Basquete do Corinthians

Basquete

Fuller é um dos destaques da equipe do Corinthians que se classificou para os playoffs do NBB em 2019

Foto: Beto Miller/Ag. Corinthians

A trajetória atual do Corinthians no basquete teve início em 2017, quando o clube apostou no projeto de retomada no esporte. A história alvinegra, porém, é de grande tradição. O Corinthians já foi um dos grandes clubes brasileiros, conquistando, inclusive, um título Sul-Americano e um vice-campeonato mundial, nos anos 60. Um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos, Oscar Schmidt, já vestiu a camisa do Timão. Além dele, Wlamir Marques tornou-se ídolo do vitorioso basquete corinthiano e hoje dá nome ao ginásio do Parque São Jorge.

Na nova fase, que iniciou em 2017, o Corinthians venceu a Liga Ouro e garantiu o acesso para o Novo Basquete Brasil (NBB). Em sua primeira temporada no torneio, bateu recorde: fez a melhor campanha de um time estreante da competição nacional, chegando até as quartas de final.

A equipe feminina também tem tradição na modalidade. O basquete feminino começou a ser praticado na década de 1950, e logo foi conquistando títulos. Na virada das décadas de 1950 e 1960, as mosqueteiras dominaram o basquete paulistano. Elas foram pentacampeãs paulistas entre 1959 e 1963. Partiram para vôos internacionais e conquistaram competições como o Torneio Internacional de Assunção, no Paraguai, e a Copa América em 1964. As principais atletas desse período foram Adilia, Jussara, Vânia, Ana, Dalva, Daise, Angelina, Dinice, Célia, Registina, Ruth, Ercilia, Sueli e Elza Zaragoza, Nilza, Marlene, Ivone, Lourdes, Carmem Silva e Luigina.

Comentários

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!