Comentário de Victor Hugo em "Zoeira sem limites: Gobbi vira Gobbilanska..."