Camisa do Timão é a segunda mais vendida em todo o Brasil no ano de 2010

Camisa do Timão é a segunda mais vendida em todo o Brasil no ano de 2010

Um dos assuntos que muito interessam ao torcedor se refere a quem vende mais camisas oficiais no Brasil. Com isto em mente, enveredei esforços ao longo das últimas semanas, apurando e pesquisando sobre o tema. O resultado pode ser conferido a seguir:

1) Flamengo/Olympikus* 1,3 milhão

2) Corinthians/Nike** 1,038 milhão

3) Palmeiras/Adidas** 1,027 milhão

4) São Paulo/Reebok* 380 mil

5) Inter /Reebok* 280 mil

6) Cruzeiro/Reebok* 150 mil

7) Figueirense/Fila 40 mil

8) Atlético-GO/Super Bolla 10 mil

9) Paraná Clube/Kanxa 2.839 unidades

* Informações apuradas extra-oficialmente

** Informações divulgadas na mídia

Antes de tudo, gostaria de esclarecer que o ranking acima é de elaboração bastante complexa. Infelizmente, diversos clubes não se propuseram a disponibilizar seus dados, entre eles Santos, Atlético-PR, Atlético-MG, Coritiba e Vasco. Tudo por conta das “clausulas de confidencialidade”, tão comuns no contrato com fornecedores de material esportivo. Outros (como Botafogo, Fluminense, Grêmio, Avaí e Bahia) não retornaram aos contatos realizados. Por isso, mesmo a contragosto, a lista reflete a realidade do mercado de forma apenas parcial.

Logo de cara, nos deparamos com a liderança rubro-negra em mais este departamento. Surpreende o fato de o Flamengo ter vendido tantas camisas em 2010 quanto em 2009 – ano do hexa (em apenas seis meses, ressalta-se). Nem a má vontade da torcida com o logo da Batavo (ampla, geral e irrestrita) ou a péssima campanha no Brasileirão foram capazes de ofuscar a euforia proporcionada pelo Império do Amor.

Uma informação interessante divulgada pelo jornalista Lauro Jardim, da Veja: entre as 1,3 milhão de camisas do Flamengo, aproximadamente 100 mil foram da terceira camisa azul e amarela – sucesso especialmente entre os pequenos torcedores. Eis um ranking que seria muito interessante. Entrariam na conta a camisa roxa do Corinthians, a cruz templária vascaína, as camisas laranja e grená do Fluminense e a verde-limão do Palmeiras.

Em seguida, surge um derby paulistano incrivelmente equilibrado. O pouco mais de um milhão de peças vendidas pelo Corinthians são excelentes, mas se justificam pelo ano do Centenário e o efeito-Ronaldo – maior case de sucesso na história do marketing nacional. Já os números palmeirenses soam espetaculares. Há anos sem títulos e em sucessivas crises políticas, a torcida do Palmeiras conseguiu minimizar a enorme diferença no tamanho das duas massas. E provou que “fidelidade” não é exclusividade alvinegra.

Posteriormente, vemos o São Paulo em uma posição pouco usual. Quando o tricolor paulista dominou o Campeonato Brasileiro – no triênio 2006-2008 – costumava liderar o ranking vendendo cerca de 400 mil peças/ano. Percebe-se que ao perder a preponderância, a torcida deixou de responder, demonstrando grande sensibilidade aos resultados esportivos.

A partir de então, Internacional e Cruzeiro se enquadram na faixa em que a maior parte dos ausentes se encontraria. O Figueirense foi outro a vender muito bem, especialmente pelo alcance local do clube. É possível que as vendas de Atlético-PR e Coritiba tenham acontecido neste mesmo patamar. Verifica-se que uma boa campanha no acesso (da B à A – caso do Figueira) costuma render mais do que o normal. É o caso do Atlético-GO, que comercializou 12 mil peças no acesso (2009), mas caiu para 10 mil em 2010. Na lanterna aparece o Paraná Clube, único representante da segundona entre os relacionados.

Diante do exposto, verificamos que o futebol brasileiro realmente decolou nos últimos anos – fruto do aumento no poder aquisitivo e do bom desempenho da economia. Este grande boom chegou ao ponto de elevar nossos maiores clubes ao nível de gigantes europeus. Levantamento feito pelo site Sporting Intelligence (http://www.sportingintelligence.com/2010/08/31/revealed-the-worlds-best-selling-club-football-shirts-310802/ linkar) comprova que Real Madrid e Manchester United venderam – entre 2005 e 2009 – entre 1,2 e 1,5 milhão de camisas. Em crise, não houve evidência de crescimento para 2010.

Há alguns anos, era praxe ouvir que “quando o futebol brasileiro se profissionalizasse, ninguém seguraria”. Pois aos trancos e barrancos, a bonança econômica fez com que aquele futuro distante chegasse. Apesar de haver bem menos profissionalismo do que o desejado, este é um momento único e não pode ser desperdiçado. Principalmente porque não se sabe até quando a tormenta que assola as economias mundiais continuará chegando como simples marolinha.

Um grande abraço e saudações!

Camisa do Timão é a segunda mais vendida em todo o Brasil no ano de 2010

Fonte: Blog Teoria dos Jogos

Enviado por: Matheus Rodrigues

Veja Mais:

  • Wladimir será o mais novo colunista do Meu Timão

    Herói de 77 será colunista do Meu Timão

    ver detalhes
  • Dudu revelou que jogadores do Palmeiras tinham conhecimento de confusão feita pelo árbitro no clássico

    Atacante palmeirense diz por que não avisou árbitro de erro em expulsão de Gabriel

    ver detalhes
  • Jadson treinou nesta quinta-feira e não será problema para final no Moisés Lucarelli

    Jadson volta, e Carille ensaia escalação do Corinthians para primeira decisão do Paulista

    ver detalhes
  • Fiel esgotou bilhetes colocados à venda no Fiel Torcedor

    Em menos de uma hora, torcida do Corinthians esgota ingressos para decisão do Paulista

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes