu remontar um time em poucas semanas sem treino) e que o time cairia. Mano localizando o problema se juntou a diretoria e agiram rápido apos o incidente no CT. Douglas, Pato, Ibson, Paulo André foram negociados e Jadson, Bruno Henrique, Luciano juntaram-se a Fagner, Uendel na reformulação antes iniciada com Cleber, Rodriguinho, Guilherme, Walter entre outros no ano anterior. Mano em uma semana sem jogos de meio de semana, refaz o time antes do clássico, com 3 volantes.  O time ganha transição e rapidez, o ataque volta a funcionar, isso no primeiro jogo após a sequência de 4 derrotas. O time por pouco não sai com a vitória, alguns gols não entraram e uma falha na esquerda culminaram no empate, coisa normal em pensar num time recém montado. A seguir a sequência de vitórias e ao chegar o jogo com o São Paulo, o time oscila, mas não como muitos teimam em falar, por incapacidade, oscila defensivamente pela esquerda e ofensivamente Luciano não teve o mesmo desempenho dos jogos anteriores. Completamente normal, só vai se desenvolver se acostumando a jogos assim. Mesmo jogando um pouco abaixo, o time sofre a derrota por dois erros individuais pela esquerda. Em seguida vem o jogo com a Penapolense em Penápolis, temperatura elevada, paradas técnicas e a feição dos jogadores revelam o sofrimento de se praticar futebol em alta temperatura, gramado irregular prejudica o toque de bola. O jogo termina empatado e a torcida revoltada invalida todo o trabalho que foi feito em 5 rodadas, sem tempo de treinamento e desenvolvido ao longo de alguns jogos. O time claramente em evolução é questionado de forma precoce. Considerando que muitos acharam o Santos um time bom, esse time levou em Penápolis de 4, sem temperatura elevada à noite e o Palmeiras no Pacaembú sofreu pra ganhar. Dois times teoricamente prontos e o nosso em formação sob condições ruins é questionado. Esse time tem sim o que precisa pra ganhar o Brasileiro, contratando um bom atacante que chegue pra disputar com Guerrero, mais um jogador que consiga jogar de volante/meia em uma das duas posições dos losangos, pra não recairmos somente no Renato Augusto e termos mais um reserva para Guilherme/Bruno Henrique, não só Danilo. Comparem nosso elenco com qualquer time campeão ou nossos rivais e vejam se não temos mais opções que eles. O que falta é paciência e tempo pro time desenvolver. Jogando Copa do Brasil, tendo tempo pra treinar, entramos encaixados no Brasileirão pra levar o caneco.


Por: Bira Deodato

Blog do Bira Deodato

Por Bira Deodato

Bira Deodato, nascido em 1986, Autônomo e Loucamente Corinthiano. ManicômioPretoBranco o ponto de encontro da emoção e da razão.

Comente o post de Bira Deodato

  • 1000 caracteres restantes