Estádio da abertura da Copa não está seguro, dizem bombeiros

Estádio da abertura da Copa não está seguro, dizem bombeiros

Arena do Corinthians não pode ser liberada dizem bombeiros. Clube tem 26 irregularidades para resolver. Medidas serão atendidas, dizem Corinthians e Odebrecht

O Corpo de Bombeiros de São Paulo diz que o projeto técnico da Arena Corinthians ainda não foi apresentado para avaliação final e que, dessa forma, segundo nota divulgada para o G1, "o estádio não está seguro para receber o público, tendo em vista que ainda não se adequou à legislação vigente e não possui o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros".

De acordo com o major Sidnei Turato, o clube ainda tem 26 irregularidades apontadas no projeto para responder, ainda não informou a lotação exata do estádio nem como as pessoas podem sair em caso de emergência.

Se o projeto técnico de segurança contra incêndio não for modificado, os bombeiros dizem que não podem emitir o "auto de vistoria", documento que é exigido pela prefeitura para emitir um outro documento, o Habite-se, que atesta a conclusão da obra. Depois do Habite-se, ainda será preciso que a prefeitura autorize que o estádio sirva como "local de reunião de pessoas" para que receba o jogo de abertura da Copa do Mundo, marcado para dara daqui a dois meses.

A Odebrecht e o Corinthians dizem que "várias sugestões de ajustes já foram incorporadas ao projeto" e que pretendem entregar os documentos aos bombeiros, já com as correções, "provavelmente ainda nesta semana".

Major Turato, do Corpo de Bombeiros, diz que sistema de evacuação do estádio ainda é preocupação. Em documento, comandante dos bombeiros alerta o MP sobre irregularidades (Foto: Tahiane Stochero/G1)

Os bombeiros têm, por lei, 30 dias para fazer a vistoria após a aprovação do projeto, mas dizem que analisarão o caso assim que receberem a resposta.

Cerca de 65 mil pessoas são esperadas para a partida de Brasil x Croácia, em 12 de junho. A Odebrecht promete entregar a arena finalizada ao Corinthians daqui a 14 dias.

"A Copa está chegando e nossa maior preocupação é com a segurança e com as saídas de emergência, que não estavam adequadas conforme as exigências da legislação estadual. Até hoje não nos apresentaram os documentos”, diz o major Sidnei Turato.

Odebrecht e o Corinthians dizem que o novo projeto vai atender à norma dos bombeiros: "o estudo atual, revisado, garante a evacuação do público em no máximo 8 minutos". "Todas as medidas solicitadas pelos bombeiros estão sendo atendidas", afirma a construtora.

Em reuniões seguintes, o clube apresentou um estudo que mostrava dificuldades para os torcedores deixarem a Arena no tempo máximo. Entre as medidas paliativas apontadas estava a retirada das três primeiras fileiras horizontais da arena ou uma fileira vertical de cada lado da saída de emergência. "Pelo estudo, isso resolveria”, explica o oficial.

Escadas

Em outubro de 2013, os responsáveis pela obra levantaram outra hipótese: em um pedido de parecer técnico, questionaram se os bombeiros aceitariam a configuração das escadas abertas para emergência. Uma comissão analisou o caso e publicou no Diário Oficial do estado, em 10 de janeiro, o veredicto: o pedido seria aceito desde que fossem cumpridas algumas exigências para não ocorrer acúmulo de fumaça, como a instalação de sistemas de detecção de incêndio e chuveiros automáticos.

Fonte: Estádio VIP

Veja Mais:

  • Romero será um dos titulares na última partida do ano

    Libertadores, vingança e tributo: Corinthians encara Cruzeiro neste domingo

    ver detalhes
  • Patch de homenagem a Chapecoense na camisa do Corinthians

    Veja imagens da camisa do Corinthians com o patch da homenagem a Chapecoense

    ver detalhes
  • Marinho vem sendo pedido por torcedores do Corinthians para 2017

    Pedido pela torcida do Corinthians, Marinho admite deixar Vitória em 2017

    ver detalhes
  • Simi passou sete anos no Corinthians

    Simi reclama de saída do Corinthians e projeta 'final às avessas' da LNF no Parque São Jorge

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes