Piton pode perder a posição no Corinthians, mas não por causa de nome

Tomás Rosolino

Tomás Rosolino é jornalista faz um tempo. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, ex-Agora SP e Gazeta Esportiva. Hoje no Meu Timão. Vejo muito esporte, todo dia, o dia todo.

ver detalhes

Piton pode perder a posição no Corinthians, mas não por causa de nome

Coluna do Tomás Rosolino

Opinião de Tomás Rosolino

94 mil visualizações 195 comentários Comunicar erro

Piton pode perder a posição no Corinthians, mas não por causa de nome

Sidcley começou o ano na reserva por estar acima do peso no Corinthians

Foto: Daniel Augusto Jrl/Ag. Corinthians

A Florida Cup deixou uma boa impressão a respeito do time do Corinthians e basicamente confirmou a ideia inicial de equipe que Tiago Nunes tem para a temporada, mais móvel e com meio-campistas que trabalhem bem a bola pelo chão. A maior surpresa, ao menos para mim, foi a presença de Lucas Piton na lateral esquerda, na vaga de um Sidcley ainda acima do peso. E isso deve permanecer enquanto o reforço não se confirmar como uma boa contratação em campo.

A ver: gosto do futebol de Sidcley, acho que teve uma passagem muito acima da média no Corinthians e, pelo tempo de cobertura no clube, é um dos jogadores mais humildes que já vi atuando no Timão. Nada disso deve assegurar titularidade ao um atleta que jogou tão pouco em 2019 e chegou ao time fora das condições ideais de um jogador profissional.

Ressalto esse ponto porque o Corinthians tem um começo de ano bastante atribulado, principalmente pela disputa da Pré-Libertadores, em que a experiência é sempre vista como essencial para o sucesso de uma equipe. Motivou até a polêmica entre Fábio Carille e Mateus Vital, no ano passado. Um atleta bem preparado fisicamente, porém, é mais importante do que isso.

Por isso sustento que, mesmo com apenas três jogos como atleta profissional, sendo só um deles oficial, Lucas Piton deve ser o lateral-esquerdo do Corinthians neste começo de ano. E, se mantiver a boa média apresentada até aqui, não deve perder seu posto para Sidcley apenas pelo nome do contratado.

Pela apresentação nos Estados Unidos, Piton mostrou personalidade e entendimento do modelo de jogo proposto por Tiago Nunes. Além do passe para o gol de Ramiro, conseguiu cortar saídas de bola do adversário e combinou bem na saída de bola com os passadores Cantillo e Camacho. Sidcley tem mais "cancha", claro, mas isso não assegura grande desempenho.

Quem não se lembra do encontro com o Tolima, em 2011, quando diversos jogadores se apresentaram ainda longe das condições físicas ideais. O resultado: mesmo com um elenco estrelado, incluindo Roberto Carlos e Ronaldo, eliminação e uma temporada colocada a perder, salva por um grande título brasileiro em dezembro.

O Timão tem quatro jogos de Campeonato Paulista, um deles o clássico contra o Santos, antes de batalhar por uma vaga na fase de grupos da Libertadores. Período bom para que os corinthianos cheguem com o mínimo de entendimento da nova proposta de jogo e alcancem um posto essencial para a sequência da temporada.

Veja mais em: Lucas Piton, Sidcley e Tiago Nunes.

Coluna do Tomás Rosolino

Por Tomás Rosolino

Tomás Rosolino é jornalista faz um tempo. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, ex-Agora SP e Gazeta Esportiva. Hoje no Meu Timão. Vejo muito esporte, todo dia, o dia todo.

O que você achou do post do Tomás Rosolino?