Economia de gols deve ser tratada com perfeição

Economia de gols deve ser tratada com perfeição

A campanha corintiana no Campeonato Paulista é, de longe, animadora. Em oito jogos até aqui, o time comandado por Tite soma nada mais nada menos que seis vitórias e dois empates, computando 83% de aproveitamento dos pontos. Contudo, ainda assim, mesmo com a invencibilidade e a liderança dividida com o arquirrival Palmeiras, justamente o critério de desempate que deixa o Palmeiras em 1º, é algo que tem afligido os corintianos. Assim, a partir desta quarta, contra a Portuguesa, no Pacaembu, às 22h, o mandamento para todos os alvinegros é buscar a perfeição no campo.

Com apenas dez gols marcados no torneio regional, em oito partidas - algo que rende uma média de 1,25 por jogo -, o Corinthians vai conseguindo suas vitórias, mas a cada dia mais, parece que faz o mínimo para isso. E há uma explicação para isso. Segundo Tite, os escassos gols são reflexo do pouco treinamento de finalização feito pelos jogadores durante a pré-temporada e desde que o torneio estadual começou.

'Gostaria que fossem mais gols. Evitei fazer um trabalho de finalização no inicio da temporada, pois quando o jogador não tem a musculatura pronta, se fizer um trabalho de potência vai estourar', revela Tite, deixando claro que, se hoje o time tem marcado poucos gols, foi por uma preocupação exclusivamente sua. 'Estou assumindo esta responsabilidade', avisa o treinador, que antes mesmo de explicar o que pretende de seus jogadores a partir desta noite, já ordena: 'Digo sempre aos atletas que temos que trabalhar buscando a precisão'. Mas o chefe deixa claro que a tal precisão não é apenas aos atacantes.

Sem poder contar com o titular Emerson no duelo contra a Lusa, Tite terá Willian e Liedson à frente. Enquanto o substituto do Sheik vem de uma boa partida na última rodada, contra o São Caetano, em que fez o gol da vitória, o camisa 9 está longe de ser o conhecido goleador de outros tempos. Porém, na cabeça de Tite, não existe nenhuma ligação da escassez de gols de sua equipe com a baixa produtividade de Liedson. 'Ele não está devendo, é o nosso goleador. Precisa de um volume de treinamento maior e o técnico está dando. Não vai ser cobrado para fazer gol, a equipe é que vai ser cobrada', finaliza.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Jô falou com a imprensa nesta terça-feira já na Argentina

    Jô admite toque no braço, nega trapaça e abre o jogo sobre polêmica no Corinthians

    ver detalhes
  • Andrés Sanchez fez fortes declarações sobre polêmicas envolvendo o Timão

    Em vídeos, Sanchez critica CBF, rebate Eurico e fala sobre polêmica: 'Maior time da América Latina'

    ver detalhes
  • Romero conversou com a imprensa estrangeira no aeroporto da Argentina

    Com assédio a Romero e Cássio, delegação do Corinthians desembarca em Buenos Aires

    ver detalhes
  • Jô demonstrou desconforto durante viagem à Argentina

    Após polêmica, Jô demonstra forte abatimento; veja relato da viagem do Corinthians à Argentina

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes