Depois de investigação sobre acordo, STJD notifica Corinthians

Depois de investigação sobre acordo, STJD notifica Corinthians

Por Meu Timão

Timão foi apenas advertido em relação a acordos com Guerrero, Sheik e Pato

Timão foi apenas advertido em relação a acordos com Guerrero, Sheik e Pato

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

O Corinthians só foi advertido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportivo (STJD) nesta segunda-feira. O clube foi julgado, ao lado de outros 11 clubes brasileiros, em relação a prática do famoso "acordo de cavalheiros".

O julgamento foi realizado no Rio de Janeiro, na sede da entidade, e durou cerca de duas horas. O auditor responsável foi o Dr. Felipe Bevilacquia e foi comandado pela 1ª Comissão Disciplinar do STJD.

Além do Corinthians, o Flamengo, o Grêmio, o Atlético-MG, o Sport, o Internacional e o Coritiba também foram advertidos. Já o Cruzeiro, o Palmeiras, o Goiás, o Vasco da Gama e o São Paulo, foram absolvidos.

O julgamento foi feito para analisar os acordo feitos de maneira informal para impedir que jogadores emprestados não atuem contra seus clubes de origem. Nesse caso, o Corinthians teve três atletas que se enquadraram na análise: Paolo Guerrero e Emerson Sheik, no Flamengo, e Alexandre Pato, no São Paulo. O Corinthians poderia ter pago uma multa de cerca de R$ 300 mil reais, caso o STJD o considerasse culpado.

Veja Mais:

  • Corinthiano Luidy é o novo reforço do Figueirense

    Anunciado por clube da Série B, Luidy agradece Corinthians

    ver detalhes
  • Timão e Caixa não chegaram a acordo pela renovação

    Corinthians recebe ofertas, mas pode permanecer sem patrocínio master na decisão; veja imposições

    ver detalhes
  • Fagner não corre risco de perder finais do Paulistão

    Julgamento de Fagner por suposta agressão no Majestoso acontecerá só após finais do Paulistão

    ver detalhes
  • Jadson, com a 10, fez um dos gols contra a Universidad de Chile na Arena

    Corinthians vai devolver camisa 10 a Jadson; utilização na decisão ainda é incógnita

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes