Corinthians e São Paulo salvam público nos "jogos da TV fechada"

Corinthians e São Paulo salvam público nos "jogos da TV fechada"

Em 2011, a CBF tentou inserir os jogos aos sábados, às 21h, na tabela do Brasileirão. Não deu certo: o horário foi abolido antes do fim do primeiro turno por causa do público baixo. Em 2013, o horário sobrevive com números aceitáveis. Esse fenômeno, porém, só é possível graças ao Corinthians.

O time mais popular da capital teve duas partidas, como mandante, marcadas para o horário. E seu público ajudou a aumentar a média do dia. O mesmo aconteceu com o São Paulo e as quintas-feiras, que tem média de torcedores superior às quartas-feiras, por exemplo.

"Essas são datas e horários que visam a TV fechada, mas ainda assim podem atrair o público. Muitos criticam os jogos às 21h, mas não é uma ideia ruim. A questão do público é a qualidade do jogo. Quando tem Corinthians e Flamengo, mesmo no sábado às 21h, o público vai ao estádio", analisa o especialista em gestão esportiva Amir Somoggi.

A tese faz sentido. A média de público dos sábados às 21h é de quase 12 mil pessoas. Não é um número alto, mas ainda assim é superior a quartas-feiras às 19h30 (8.702 torcedores) e às 21h (7.440) – também supera jogos às 16h20 (10.616), mas apenas quatro jogos foram marcados para o horário.

A média, porém, é turbinada por dois jogos do Corinthians. Na primeira rodada do Brasileirão, o time empatou em 1 a 1 com o Botafogo no Pacaembu, com 29.295 torcedores. Na terceira rodada, venceu a Ponte Preta por 1 a 0, com 24.449 nas arquibancadas.

Nas outras oito partidas realizadas no horário, só três passaram da marca dos dez mil torcedores: Grêmio 3 x 2 Portuguesa (19.565 expectadores), Vasco 2 x 3 Grêmio (15.781) e Fluminense 0 x 2 Santos (10.481). Quatro delas, inclusive, nem mesmo passaram dos cincos expectadores - Ponte Preta 0 x 2 Botafogo (3.473), Portuguesa 1 x 1 Cruzeiro (2.769), Ponte Preta 0 x 0 Bahia (3.325) e Ponte Preta 1 x 0 Santos (4.407).

O caso é parecida com o das quintas-feiras, mas com o São Paulo. Com média de 16.029 torcedores, o dia só perde para o domingo em popularidade. Isso só acontece, porém, porque, durante a má fase do time, a diretoria do clube iniciou promoções para levar público ao Morumbi.

O resultado dessas ações foi bem e, em duas partidas, empate em 1 a 1 Atlético-PR (25.827) e derrota por 2 a 1 para o Criciúma (33.738), a média de público das quintas subiu bastante. O dia, porém, tem números melhores do que os sábados às 21h, com apenas quatro dos 11 jogos realizados com menos de 10 mil pessoas e nenhum com marcas abaixo dos cinco mil torcedores.

AS MAIORES MÉDIAS DE PÚBLICOS POR DATAS NO BRASILEIRÃO

Domingo – 16h - 21.915 de média
Quinta-feira – 21h - 16.407 de média
Quinta-feira – 19h30 - 15.367 de média
Quarta-feira – 22h - 14.271 de média
Sábado – 18h30 - 14.048 de média
Domingo – 18h30 - 14.026 de média
Terça-feira – 21h - 12.217 de média
Sábado – 21h - 11.955 de média
Sábado – 16h20 - 10.616 de média
Quarta-feira – 19h30 - 8.702 de média
Terça-feira – 19h30 - 7.845 de média
Quarta-feira – 21h - 7.440 de média
Quarta-feira – 15h - 3.366 de média

AS MAIORES MÉDIAS DE PÚBLICO POR DIAS DA SEMANA NO BRASILEIRÃO

Domingo - 18.420 de média
Quinta-feira - 16.029 de média
Sábado - 13.238 de média
Quarta-feira - 10.195 de média
Terça-feira - 9.303 de média

Fonte: Uol Esportes

Veja Mais:

  • Farfán foi companheiro de Guerrero na seleção do Peru

    Jornalista revela interesse do Corinthians em atacante peruano

    ver detalhes
  • Camisa a ser usada pelo Corinthians contra o Cruzeiro tem escudo da Chapecoense

    Em ação no Twitter, Corinthians exibe uniforme em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Equipe feminina do Timão foi ao CT Joaquim Grava no início de novembro

    Corinthians renova parceria com Audax e confirma equipe feminina para 2017

    ver detalhes
  • Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    Castán posta foto com taça do penta e recebe pedidos para voltar; veja

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes