Síndrome de elefante branco: estádios que caíram no ostracismo

Síndrome de elefante branco: estádios que caíram no ostracismo

Síndrome de elefante branco: estádios que caíram no ostracismo

Síndrome de elefante branco: estádios que caíram no ostracismo

Green Point

Construído na Cidade do Cabo para a Copa da África do Sul 2010, custou o equivalente a 2 bilhões de reais e, desde o fim do Mundial, não vem sendo utilizado nos torneios de futebol locais. Neste ano, nem sequer recebeu partidas da Copa Africana das Nações. A demolição do estádio chegou a ser cogitada pela prefeitura, mas esse símbolo do desperdício continua em pé.

15 milhões de reais é o custo anual de manutenção do Green Point

A casa do rúgbi

Stade de France: poucos amistosos / Crédito: Ricardo Corrêa
Palco da final da Copa de 1998, o Stade France, em Saint-Denis, recebe poucos amistosos e jogos oficiais da seleção francesa de futebol. Desde a Copa do Mundo de Rúgbi de 2007, vem dando mais espaço a esse esporte, muito popular na França. Os craques da Le Bleu têm atuado no Parc des Princes, mais próximo do centro de Paris, também usado pelo Paris Saint-Germain.

Jogos só no verão

Mar del Plata: aberto apenas uma vez por ano / Crédito: J.B. Scalco
O Estádio José María Minella, em Mar del Plata, foi construído em 1976 para a Copa de Mundo da Argentina dois anos depois. Desde então recebeu um único evento de porte, os Jogos Pan-Americanos de 1995. Como a cidade não tem nenhuma equipe na primeira divisão do país, o estádio é sede do torneio de verão, em janeiro, quando reúne as cinco maiores torcidas ?' todas de Buenos Aires.

Bons exemplos olímpicos

Estádio Olímpico de Munique: recebendo outros eventos / Crédito: Getty Images
O Estádio Olímpico de Munique foi contruído para os Jogos de 1972 e serviu também à Copa do Mundo de 1974 ?' sediou oito jogos, entre eles a final. Por quatro décadas, foi também a casa dos dois clubes locais, o Bayern e o Munique 1860. Em 2005, quando a Allianz Arena ficou pronta para a Copa de 2006, o Olímpico foi esquecido para o futebol. Bem localizado, vem se mantendo graças a shows, corridas de carro e outros eventos.

Já o Estádio Olímpico de Nagano, no Japão, erguido especialmente para os Jogos de Inverno de 1998 por um custo equivalente a 214 milhões de reais, vem sendo subutilizado. Com capacidade para 30 000 pessoas, passou a receber somente partidas de beisebol de times profissionais e amadores. Partida de futebol, para esses estádios, é coisa do passado.

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Índio deu a vitória ao Corinthians/UNIP

    Com gol no fim, Corinthians vira para cima do Sorocaba e se aproxima do título nacional

    ver detalhes
  • Oswaldo comandou atividades desta segunda-feira

    Oswaldo esboça Corinthians para duelo com Cruzeiro; veja provável escalação

    ver detalhes
  • Oya é um dos destaques do Timão na disputa no Sul do Brasil

    Timão joga bem, mas não impede segunda derrota na Copa Internacional Sub-20

    ver detalhes
  • Dispensado do Corinthians, Willians se pronuncia em rede social

    Dispensado do Corinthians, Willians se pronuncia em rede social

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes