Auxiliar de Carille analisa início de Tiago Nunes no Corinthians e prevê futuro difícil para o treinador

Marco Bello

Setorista do Corinthians desde 2009 pela Rádio Transamérica, Marco Bello acompanha o dia a dia do clube

ver detalhes

Auxiliar de Carille analisa início de Tiago Nunes no Corinthians e prevê futuro difícil para o treinador

Coluna do Marco Bello

Entrevista de Marco Bello

11 mil visualizações 53 comentários Comunicar erro

Auxiliar de Carille analisa início de Tiago Nunes no Corinthians e prevê futuro difícil para o treinador

Walmir Cruz foi preparador físico em todos os últimos títulos do Corinthians ao lado de Carille

Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians

Walmir Cruz, preparador físico que trabalhou até recentemente no Corinthians e fez parte das campanhas do tri do Paulista e do título do Brasileiro de 2007, falou a respeito da difícil situação pela qual passa o clube do Parque São Jorge e o atual técnico Tiago Nunes.

Atualmente no Al-Ittihad, da Árabia Saudita, ao lado de Fábio Carille, Walmir disse entender que o ex-técnico do Timão teve certa vantagem por já conhecer o Corinthians. Cenário bem diferente do enfrentado por Tiago Nunes.

"É difícil a gente palpitar à distância. A gente sabe que o Fábio e eu tivemos uma vantagem muito grande que era conhecer o clube. Isso faz você erra menos. É difícil chegar um novo profissional, logo de cara querer mudar toda uma filosofia e dar certo assim rapidamente", contou, em entrevista ao Meu Timão.

"Eu não sei o que acontece lá dentro, nos bastidores, mas espero que o clube se recupere nas últimas duas rodadas", completou, falando sobre o Paulistão que segue indefinido por conta da pandemia do novo coronavírus.

O ex-preparador ainda pontuou como vê a situação atual do Corinthians, qual o principal erro de Tiago Nunes e deu conselhos ao técnico. Veja abaixo!

Confira as respostas de Walmir Cruz

Mas o que mais dificultou este início de trabalho do Tiago Nunes para você, Walmir?

"Esta questão da eliminação na pré-Libertadores pesa muito, envolve muito dinheiro, o clube conta com isso para fazer outras contratações. É difícil lidar com isso".

A situação chega a ser preocupante?

"É difícil falar a distancia, mas é preocupante sim. A gente torce, porque tem vários amigos ali dentro, e a gente torce para que as coisas corram da melhor forma possível e saiam dessa situação mais rapidamente".

Qual o principal erro do Tiago Nunes?

"Eu acho que ele está pagando justamente por essa mudança. Ele está tentando implementar essa filosofia, esse conceito de jogo. Eu conheço o Tiago. Ele é um cara extremamente capaz, foi campeão no Athletico Paranaense, é um cara capacitado. Mas uma mudança é difícil em qualquer setor da vida. Você demora um pouquinho a pegar no breu. Então, eu desejo que eles saiam rapidamente dessa situação, porque o Corinthians nestes últimos anos, com o Tite, com o Mano, com o Fábio, foi super campeão. E manteve uma ideologia. E a gente conseguiu conquistar vários títulos assim".

Se não se classificar no Paulista, para você, há risco de queda do treinador?

"É difícil a gente falar à distância, eu creio que se derem tempo pra ele trabalhar, ele consegue acertar a casa. Se não derem, vai ter outra mudança. Acontece. Tá acontecendo aqui na Arábia, a cada três meses eles trocam os técnicos, mudam-se os treinos, muda-se tudo", disse.

"Se for eliminado no Paulista vai aumentar bastante a pressão. A gente tem que ser realista, já houve eliminação na pré-Libertadores. No Campeonato Paulista é muito grande essa pressão por causa do tricampeonato que a gente conseguiu. Já vi que teve manifestação da torcida em cima não só de atletas mas da diretora também, então é pressão para todo mundo. Corinthians, quando você está bem e é campeão, você vive nas nuvens, mas do outro lado a cobrança é muito forte".

Qual conselho você daria hoje ao Tiago Nunes?

"É preciso ter muita sabedoria para sair dessa situação. Conselho à distância é difícil. A melhor coisa são as pessoas se reunirem, não só com a diretoria, com os jogadores. Para ver o que tá sendo feito de errado. Onde que pode corrigir pra que o carro ande, porque ele tá patinando e não ta saindo do lugar. Então acho que as pessoas tem que sentar, conversar e achar a melhor maneira pra sair dessa situação. Porque é ruim pra todo mundo. Ninguém gosta de perder, de ser xingado, às vezes a gente não pode nem sair na rua porque a pressão é muito grande. A saída é por aí, conversar e acertar rapidamente os detalhes".

Veja mais em: Fábio Carille e Tiago Nunes.

Coluna do Marco Bello

Por Marco Bello

Marco Bello é jornalista, apresentador e repórter da Rede Transamérica de Rádio, setorista do Corinthians desde 2009

O que você achou do post do Marco Bello?