São Paulo vai tentar acordo amigável com o Corinthians pela escalação de Pato

São Paulo vai tentar acordo amigável com o Corinthians pela escalação de Pato

Por Meu Timão

São Paulo quer tentar acordo para usar Pato

São Paulo quer tentar acordo para usar Pato

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

A diretoria do São Paulo já definiu que vai tentar, de maneira amigável, entrar em acordo amigável com o Corinthians para que Pato e Jadson possam atuar no clássico de domingo.

A proposta "oficial" por esse acordo ainda não foi feita, mas já é considerado certo por parte dos dirigentes corinthianos que qualquer iniciativa desse tipo será recusada.

A única possibilidade aceita é o rival pagar a multa estipulada em contrato de empréstimo dos jogadores. E o valor não é baixo: R$ 1 milhão de reais e, pelo que se sabe, nenhuma das agremiações vai desembolsar esse valor.

- Não nos incomoda ver o Jadson jogando pelo Corinthians e claro que queremos o Pato atuando até pelo bom momento que vive. Só que isso tudo ainda é procedimento estudado. Só vamos agir depois do duelo contra o Coritiba (quarta-feira) - disse o gerente de futebol do São Paulo, Gustavo Vieira de Oliveira.

Pelo lado do Timão, a posição oficial é de que Jadson não será usado em hipótese alguma, seja por pagamento de multa ou acordo com o São Paulo.

Veja Mais:

  • Auricchio (à dir.) passou a integrar diretoria da base do Corinthians

    Corinthians nomeia ex-diretor de futebol para cargo na base

    ver detalhes
  • Após 1 a 1 na Arena, Timão volta a campo contra São Paulo na tarde deste domingo

    Rival tropeça, e Corinthians pode diminuir distância para primeira colocação geral

    ver detalhes
  • Carille não confirmou a equipe titular que enfrenta o São Paulo

    Rodriguinho não treina e Balbuena volta: veja provável escalação do Corinthians para o Majestoso

    ver detalhes
  • Em rede social, Kazim responde Gabriel: 'Pra cima dos bambis'

    Em rede social, Kazim provoca São Paulo antes de clássico: 'Pra cima dos bambis'

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes