Liberação de terreno do Fielzão será assinada nesta quarta, diz MP

Liberação de terreno do Fielzão será assinada nesta quarta, diz MP

Por Meu Timão

Ministério Público, Corinthians e a Prefeitura de São Paulo assinam nesta quarta-feira (4) um acordo sobre as contrapartidas que o clube alvinegro terá de realizar para continuar a explorar o terreno na Zona Leste de São Paulo, onde pretende construir um estádio de futebol com 65 mil lugares para o jogo inaugural da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. A informação é do promotor de Habitação e Urbanismo José Carlos de Freitas. Segundo ele, o acordo, que tem caráter judicial, será formalizado por volta das 17h na sede do Ministério Público, na região central da capital. Apesar disso, o início das obras do 'Itaquerão' no local ainda dependem de outras licenças da administração pública.

O próprio acordo programado para esta quarta ainda deverá ser homologado pelo Poder Judiciário para ter validade oficial. Ele foi uma exigência da Promotoria de Habitação e Urbanismo para que a concessão do espaço em Itaquera - dada pela administração pública ao time paulistano em 1988 - seja mantida até 2078. Pelo acordo, que após a homologação passará a se chamar Título Executivo Judicial, a agremiação terá de aplicar R$ 12 milhões na realização de obras sociais para a cidade. O valor se baseia numa lei municipal de 2007, que usa como cálculo o período de locação que o clube usufruiu do terreno nos últimos três anos.

- As partes chegaram a um acordo que será assinado hoje (quarta). O Corinthians terá de estabelecer junto com a Prefeitura contrapartidas sociais. O Ministério Público vai indicar um auditor e fazer trabalho para ver se dinheiro foi empregado para descontar ao longo - disse o promotor Carlos de Freitas na manhã desta quarta.

- Acho que a novela acaba hoje [quarta] de uma forma muito bonita. O Corinthians dará contrapartidas em projetos sociais, o que é muito a nossa cara. Temos uma identificação com a região de Itaquera. Já recuperamos ex-presidíário, fizemos campanhas de doação de sangue, projetos de combate à Aids - disse Luis Paulo Rosemberg, diretor de marketing do Corinthians.

- Um representante do nosso departamento jurídico vai assinar o acordo - emendou.

Em troca do acordo, o promotor Carlos de Freitas se comprometeu publicamente a retirar a ação civil que move desde 2001 contra o Corinthians na Justiça. O processo pede a 14ª Vara da Fazenda Pública a anulação da concessão e a devolução do terreno à Prefeitura porque o clube descumpriu uma de suas cláusulas: a de construir um estádio até 1993, o que não foi feito até hoje. A área de 200 mil metros quadrados, próxima à Avenida Jacu Pêssego e à Estação Corinthians-Itaquera do Metrô, é ocupada atualmente pelo Centro de Treinamentos do time.

Homologação

- A ação será retirada quando o acordo for assinado, protocolado e homologado pelo Poder Judiciário. O acordo põe fim ao processo - disse Carlos de Freitas.

O juiz Randolfo Ferraz de Vasconcelos é quem deverá oficializar o acordo sobre a cessão do terreno ao Corinthians.

- Já antecipei ao juiz o teor do acordo para ele realizar a homologação. Com a homologação do acordo em juízo será formado um Título Executivo Judicial, no qual o Corinthians terá de apresentar contas semestralmente - disse o promotor.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) ainda não tem informações de quando essa homologação deverá ser feita.

Ainda segundo o Ministério Público, o time alvinegro terá de indicar onde irá aplicar os recursos para a realização de projetos e obras nas áreas de educação, saúde e economia. O acordo determina que o Corinthians faça as contrapartidas sociais até 2019, sendo que um terço delas deverá estar concluída até dezembro de 2014, alguns meses após a Copa. Se o acordo não for cumprido, o clube terá de pagar uma multa em dinheiro de R$ 12 milhões.

Pendências

O desejo do Corinthians em erguer a sua arena ainda depende de licenças e autorizações que terão de ser fornecidas por secretarias da Prefeitura de São Paulo. Somente com elas será possível dar início às obras. Até agora, o time obteve aprovação da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) forneceu uma Certidão de Diretrizes permitindo a construção.

Apesar disso, o clube ainda depende de avaliações do Relatório de Impacto de Vizinhança (RIV), da Secretaria de Habitação (Sehab), da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) e do Conselho de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Cades).

A reportagem do G1 não conseguiu localizar nesta quarta os representantes da Prefeitura para comentarem o assunto.

Na manhã desta quarta, o Corinthians divulgou um relatório da administração do clube nos principais jornais do país. Nele havia uma citação sobre o estádio: “Menção merece, ainda, a aprovação pelo Conselho Deliberativo de um projeto verdadeiramente factível para construção de um Estádio. A evolução do projeto acha-se em andamento. Todas as pendências estão sendo solucionadas. As expectativas são alvissareiras”.

Fonte: Globoesporte

Veja Mais:

  • Marlone foi o destaque do treino desta quinta-feira

    Marlone marca, Caíque ganha chance e Oswaldo volta a ensaiar escalação do Corinthians

    ver detalhes
  • Rodriguinho admitiu possível saída do Corinthians

    Rodriguinho cogita saída do Corinthians: 'Vamos sentar e conversar'

    ver detalhes
  • Léo Jabá, marcado por Balbuena a imagem acima, está à disposição de Oswaldo

    Léo Jabá tranquiliza Corinthians após susto e está à disposição para jogo contra Cruzeiro

    ver detalhes
  • Corinthians tem missão complicada por vaga na Libertadores

    Resultado da Copa do Brasil complica ainda mais situação do Corinthians rumo à Libertadores

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes