Federação só decidirá quanto doar à família de Kevin após amistoso

Federação só decidirá quanto doar à família de Kevin após amistoso

Federação só decidirá quanto doar à família de Kevin após amistoso

Federação só decidirá quanto doar à família de Kevin após amistoso

Gustavo Franceschini
Do UOL, em São Paulo

Apresentada como a principal beneficiária de um amistoso entre Bolívia e Brasil, a família de Kevin Espada ainda não pode dar como certa a contribuição que receberá. Até agora, a Federação Boliviana não decidiu a porcentagem que destinará aos pais do jovem morto em uma partida do Corinthians no fim de fevereiro, e só pretende fazê-lo após o amistoso do próximo sábado.

A informação foi confirmada pela própria Federação Boliviana. Segundo o responsável pela comunicação da entidade, Javier Silva, os cartolas vão esperar saber o quanto o jogo lucrará para depois, 'com calma', poderem fazer a divisão.

Já está certo, no entanto, que a família não ficará com toda a renda da partida. Parte da bilheteria será destinada aos campeões da Copa América de 1963 (então conhecida como Campeonato Sul-Americano), maior glória do futebol boliviano. Os ex-jogadores, no entanto, também não sabem quanto receberão por conta do amistoso.

A família de Kevin foi a grande motivação para a organização do amistoso, que acontecerá fora de uma data Fifa e em meio a campeonatos como a Libertadores e os Estaduais. O jovem de 14 anos morreu atingido por um sinalizador disparado por corintianos presentes no empate por 1 a 1 entre San Jose e Corinthians, pela primeira rodada do torneio continental.

O tom de luto do evento, no entanto, não impediu a Federação Boliviana de majorar o preço dos ingressos. Em um primeiro momento, cartolas da entidade anunciaram que o jogo em Santa Cruz de La Sierra custaria o mesmo valor das partidas das Eliminatórias Sul-Americanas.

Só que nos últimos dias eles voltaram atrás. Nas cadeiras, lugar mais nobre do estádio Ramon Aguillera, o bilhete salta de 350 bolivianos (R$ 102) para 400 bolivianos (R$ 118). Quem sofre mais, porém, são os mais pobres. Um ingresso de arquibancada em um jogo oficial da Bolívia normalmente custaria 50 bolivianos (R$ 14,6) e neste sábado sairá por 70 bolivianos (R$ 20), um aumento de 40% do valor inicial.

Segundo o jornal El Sol, de Santa Cruz de La Sierra, os ingressos começaram a ser vendidos na última terça, e há um temor de que eles encalhem pelo valor elevado. A confirmação de que Neymar, Ronaldinho Gaúcho e Alexandre Pato estarão em campo pode ajudar nas vendas.

O presidente da Federação Boliviana, porém, já esbanjava confiança antes mesmo da convocação de Luiz Felipe Scolari. 'Se pagam mais de 2 mil bolivianos [R$ 500] em um concerto, como não vão fazê-lo para ver o Brasil?', perguntou Carlos Chávez, segundo o El Sol.

Foto: UOL

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes
  • Sala de cabines de TV da Arena passa a ser chamada Lilácio Pereira Jr.

    Corinthians batiza sala de transmissões da Arena em tributo a vítima de acidente

    ver detalhes
  • Golaço de Marlone sobre Cobresal rendeu a ele indicação ao Puskás

    Marlone supera Messi e Neymar e vai à final do Prêmio Puskás da Fifa

    ver detalhes
  • Luidy (boné) conheceu o CT Joaquim Grava na última quinta-feira

    Contratação do Corinthians vai ao CT pela primeira vez

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes