Pediu R$ 20 milhões e não vendeu ao Corinthians e hoje é processado pelos mesmos R$ 20 milhões

Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

ver detalhes

Pediu R$ 20 milhões e não vendeu ao Corinthians e hoje é processado pelos mesmos R$ 20 milhões

Coluna do Rodrigo Vessoni

Opinião de Rodrigo Vessoni

33 mil visualizações 72 comentários Comunicar erro

Pediu R$ 20 milhões e não vendeu ao Corinthians e hoje é processado pelos mesmos R$ 20 milhões

Em 2016, o Corinthians tentou contratar o volante Rithely, então com 25 anos, que fazia sucesso no Sport; pernambucanos são processados hoje pelos mesmos R$ 20 milhões

Foto: Williams Aguiar/Sport Club Recife

O ano era 2016. Eu trabalhava no jornal LANCE! quando o Corinthians tentou contratar o volante Rithely, então com 25 anos, que fazia sucesso no Sport.

Os pernambucanos fizeram o possível e o impossível para não vender, trataram o jogador como se ele fosse um novo Xavi ou novo Iniesta. E pediram nada menos do que R$ 20 milhões por apenas 50% dos direitos econômicos.

O Corinthians, nas figuras do gerente de futebol Alessandro Nunes e do diretor de futebol Flávio Adauto, disse não. Era muito dinheiro. Não quiseram pagar. Óbvio.

Rithely permaneceu no Sport, onde ficou em 2017 e 2018, foi emprestado ao Inter em 2019 e voltou à cidade de Pernambuco em 2020.

Na noite desta terça-feira, quatro anos depois de o Sport dizer "não" ao Corinthians, leio a seguinte manchete no GloboEsporte.com: "Rithely aciona Sport na Justiça do Trabalho cobrando R$ 20 milhões".

Incrível. Quatro anos depois, os mesmos R$ 20 milhões pedidos pelo Sport ao Corinthians se transformaram em R$ 20 milhões pedidos pelo jogador ao próprio Sport. E na Justiça.

O mundo dá voltas.

E o clube pernambucano, da pior maneira, deve ter aprendido a lição: um clube menor negar uma venda de jogador a um clube maior deve ser a exceção da exceção. Com um motivo muito específico.

A chance de o bonde passar e não voltar mais à estação é enorme.

Aliás, é quase certa...

Veja mais em: Diretoria do Corinthians, Mercado da bola, Flávio Adauto e Alessandro.

Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete, necessariamente, a opinião do Meu Timão.

Coluna do Rodrigo Vessoni

Por Rodrigo Vessoni

Formado pela FIAM, trabalhou na Rádio Transamérica e, por 12 anos, no LANCE!. Neste momento, também é repórter da Rádio 9 de Julho, SP (AM 1600). Participa ainda, quando chamado, de programas na TV.

O que você achou do post do Rodrigo Vessoni?