Entrevista de Sócrates - "Tenho três vícios: cigarro, mulher e cerveja"

Entrevista de Sócrates - "Tenho três vícios: cigarro, mulher e cerveja"

Entrevista de Sócrates - "Tenho três vícios: cigarro, mulher e cerveja"

Entrevista de Sócrates - "Tenho três vícios: cigarro, mulher e cerveja"



Sócrates Brasileiro Sampaio de Souza Vieira de Oliveira, aos 54 anos continua o mesmo questionador da época de jogador. O ex-craque dentro de campo se tornou um mestre nas palavras. Inteligente, culto e politizado consegue expor seus pensamentos com clareza e  que pretende lançar uma chapa com o ex-jogador à presidência do Corinthians e até se arriscar na vida pública como Deputado Federal ou Senador.
 
 

 
 

 
Eu não queria. Em 1984, realmente eu recebi quatro convites: Inter de Milão, Napoli, Barcelona e um time francês,  acho que era o Racing. Não queria ir, aqui era a minha casa, o país passava por uma mudança democrática. Mas quando a emenda Dante de Oliveira ( lei que permitiria a eleição do presidente da República pelo voto direto) não passou no congresso, ai eu inverti a lógica. Eu disse que não iria, só que depois daquela decepção eu iria para o primeiro que time que aparecer. Por isso fechei com a Fiorentina.
 
 

- Eles não tem noção que seja isso. Os atletas, na maioria não têm formação educacional e muitos não sabem que passam nos seus próprios contratos. Na verdade é que temos que educar estes (jogadores de futebol). A sociedade tem que exigir que eles sejam educados pois estes são referências para a população menos favorecida.
 
 

 
- Não. O futebol virou comércio. Você compra e vende jogadores como produtos. E ele (Robinho) fez aquilo que mais o interessava no momento, que era ter mais dinheiro.
 

 
Aquela seleção era a cara do futebol brasileiro. Ainda, aquele time é referência no mundo inteiro. O sonho dos torcedores brasileiros era ver aquele futebol bem jogado. O resto é discutível. Até porque o que houve antes, pouca gente teve acesso.
 
 

 
- Foi como 'broxar' com uma mulher bonita e gostosa.(risos).
 
 

 
 
-  Não é só o Corinthians, são todos. Mas o clube vai mudar. Já deu exemplo mudando o estatuto, deixando o presidente ser eleito pelos votos dos associados. Está nova fase, eu chamo de 'A Segunda Democracia Corintiana'. Pois a comunidade corintiana resolveu controlar as ações dos seus executivos. O Dualib e o Nesi Curi já caíram fora, logo sairá o Andrés. E gradualmente vai ter a mudança do modelo de gestão. E o relacionamento entre o associado e o seu executivo começará a mudar.
 
 

 
- As atitudes dele como treinador são questionáveis. Ele ter colocado o Kaká e o Ronaldinho no banco de reservas destroem qualquer liderança do treinador. Você imagina com os outros jogadores pensam de um técnico que põem os dois melhores jogadores do mundo no banco.
 

 
 
O jogador não perde um emprego e sim uma profissão. Quando me separei da primeira mulher, eu voltei a jogar futebol, por instabilidade emocional, pois ali, era o  futebol era onde eu me sentia seguro.
 
 

 
 - Eu quis, fui até a casa do presidente , mas ele não reiterou o convite que havia feito antes por telefone. Ai, aceitei o convite do Santos.
 
 

 
Não. Eu tenho apenas três vícios: Mulher, cigarro e cerveja. Se eu arrumar outro vou ter que substituir por um destes.
 
 

 
 - Sim, gostaria de ser. Mas tenho apenas um mandato de conselheiro, preciso de dois. Mas estou articulando com o Wladimir uma chapa para a próxima eleição. E também quero falar com o , a respeito.
 

 
Realmente gostaria de expor meus pensamentos nas tribunas do congresso. Mas estou refletindo sobre o assunto, talvez eu possa sair candidato a senador ou a deputado federal.
 

 

Fonte: Terceiro Tempo

Veja Mais:

  • Corinthians/Americana pode não voltar a quadra no segundo semestre

    Campeão nacional, Corinthians/Americana chega ao fim, diz jornal

    ver detalhes
  • Cicinho, hoje no futebol búlgaro, deve pintar como reforço do Corinthians

    Final da Copa da Bulgária separa Corinthians de segunda contratação para o Brasileirão-2017

    ver detalhes
  • Pequeno torcedor conheceu também o xeque Al-Khelaifi, dono do clube francês

    Em Paris, torcedor-mirim surpreende xeique do PSG e pede contratação de atacante do Corinthians

    ver detalhes
  • Mesmo com nova lesão, diretoria do Corinthians pausa busca por novo zagueiro

    [Marco Bello] Mesmo com nova lesão, diretoria do Corinthians pausa busca por novo zagueiro

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes