Corinthians aposta em nova mentalidade na Libertadores

Corinthians aposta em nova mentalidade na Libertadores

O Corinthians se reencontra nesta quarta-feira com a sua eterna obsessão, a Libertadores, tentando transformá-la numa competição como outra qualquer. 'A Libertadores é pequenininha perto do Corinthians', discursou o novo presidente do clube, Mário Gobbi. A estreia diante do Deportivo Táchira, às 22 horas (horário de Brasília), na Venezuela, evidencia os sinais desse novo comportamento corintiano, defendido pela comissão técnica e pela diretoria.

Desta vez, ninguém fala em favoritismo, como foi no ano do centenário (2010). E o fiasco diante do Tolima, no ano passado, ainda está fresco na memória corintiana. Ao contrário de outras edições da Libertadores, a aposta agora é na força do grupo. É no time que, segundo o técnico Tite, tem 'alma'. Nenhuma estrela foi contratada para se juntar ao campeão brasileiro. O principal reforço, por exemplo, estará no banco de reservas: o meia Douglas.

As últimas participações do clube na Libertadores foram marcadas pela presença de astros, como Carlitos Tevez (2005) e Ronaldo e Roberto Carlos (em 2010 e 2011). Mas há uma ironia: o jogador que foi contratado para ser o 'cara' da equipe mal jogou desde que chegou ao clube: Adriano, que nem sequer viajou para a Venezuela e continua fora do time.

O Corinthians 'galáctico' do passado na Libertadores virou o Corinthians 'operário' de Tite. Trata-se do comandante que tem o grupo nas mãos e põe titulares no banco sem cerimônias, além de ter sobrevivido ao fracasso decorrente da eliminação frente ao Tolima. O técnico diz que, agora, o time tem de mostrar que está mais maduro porque entra na sua terceira participação consecutiva.

'Não podemos jogar numa Bombonera e ver a bola ficar queimando no nosso pé', disse Tite, numa de suas várias entrevistas no CT do Parque Ecológico, citando o temido estádio do Boca Juniors, que, por sinal, volta à competição neste ano.

O elenco que estreia na Libertadores é basicamente o que mesmo venceu o título do Brasileirão. Todos os titulares foram mantidos. Este é outro ponto importante realçado por Tite. Segundo ele, a derrota para o Tolima, na fase preliminar da Libertadores do ano passado, deveu-se, em parte, à saída de alguns jogadores importantes do time. 'Nós disputamos a Libertadores de 2011 sem um mínimo de ajuste físico, impossível pelo tempo (de treinamento), e técnico, pela saída do Elias, do William', comparou o treinador.

Fonte: Futebol Interior

Veja Mais:

  • Oposicionista deve oficializar sua candidatura em breve

    Com diretores atuais como vice, Paulo Garcia se lança como candidato à presidência do Corinthians

    ver detalhes
  • Romarinho marcou sobre o Real Madrid, na semifinal do Mundial de Clubes de 2017

    Corinthians tira onda no Twitter após gol de Romarinho no Real Madrid

    ver detalhes
  • Novo uniforme branco do Corinthians na temporada 2017/18

    Corinthians e Nike renovam parceria até 2029; clube recebe bolada de luvas

    ver detalhes
  • Parte da dívida é relativa a venda de Felipe ao Porto

    Corinthians tem cerca de R$ 10 milhões a receber de clubes brasileiros e europeus

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes