Empresa que deu calote no Timão afirma que parceria foi ruim e deu prejuízo

Empresa que deu calote no Timão afirma que parceria foi ruim e deu prejuízo

Por Meu Timão

Camisa do Timão com o patrocínio da Apito Promocional

Camisa do Timão com o patrocínio da Apito Promocional

Foto: Divulgação

No campeonato brasileiro de 2012, o Corinthians fechou um patrocínio pontual com a empresa Apito Promocional por sete partidas. Entretanto, de acordo com o Uol, dos R$ 1,6 milhão combinados, a empresa só pagou R$ 500 mil, e o Timão acabou recorrendo à Justiça.

A empresa, em sua defesa, argumentou que a parceria não teve resultados e gerou prejuízo. A ação alvinegra corre na 19ª Vara Cível de São Paulo desde março do ano passado, e cobra o valor atualizado de R$ 1,3 milhão.

Vale destacar que a ação ainda não foi julgada. O clube paulista teve dificuldades na citação do ex-patrocinador: em duas tentativas, em endereços diferentes, o oficial de justiça não encontrou nenhum representante da empresa.

A Apito Promocional Alegou que investiu R$ 3 milhões na parceria. Porém, não teve o retorno esperado e, em função disso, não poderia pagar o restante do valor.

- Não foram poupados esforços para que a campanha promocional fosse bem sucedida, tendo ela (a empresa) feito divulgação nos principais meios de comunicação, arcando com todos os custos operacionais que superaram R$ 3,2 milhões (...) a campanha não deslanchou, o que comprometeu seriamente suas finanças, tendo-a impossibilitado de efetuar o pagamento integral do valor acertado no contrato de patrocínio - diz o documento da defesa da Apito Promocional.

A empresa alega ainda que assumiu todos os riscos do negócio e que esperava a adesão de pelo menos três milhões de torcedores. Além disso, foi dito que a parceria não foi para frente por "motivos alheios à sua vontade". A Apito também diz que houve acordo verbal com o Timão para rescindir o contrato sem o resto do pagamento, fato negado pelo clube.-

- O uso da conhecida, valiosa e cobiçada camisa da equipe de futebol profissional do Corinthians foi concedido ao réu para a promoção e divulgação de sua marca, de acordo com a obrigação pactuada, mas não foi pago, em contrapartida, o valor ajustado no contrato -diz o alvinegro no processo.

Veja Mais:

  • Vidotto, Léo Príncipe, Bastos e Giovanni: quarteto não está nos planos em 2018

    Vetados do Paulistão e 'encostados': os nove jogadores que não devem ficar no Corinthians

    ver detalhes
  • Renê Júnior foi apresentado no início da atual temporada

    Mesmo sem clube quando contratado, Renê Júnior custará R$ 5 milhões aos cofres do Corinthians

    ver detalhes
  • Kazim destoou em goleada corinthiana sobre São Caetano; Neto 'pediu cabeça' do atacante

    Com até cutucada em Tite, Neto detona manutenção de Kazim como titular do Corinthians

    ver detalhes
  • Warian está fora dos planos de Carille para 2018

    Por questões contratuais, volante tem empréstimo dificultado e pode ficar encostado no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes