Tite alimenta disputa interna para evitar relaxamento do grupo

Tite alimenta disputa interna para evitar relaxamento do grupo

Tite está sofrendo no Corinthians. A afirmação não faria sentido lembrando que ele comanda um grupo campeão da América e com o apoio da torcida e da diretoria. No entanto, desde a conquista da Libertadores, o técnico precisou mudar seu estilo de trabalho para manter o grupo focado. A preguiça e o relaxamento pelo título continental mudou o dia a dia. Durante os treinos, preleção e intervalos, o ‘pau tem que cantar’ nos vestiários. O chefe está bravo com a desatenção dos seus jogadores no Brasileirão.

'Antes eu levantava a mão, durante a Libertadores e o Paulista, e todos já olhavam. Agora, eu preciso gritar. ‘Ei, precisa correr, treinar forte senão vai machucar. Ei, se ficar no departamento médico vai perder sua vaga’', gritou o técnico durante entrevista coletiva.

Para aumentar a vontade dos jogadores, Tite tem incentivado uma disputa interna por posição.

 'Eu não sei a base do time titular, ninguém tem vaga garantida. É um período da equipe se formatando', disse.

Um ponto-chave nesta cobrança foi justamente o Botafogo, adversário de domingo. No primeiro turno, a equipe foi atropelada pelos cariocas e perdeu por 3 a 1, no Pacaembu, carimbando a faixa da Libertadores.

'Depois daquele jogo talvez tenha sido um dos momentos mais importantes dentro do Corinthians. A boleirada tomou um chega para lá. Nós perdemos aquele jogo, mas o resultado foi mais do que justo', lembrou o comandante.

A cobrança depois daquela partida foi tão grande que alguns jogadores deixaram os vestiários nervosos. Paulinho foi um deles. Na ocasião, o volante afirmou que tinha feito sua pior partida com a camisa do Corinthians e cobrou uma definição por parte do clube e de seus empresários sobre sua permanência ou saída. O meia Alex também deixou o Pacaembu falando em sair. A partir dali, a diretoria agiu e resolveu todos os processos de negociação. O clima melhorou, mas Tite ainda precisa gritar de vez em quando, pois a preguiça voltar a perseguir seus atletas.

'O Botafogo foi um marco, mas a retomada é no dia a dia'.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Gustavo Scarpa está negociando com o Corinthians para 2018

    Arquirrival perde força, e Corinthians volta ao páreo pela contratação de Scarpa

    ver detalhes
  • Flávio Adauto não é mais diretor de futebol do Corinthians

    Em nota oficial, Corinthians anuncia saída de Adauto e Piovesan

    ver detalhes
  • Andrade permanece à frente do Corinthians apenas até fevereiro de 2018

    Corinthians estima superávit em 2018; clube pretende arrecadar R$ 50 milhões em vendas

    ver detalhes
  • Alessandro falou sobre o planejamento do Corinthians para 2018

    Alessandro explica busca de reforços e comenta volta de dois emprestados: 'Díficil'

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes