De olho Mundial, Danilo lembra época em que viveu no Japão

De olho Mundial, Danilo lembra época em que viveu no Japão

Danilo pretende voltar a morar no Japão

Danilo pretende voltar a morar no Japão

Foto: Rafael Neddermeyer / Agência O Dia

Com a mesma habilidade e experiência que usa para dar uma assistência ou marcar um gol quando joga partidas decisivas, Danilo segura o hashi (palito japonês) para apreciar a sua culinária favorita: a japonesa. A convite do MARCA BRASIL, o meia relembrou, em um jantar no restaurante TanoShi, no Tatuapé, em São Paulo, o período em que desfrutou de sushis, sashimis e outras especialidades da cozinha nipônica, nos dois anos em que viveu no Japão (de 2007 até 2009).

'Quando cheguei ao Kashima (Antlers, clube da primeira divisão do futebol japonês) não imaginava que ia gostar de comida japonesa. Nunca tinha comido no Brasil e não ia muito com a cara. No começo, sofri um pouco, mas depois passei a gostar demais. Hoje, sou completamente apaixonado pela comida e amo', contou o corintiano enquanto saboreava seus pratos preferidos ao lado de sua esposa Mirian Andrade.

Foram mais de duas horas de permanência do meia junto com a reportagem. O período suficiente para Danilo contar tudo o que viveu no Japão e o que o Corinthians deve encontrar no fim do ano, durante a disputa do Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro.

'O Japão é um país que gostei demais. Meus filhos (Danilo tem três) são encantados pelo país. O povo é muito educado. Quero um dia voltar a morar por lá. E, com certeza, o Corinthians vai ser muito bem tratado', contou o meia, que, além de se livrar de seus rivais dentro de campo no Japão, precisou driblar um ritual afrodisíaco da cultura japonesa.

'Adoro a comida, mas tenho trauma de saquê (bebida alcoólica típica japonesa) e não tomo. Um dia, em um restaurante, eles me serviram a bebida, mas, antes de beber, cortaram a cabeça de uma tartaruga e derramaram o sangue dela. Disseram que eu tinha tomar assim. É claro que não tomei, você é louco (risos)!', garantiu.

Fonte: Marca Brasil

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes