Vascaínos ameaçam corinthianos e proíbem crianças e mulheres em São Januário

Vascaínos ameaçam corinthianos e proíbem crianças e mulheres em São Januário

Por Meu Timão

Torcida do Vasco tem histórico de violência contra organizadas do Corinthians

Torcida do Vasco tem histórico de violência contra organizadas do Corinthians

Foto: Reprodução / TV

O clima do jogo entre Corinthians e Vasco, no próximo dia 19, promete ser pesado. A rivalidade entre as duas torcidas já é conhecida e ganhou mais um capítulo negativo nesta segunda-feira. Uma mensagem incentivando a violência no dia do jogo está sendo divulgada e chegou até a redação do MEU TIMÃO.

Membros de uma das organizadas, a Força Jovem do Vasco, estão repassando uma mensagem com "instruções" do que deve ser feito no dia do jogo contra o Timão. O texto é assustador. "Não é jogo de festa, é guerra", abre a mensagem, que logo em seguida proíbe a presença de mulheres e crianças no estádio.

O nível desce ainda mais, avisando que é dia de limpar a 38 - arma comum no Brasil -, e que o ônibus da delegação do Corinthians será alvo de pedras e bombas. "É dia de tirar soco inglês da gaveta, de passar pano úmido no oitão, recepcionar jogador e torcida com pedras, morteiro e bomba, se voltarem com menos de 10 janelas quebradas nem comemoro", continua.

A mensagem também é direcionado aos torcedores do Vasco, deixando bem claro que não será permitido não gritar e não pular em nenhum momento do jogo. O texto ainda incentiva o uso de bombas e "morteiros" durante a partida, para "vingar aquela criança", fazendo alusão ao ocorrido com Kevin Spada, em Oruro, em 2013.

A tensão para esse confronto já é grande. As duas torcidas possuem um histórico violento e a partida será realizada em São Januário - um estádio menor e com problemas de acesso -, que pode acabar facilitando o encontro entre as organizadas.

Confira na íntegra a mensagem

"Só sei que Vasco e Gambás, é jogo pra diretoria meter ingresso a 2 reais pra quem for de Vasco, é jogo pra cair alambrado, não é jogo de festa, é guerra, mulher e criança estão proibidas de ir. É dia dedar calote na ida e na volta, fazer churrasco e encher a cara 6 horas antes do jogo, dia de tirar soco inglês da gaveta, de passar pano úmido no oitão, recepcionar jogador e torcida com pedras, morteiro e bomba, se voltarem com menos de 10 janelas quebradas nem comemoro. Quem cantar olê olê olê vai entrar na porrada, é pra ficar sem voz, pra arrebentar a veia do pescoço, deixar o goleiro deles cego com laser, Gda e seus guardas chuva e cachecóis não são bem vindos nesse jogo. É jogo pra vaiar gamba com a bola no pé o tempo todo, pular igual louco no estádio, xingar família toda do juiz, entrar com bombas escondida nas calças, mandar o gepe tomar no cu, jogar morteiros nos gambas e vingar aquela criança, tentar pular pro lado deles várias vezes, deixar o gepe tonto no estádio, ameaçar mãe de bandeirinha, pular a roleta, já entrar vomitando de tanto pó nas ventas, ir na tribuna agredir idoso filho da puta que não acredita, dia de distribuir TÁ LIGADO em quem não cantar, dia de gritar acabou o amor, vai começar o inferno... É guerra caralho, tudo pelo Vasco, porra!!!!!!!!!!!!!"

Veja Mais:

  • Michel (à esq.) e o sobrinho foram ao Maracanã naquele 23 de outubro

    Terceiro corinthiano solto no Rio desabafa: 'Fui pra ver o jogo, não pra brigar'

    ver detalhes
  • Torcedores na Arena poderão adicionar patch da Chapecoense em camisas

    Loja da Arena irá personalizar grátis camisas em homenagem à Chapecoense

    ver detalhes
  • Corinthians já definiu profissionais que devem permanecer e ser negociados

    Isaac, Mendoza, Oswaldo... Confira quem chega e quem sai do Corinthians

    ver detalhes
  • É tudo política, estúpido!

    [Marco Bello] É tudo política, estúpido!

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes