Corinthians vê como um clássico o reencontro com a Ponte, a sua algoz no último Paulistão

Corinthians vê como um clássico o reencontro com a Ponte, a sua algoz no último Paulistão

Corinthians vê como um clássico o reencontro com a Ponte, a sua algoz no último Paulistão

Corinthians vê como um clássico o reencontro com a Ponte, a sua algoz no último Paulistão

Nove meses depois de ser eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final da última edição do Paulistão, o Corinthians reencontra nesta quarta-feira, às 17h, no Pacaembu, a sua algoz naquela competição, a Ponte Preta. Desde aquele revés corintiano por 3 a 2, no dia 22 de abril de 2012, no mesmo estádio, muita coisa mudou para o time do técnico Tite. A começar pelo gol. Após falhar feio em dois dos tentos ponte-pretanos, o goleiro Julio Cesar caiu em desgraça e perdeu a vaga de titular para Cássio, que meses depois brilharia tanto na conquista inédita da Libertadores, como no bicampeonato mundial.

Por essas e outras, e pela Ponte ter sido a vítima corintiana na histórica decisão do Paulistão de 1977, quando o Corinthians quebrou um jejum de 23 anos, todo confronto com a Macaca é considerado relevante pela torcida e, também, pelo próprio time.
 
'Eu considero que é um clássico contra a Ponte Preta, clássico na interpretação de que é um jogo difícil. Ela foi batida em 1977 no nosso título tão importante. E nos eliminou do Campeonato Paulista no ano passado', afirmou Tite, que definitivamente incorporou o espírito corintiano.
 
Mesmo diante de um 'clássico', o comandante alvinegro levará ao gramado do Pacaembu um time reserva. Mantendo o planejamento de escalar apenas reservas até a quarta rodada do Paulistão, Tite dará mais uma chance para Zizao, dentre outros. O chinês assim terá a oportunidade de engatar uma inédita sequência de duas partidas consecutivas como titular. Vale lembrar que até a boa participação no empate por 1 a 1 com o Paulista, no último domingo, o asiático só havia jogado 13 minutos, na derrota por 2 a 0 para o Cruzeiro, no último dia 17 de outubro, em Varginha (MG).
 
Em relação ao time que vai encarar a Ponte, que ficou num 0 a 0 com Mogi Mirim na primeira rodada, o Corinthians terá duas modificações já confirmadas: a entrada do goleiro Danilo Fernandes na vaga de Julio Cesar, por conta de um rodízio natural promovido por Tite, e a troca do meia Willian Arão pelo meia Nenê Bonilha, adiantando assim Guilherme para uma função mais ofensiva no meio-campo. Já o zagueiro Gil, que pode entrar na vaga de André Vinícius, ainda depende de uma quase certa inclusão de seu contrato no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), até o horário da partida, para ter condições legais de atuar.
 
Se não ocorrer nenhuma casualidade, o Timão entrará em campo com: Danilo Fernandes; Edenílson, Felipe, André Vinícius e Welder; Guilherme Andrade, Willian Arão, Guilherme e Giovanni; Zizao e Romarinho.
 
Já no lado da Ponte, a novidade será a presença do meia-atacante Chiquinho, que teve passagem apagada pelo Corinthians no segundo semestre do ano passado. Treinado por Guto Ferreira, o time de Campinas deve ir a campo com Edson Bastos; Artur, Cléber, Ferrón e Uendel; Baraka, Bruno Silva, Cicinho e Wellington Bruno; Chiquinho e William.

Foto: UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Alan Mineiro tem contrato com o Corinthians até o fim de 2018

    Após impasse, meia do Corinthians é anunciado como reforço do Fortaleza

    ver detalhes
  • Corinthians foi bicampeão mundial em 2012, diante do Chelsea, no Japão

    Grêmio cai, e Corinthians segue sendo último sul-americano campeão do Mundial da Fifa

    ver detalhes
  • Yago volta ao Corinthians na primeira semana de janeiro

    Após empréstimo, zagueiro é reintegrado ao Corinthians; Del'Amore no radar

    ver detalhes
  • Scarpa tem reunião marcada com empresários neste sábado

    Alvo do Corinthians, Scarpa agenda reunião com representantes para decidir futuro

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes