Danilo abre coração sobre Corinthians e explica ausência na despedida de Ceni

Danilo abre coração sobre Corinthians e explica ausência na despedida de Ceni

Por Meu Timão

136 mil visualizações 273 comentários Comunicar erro

Nos Estados Unidos, Danilo marcou o primeiro gol do Corinthians na temporada 2016

Nos Estados Unidos, Danilo marcou o primeiro gol do Corinthians na temporada 2016

Foto: Daniel Augusto Jr./Ag. Corinthians

O meia Danilo está incontestavelmente na história do Corinthians. Desde 2010 com a camisa alvinegra, já venceu Paulistão (2013), Brasileirão (2011 e 2015), Libertadores (2012), Mundial de Clubes (2012) e Recopa Sul-Americana (2013). De contrato renovado até o fim de 2016, novas conquistas podem surgir no clube que o próprio camisa 20 chama de "casa".

"É opção. Estou num grande clube. Eu me sinto em casa aqui, com a camisa do Corinthians, no clube. Então quis ficar. Onde eu joguei até hoje cumpri contrato. Não acho legal sair no meio de um contrato", explicou Danilo em entrevista reproduzida nesta terça-feira no programa GloboEsporte, da TV Globo.

Hoje no Corinthians, Danilo também já fez muito sucesso com a camisa de um rival. Quando jogava no São Paulo, foi campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes de 2005. Isso tudo ao lado do goleiro e amigo Rogério Ceni, que se aposentou na temporada passada. Ainda assim, o veterano meia de 36 anos mostrou respeito à camisa corinthiana e recusou participar da festa de despedida.

"Pra mim era um prazer, mas jogo num rival, no Corinthians. Acho que é uma coisa que não iria pegar bem. É algo de cada um, de opinião. Achei melhor não ir", argumentou o camisa 20 alvinegro.

O Corinthians de Danilo volta a campo nesta quarta-feira, contra o Santa Fe, na Arena, pela Libertadores. O meia, que iniciou a temporada como titular na função de centroavante, deve começar a partida no banco de reservas. Problema? Que nada! Oportunidade para os recém-chegados escreverem histórias semelhantes à que o camisa 20 já eternizou no Timão.

"Para os jogadores mais novos eu pego no pé e falo: 'Tem que ser campeão'. Se você ficar um ano aqui e não ganhar nada, ninguém vai lembrar. Então você tem que vencer, sair na foto de campeão, porque aí é isso que fica na história. Jogador tem que ter vontade de vencer sempre", disse.

Veja Mais:

  • Corinthians foi da água ao vinho: campeão em 2017 e candidato ao rebaixamento em 2018

    Corinthians luta contra reviravolta jamais vista no Brasil e raríssima no futebol mundial

    ver detalhes
  • Jadson é o artilheiro do elenco em 2018, com 15 gols; é o que mais fez com Jair Ventura

    Jadson se torna artilheiro da era Jair Ventura; meia participou de 12 dos últimos 20 gols do Timão

    ver detalhes
  • Roger entrou aos 13 minutos do segundo tempo e conseguiu fazer um dos gols do Timão em Salvador

    Roger é o atacante do Corinthians que precisa de menos tempo em campo para fazer um gol

    ver detalhes
  • Duelo ganhou ares dramáticos com prorrogação, mas terminou em alívio e comemoração dos corinthianos

    Em jogo dramático, pivô faz três, Corinthians segura empate na prorrogação e vai às quartas da LNF

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes