Dez considerações após o vice da Copa do Brasil

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

ver detalhes

Dez considerações após o vice da Copa do Brasil

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

5.3 mil visualizações 76 comentários Comunicar erro

Dez considerações após o vice da Copa do Brasil

Corinthians perdeu a final da Copa do Brasil 2018 para o Cruzeiro

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O tetracampeonato da Copa do Brasil não veio. O vice é amargo para o Corinthians e para o torcedor corinthiano. Algumas considerações sobre a perda do título e algumas de suas consequências:

1) A torcida do Corinthians foi o grande destaque da campanha. A Copa do Brasil apenas foi uma continuação do que os torcedores haviam feito antes do segundo jogo da final do Paulista, antes da semifinal contra o Flamengo, etc. Inclusive na postura após o vice, cantando o hino do clube. Sem reparos.

2) Campanha digna. E muito digna. Um clube que não tem as dimensões do Corinthians teria parado na semifinal ou até antes. E, diante de todas as limitações, chegou a flertar com a vitória e os pênaltis na finalíssima. Jogadores limitados, mas que foram ao limite. Merecem elogios;

3) Não existe polêmica no tal "jogou com um time que nunca treinou". Quatro dias antes, contra o Santos, o mesmo esquema (4-2-3-1), com Sheik e Jonathas em campo. Algo precisava ser tentado para mudar o marasmo ofensivo que existia. E foi tentado por Jair. Não foi por time escolhido que perdeu o título;

4) Rodriguinho e Maycon fazem muita falta ao Corinthians, bem mais do que Balbuena e Sidcley. A dupla sempre fez a transição defesa e ataque. O volante, com fôlego impressionante, trazia a bola de trás. O meia fazia o trabalho "sujo", de costas, girando, encontrando espaços. Isso sem falar nos seus gols...;

5) A diretoria contratou inúmeros garotos em 2018. Agora é dar tempo ao tempo a todos eles. Mas é preciso também dar sustentação aos jovens com outros reforços mais experientes. O Cruzeiro, campeão, tinha todos seus titulares perto ou acima dos 30 anos. Experiência é sinônimo de título mais perto.

6) Os dirigentes do Corinthians precisam se esforçar para tentar segurar quem já tem história no clube. Dos 14 jogadores do Cruzeiro que entraram em campo na noite desta quarta-feira, 12 estavam no título da mesma Copa do Brasil em 2017. Isso faz diferença.

7) É preciso agora ter uma mobilização em cima do Brasileirão. Nem acho que, neste momento, o risco de rebaixamento é tão grande como estão dizendo por aí. Só não pode bobear. Seria um "feito" gigante não conseguir vencer três de NOVE jogos. Tem de ser muito "competente". Seria um "case de sucesso"...

8) Jair Ventura precisa melhorar seus números. Não dá para um treinador do Corinthians ter apenas 30% de aproveitamento, mesmo não tendo culpa de muitos dos erros cometidos no clube nesta temporada. Defesa melhorou? Sim. Mas o time, de uma maneira geral, não. É preciso resolver isso. E urgente;

9) O ano de 2016, em termos de título, foi pior do que 2018, ano que estará registrado pra sempre o eterno título paulista na casa do maior rival. A perspectiva para 2017 era bem baixa. E dois títulos vieram. Se organizar, o cenário pode ser outro novamente em 2019. Basta querer e fazer;

10) O VAR é bom. A ideia é boa. Mas ele é operado por uma pessoa, que pode ou não ser competente. Os dois lances foram equivocados. Houve compensação com o vídeo, algo inédito no futebol brasileiro e, provavelmente, mundial. Estão jogando contra uma boa ideia. E bem contra...

Veja mais em: Copa do Brasil.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e por 12 anos foi repórter e editor no Diário Lance!. Participa, quando convidado, de programas esportivos no SporTV e na Band.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?