Réu, Emerson reconhece erro e pede melhora da arbitragem

Réu, Emerson reconhece erro e pede melhora da arbitragem

São Pauo - Herói do empate corintiano ao marcar o gol nos últimos minutos, Emerson Sheik terá pouco tempo para saborear o gostinho. Nesta sexta, o atacante será julgado pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta da expulsão e das ofensas (‘você é um ladrão e safado’) ao árbitro Péricles Bassols, no jogo contra o Atlético-MG.

Caso Emerson pegue pena máxima, que é de 21 jogos, o Timão só terá o atleta em campo no Mundial de Clubes.

'Eu sei ser grande, eu sei reconhecer o erro. Agora, eu também espero, como atleta profissional do futebol brasileiro, que a CBF e a comissão de arbitragem ou sei lá quem é responsável, que melhore e conserte a arbitragem. Não adianta o atleta e o clube serem punidos e o futebol não melhorar', afirmou Emerson, na saída do campo.

Como o jogador não é réu primário e foi <CW-9>enquadrado em três infrações do Código brasileiro de Justiça Desportiva: artigo 250 (praticar ato desleal ou hostil, com punição de um a três jogos), 258 (assumir conduta contrária à ética ou disciplina desportiva, suspensão de até seis duelos) e 243-F (ofender alguém em sua honra, mais seis partidas), o departamento jurídico acredita que ele pegue um gancho de três a cinco jogos. Por isso, o Timão já prepara um efeito suspensivo para o atacante atuar no Dérbi.

A intenção é evitar que Emerson perca muitos jogos, pois ele mesmo reconhece que o Nacional é usado como preparação para o Mundial de Clubes.

 'O Brasileirão serve de preparação. O importante é entrosar, pois tem o pessoal que chegou, tem gente entrando no time. É importante manter o padrão. O tempo passa rápido e o Mundial está aí', destacou.

Sobre o empate com a Ponte Preta, Emerson Sheik reconhece que o adversário fez por merecer o resultado ao complicar a partida como já havia feito no Campeonato Paulista e no primeiro turno do Brasileirão.

'Sabíamos da dificuldade. É um time competitivo demais, que incomoda, marca bem, explora os contra-ataques e os nosso erros. Mas está bom, eles jogaram para caramba. Fizeram três gols impedidos. Não dá para tirar o mérito da Ponte', analisou o camisa 11, que enfatizou a vontade demonstrada pela equipe até o fim. 'O Corinthians respeita desta maneira, correndo e brigando até o último minuto.'
 

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Pablo foi campeão paulista e brasileiro pelo Corinthians em 2017

    Corinthians volta a negociar com Pablo e pode contratá-lo para 2018, diz portal

    ver detalhes
  • Kazim não deve permanecer no Corinthians em 2018

    Corinthians quer definir destino de Kazim nos próximos dias; chegada de Dutra deve atrapalhar turco

    ver detalhes
  • Fellipe Bastos pode ser emprestado para outro clube em 2018

    Com chegada de reforço, Corinthians estuda empréstimo de Fellipe Bastos

    ver detalhes
  • Minds Idiomas segue na manga da camisa corinthiana em 2018

    Com até bolsa de estudos a jogadores, Corinthians renova com patrocinador para manga da camisa

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes