Camisa do Timão é a segunda mais vendida em todo o Brasil no ano de 2010

Camisa do Timão é a segunda mais vendida em todo o Brasil no ano de 2010

Um dos assuntos que muito interessam ao torcedor se refere a quem vende mais camisas oficiais no Brasil. Com isto em mente, enveredei esforços ao longo das últimas semanas, apurando e pesquisando sobre o tema. O resultado pode ser conferido a seguir:

1) Flamengo/Olympikus* 1,3 milhão

2) Corinthians/Nike** 1,038 milhão

3) Palmeiras/Adidas** 1,027 milhão

4) São Paulo/Reebok* 380 mil

5) Inter /Reebok* 280 mil

6) Cruzeiro/Reebok* 150 mil

7) Figueirense/Fila 40 mil

8) Atlético-GO/Super Bolla 10 mil

9) Paraná Clube/Kanxa 2.839 unidades

* Informações apuradas extra-oficialmente

** Informações divulgadas na mídia

Antes de tudo, gostaria de esclarecer que o ranking acima é de elaboração bastante complexa. Infelizmente, diversos clubes não se propuseram a disponibilizar seus dados, entre eles Santos, Atlético-PR, Atlético-MG, Coritiba e Vasco. Tudo por conta das “clausulas de confidencialidade”, tão comuns no contrato com fornecedores de material esportivo. Outros (como Botafogo, Fluminense, Grêmio, Avaí e Bahia) não retornaram aos contatos realizados. Por isso, mesmo a contragosto, a lista reflete a realidade do mercado de forma apenas parcial.

Logo de cara, nos deparamos com a liderança rubro-negra em mais este departamento. Surpreende o fato de o Flamengo ter vendido tantas camisas em 2010 quanto em 2009 – ano do hexa (em apenas seis meses, ressalta-se). Nem a má vontade da torcida com o logo da Batavo (ampla, geral e irrestrita) ou a péssima campanha no Brasileirão foram capazes de ofuscar a euforia proporcionada pelo Império do Amor.

Uma informação interessante divulgada pelo jornalista Lauro Jardim, da Veja: entre as 1,3 milhão de camisas do Flamengo, aproximadamente 100 mil foram da terceira camisa azul e amarela – sucesso especialmente entre os pequenos torcedores. Eis um ranking que seria muito interessante. Entrariam na conta a camisa roxa do Corinthians, a cruz templária vascaína, as camisas laranja e grená do Fluminense e a verde-limão do Palmeiras.

Em seguida, surge um derby paulistano incrivelmente equilibrado. O pouco mais de um milhão de peças vendidas pelo Corinthians são excelentes, mas se justificam pelo ano do Centenário e o efeito-Ronaldo – maior case de sucesso na história do marketing nacional. Já os números palmeirenses soam espetaculares. Há anos sem títulos e em sucessivas crises políticas, a torcida do Palmeiras conseguiu minimizar a enorme diferença no tamanho das duas massas. E provou que “fidelidade” não é exclusividade alvinegra.

Posteriormente, vemos o São Paulo em uma posição pouco usual. Quando o tricolor paulista dominou o Campeonato Brasileiro – no triênio 2006-2008 – costumava liderar o ranking vendendo cerca de 400 mil peças/ano. Percebe-se que ao perder a preponderância, a torcida deixou de responder, demonstrando grande sensibilidade aos resultados esportivos.

A partir de então, Internacional e Cruzeiro se enquadram na faixa em que a maior parte dos ausentes se encontraria. O Figueirense foi outro a vender muito bem, especialmente pelo alcance local do clube. É possível que as vendas de Atlético-PR e Coritiba tenham acontecido neste mesmo patamar. Verifica-se que uma boa campanha no acesso (da B à A – caso do Figueira) costuma render mais do que o normal. É o caso do Atlético-GO, que comercializou 12 mil peças no acesso (2009), mas caiu para 10 mil em 2010. Na lanterna aparece o Paraná Clube, único representante da segundona entre os relacionados.

Diante do exposto, verificamos que o futebol brasileiro realmente decolou nos últimos anos – fruto do aumento no poder aquisitivo e do bom desempenho da economia. Este grande boom chegou ao ponto de elevar nossos maiores clubes ao nível de gigantes europeus. Levantamento feito pelo site Sporting Intelligence (http://www.sportingintelligence.com/2010/08/31/revealed-the-worlds-best-selling-club-football-shirts-310802/ linkar) comprova que Real Madrid e Manchester United venderam – entre 2005 e 2009 – entre 1,2 e 1,5 milhão de camisas. Em crise, não houve evidência de crescimento para 2010.

Há alguns anos, era praxe ouvir que “quando o futebol brasileiro se profissionalizasse, ninguém seguraria”. Pois aos trancos e barrancos, a bonança econômica fez com que aquele futuro distante chegasse. Apesar de haver bem menos profissionalismo do que o desejado, este é um momento único e não pode ser desperdiçado. Principalmente porque não se sabe até quando a tormenta que assola as economias mundiais continuará chegando como simples marolinha.

Um grande abraço e saudações!

Camisa do Timão é a segunda mais vendida em todo o Brasil no ano de 2010

Fonte: Blog Teoria dos Jogos

Enviado por: Matheus Rodrigues

Veja Mais:

  • Jadson e Fagner estão liberados para atuar na estreia da Copa Sulamericana

    Timão recebe aval da Conmebol para utilizar Jadson e Fagner; clube ainda quer documento

    ver detalhes
  • 'Herói' do Dérbi, Jô deve voltar a ganhar chance como titular diante do Mirassol. Tá querendo!

    Embalado pós-clássico, Corinthians coloca confiança à prova contra sensação do Paulistão

    ver detalhes
  • Camisas do Corinthians em promoção no ShopTimão

    Veja 7 camisas do Corinthians que você pode comprar por menos de 50 reais

    ver detalhes
  • Próximo desafio do Corinthians no Paulistão, Mirassol tem a melhor campanha do estadual

    Por que o Mirassol, adversário do Corinthians, virou a sensação do Paulistão 2017

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes