Cássio diz que mau desempenho em casa tirou o Timão da briga pelo título

Cássio diz que mau desempenho em casa tirou o Timão da briga pelo título

Em nono lugar no Campeonato Brasileiro, o Corinthians deve usar o restante da competição como preparação para o Mundial de Clubes, em dezembro. A situação, porém, não agrada ao goleiro Cássio, que, nesta sexta-feira, lamentou o fato de a equipe não brigar mais pelo título do torneio.

Para o arqueiro, o desempenho ruim do Timão dentro de casa foi primordial para afastar as chances de levar a taça. 'Acho que a gente não ficou feliz de perder tantos pontos em casa, isso atrapalhou muito. Se tivesse um aproveitamento melhor, acho que brigaria pelo título. O campeonato é muito disputado', analisou Cássio.

Outra questão que pode ter atrapalhado o Corinthians é a falta de motivação da equipe após a conquista da Libertadores. Para Cássio, a diferença no formato de disputa entre o torneio sul-americano e o Brasileirão explica a irregularidade nas atuações.

'Na Libertadores é mata-mata, tem de entrar a mil por hora. No Brasileiro, às vezes, há desatenção, alguns jogos a gente estava para ganhar em casa, mas vacilou, empatou, perdeu... Às vezes, acontece porque o campeonato é muito longo. Mas estamos conseguindo lidar com isso agora, ganhando jogos mais importantes', completou.

 

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Jadson vestiu a camisa 10 do Corinthians durante o hexa brasileiro

    Clube chinês libera Jadson, que fica livre para negociar retorno ao Corinthians

    ver detalhes
  • Com Pedrinho, Timão tenta chegar aos oito melhores da Copinha

    Corinthians decide vaga às quartas da Copinha contra o Internacional

    ver detalhes
  • Com Fellipe Bastos, elenco do Corinthians está pronto para viajar rumo aos Estados Unidos

    Com reforços e sem atacante, Corinthians divulga relacionados para viagem aos EUA

    ver detalhes
  • Corinthians estreia na quarta-feira

    Corinthians conhece adversário do primeiro confronto pela Florida Cup

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes