Com um ano de obras, veja o que mudou no estádio do Corinthians

Com um ano de obras, veja o que mudou no estádio do Corinthians

O sonho corintiano do estádio próprio começou a ser construído há um ano. Em 30 de maio de 2011, mesmo sem contrato e sem os controversos incentivos fiscais necessários para transformar o espaço em palco de um jogo de abertura de Copa do Mundo, a Odebrecht, parceira do Corinthians na obra, deu os primeiros passos no terreno do antigo CT da base corintiana em Itaquera.

Desde então, em um festival de arranjos políticos e acordos com a Fifa, o estádio que está sendo erguido na zona leste de São Paulo avançou a passos largos. Tem quase 40% de obras concluídas (com promessa de 60% até o final do ano).


No atual estágio da obra estão sendo executados diversos serviços no canteiro, como a construção de um muro de contenção entre o edifício oeste e um dos estacionamentos a céu aberto, a instalação de pilares, das vigas jacaré, das lajes e dos degraus (nas arquibancadas sul e leste).

Um dos dois túneis que servirão de saídas de emergência nos dias de jogos e shows já foi totalmente concluído. O outro está em fase final de acabamento, bem como a galeria subterrânea de serviço. Já com um avanço de 35%, a obra conta hoje com 180 equipamentos e quase 1.800 trabalhadores, divididos em três turnos de trabalho.

Neste último mês, o Ministério Público denunciou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, pelos incentivos fiscais liberados por ele para as obras em Itaquera. A despeito disso, a Odebrecht fez apelo às autoridades por mais verba para conduzirem a obra. A empresa informou ainda que até dezembro o estádio terá 60% das obras concluídas.

Durante o ano de obras, uma das principais dúvidas que pairavam sobre o andamento das obras diziam respeito aos dutos da Petrobrás que estavam instalados no terreno em Itaquera. Em outubro o Corinthians anunciou que chegou a um acordo com a Petrobrás e em abril, com 32% das obras concluídas, os dutos foram, enfim, realocados.

Para cumprir o cronograma e entregar o estádio pronto em dezembro de 2013, a Odebrecht estipulou em janeiro um terceiro turno de trabalho no futuro estádio do Corinthians. O 'turno da madrugada' faz com que durante 22 horas por dia as obras não parem em Itaquera.

Depois de um ano do anúncio do estádio (quando o Corinthians desdenhou da Copa), a Fifa oficializou em outubro de 2011 que será em Itaquera o primeiro jogo da Copa de 2014.

O curioso foi que em setembro do ano passado, quando as obras já tinha três meses do seu início, o cronograma oficial da Odebrecht para a conclusão da obra era julho de 2014, quando a Copa já estará na sua metade. Para cortar gastos do o projeto original do estádio, a empresa cortou hidromassagem e placas de mármore.

O orçamento oficial da obra, estipulado em julho do ano passado, foi fechado em R$ 820 milhões. O valor só pôde ser atingido depois que Kassab liberou R$ 420 milhões em incentivos fiscais. O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, chegou a dizer o estádio custaria R$ 1 bilhão.

Os outros R$ 400 milhões dos R$ 820 milhões do orçamento oficial serão emprestados pelo BNDES a fundo bancário do qual o Corinthians é fiador. O clube pagará a este fundo o dinheiro que o BNDES emprestará. Este acordo ainda não foi concluído.

As informações são do IG

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Marlone foi o destaque do treino desta quinta-feira

    Marlone marca, Caíque ganha chance e Oswaldo volta a ensaiar escalação do Corinthians

    ver detalhes
  • Rodriguinho admitiu possível saída do Corinthians

    Rodriguinho cogita saída do Corinthians: 'Vamos sentar e conversar'

    ver detalhes
  • Léo Jabá, marcado por Balbuena a imagem acima, está à disposição de Oswaldo

    Léo Jabá tranquiliza Corinthians após susto e está à disposição para jogo contra Cruzeiro

    ver detalhes
  • Corinthians tem missão complicada por vaga na Libertadores

    Resultado da Copa do Brasil complica ainda mais situação do Corinthians rumo à Libertadores

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes