Reforço do Corinthians, Alline Calandrini valoriza projeto, fala de reality show e revela sonho

Reforço do Corinthians, Alline Calandrini valoriza projeto, fala de reality show e revela sonho

21 mil visualizações 154 comentários Comunicar erro

Zagueira foi anunciada pelo Corinthians no último sábado

Zagueira foi anunciada pelo Corinthians no último sábado

Foto: Reprodução/CorinthiansTV

Com a parceria com o Osasco Audax encerrada, o Corinthians começa 2018 cercado de expectativas para sua primeira temporada como time de futebol feminino independente. Utilizando a estrutura do clube, a equipe tem se reforçado para chegar ainda mais forte que no ano passado, quando conquistou a Copa Libertadores da América. Entre os reforços está a experiente zagueira Alline Calandrini, que falou ao Meu Timão sobre a importância da nova etapa do projeto alvinegro.

"Essa mudança tem um tamanho enorme para a modalidade. Acredito que a parceria aconteceu em um momento certo. A junção de dois clubes foi o início desse projeto atual. É claro que sendo Corinthians, apenas Corinthians, é muito maior. O futebol gera paixão. Os torcedores são apaixonados pelos seus clubes. Sabendo da existência do futebol feminino no clube que ama, é um chamado para acompanhar de perto a modalidade", contou Alline.

Apesar da satisfação de usufruir de toda a estrutura de treinos, Alline, anunciada na última semana, quer mais. Além de sonhar com títulos vestindo a camisa alvinegra, a jogadora pensa em atuar na verdadeira casa do Timão.

"É claro que eu sonho em jogar na Arena Corinthians. Ainda digo mais, sonho em vê-la lotada prestigiando o futebol feminino", afirmou.

Arena Corinthians sediou jogos de futebol feminino nas Olimpíadas

Arena Corinthians sediou jogos de futebol feminino nas Olimpíadas

Divulgação

Muito motivada e já trabalhando com o elenco do treinador Arthur Elias na pré-temporada, Alline espera estar pronta para estrear com a equipe no Paulistão, que se inicia em março. A necessidade de se condicionar tem justificativa. Depois de um período lesionada, ela não atuou nos últimos meses de 2017. Mesmo assim esteve ativa fisicamente, no reality show Exathlon Brasil, da TV Bandeirantes.

"Eu aceitei participar do programa porque estava sem atuar no Santos, me recuperando de uma lesão no ligamento. Como não tinha tempo hábil para retornar à fase final do Paulista, o clube acabou me liberando. Se tem algo que tiro do programa, é valorizar nossa saúde, amigos, família e todos os momentos que estamos vivos", explicou, antes de projetar seu primeiro ano pelo Timão.

"Quero me firmar na equipe e conquistar todos os campeonatos que estão por vir.
O Corinthians tem caras novas, mas manteve sua base. Isso facilita para o entrosamento
", completou.

Mesmo com passagens pela Seleção Brasileira e a grande vitrine que terá no Corinthians, a zagueira, atualmente com 29 anos, já não tem convocações para defender o país como um de seus objetivos. O desafio atual e o seu foco estão todos no novo clube.

"A Seleção não é mais uma meta na minha carreira. Eu precisava de um estímulo e desafio na minha carreira. E nada como estar no Corinthians. O projeto daqui esse ano é excelente. Tenho certeza que terei tudo pra poder voltar ao meu alto rendimento", concluiu.

Retorno a Seleção não é uma das prioridades de Alline

Retorno à Seleção não é uma das prioridades de Alline

Divulgação/RV Sports

Confira outras respostas de Alline Calandrini ao Meu Timão

Meu Timão: A partir deste ano, o time feminino do Corinthians usará as dependências do clube para treinar. Até aqui, o que notou da estrutura alvinegra?

Alline Calandrini: Vim de um clube onde a estrutura do futebol feminino é diferenciada. Eu não sairia de lá se não fosse para uma mesma estrutura. Vejo profissionais competentes trabalhando em torno de todas nós. Vejo o clube dando alimentação, estadia, academia, plano de saúde, campo excelente para treinamentos. Ano passado não usavam nada do Corinthians. Hoje, por ser 100% Corinthians, tem tudo. E isso é um grande avanço dentro do clube.

Você é muito experiente e costuma ser capitã de suas equipes e até da da Seleção. Como exercer essa liderança em um grupo novo?

Vou procurar ser eu mesma. Sem precisar forçar o respeito das meninas. Meu jeito é de comunicação dentro de campo. Falo e oriento bastante. Que isso seja natural.

O Corinthians tem uma das maiores torcidas do mundo. Como tem sido a recepção depois do anúncio? A passagem por um rival tem sido lembrada?

Ganhei alguns seguidores e perdi alguns (risos). Não tive nenhum comentário da torcida corinthiana falando algo por ter vindo de um rival. Acredito que a torcida santista tenha ficado chateada pela identificação que eu tinha com o Santos. Mas faz parte do futebol. Agora quero conquistar a torcida corintiana, que é o clube que escolhi pra atuar.

Veja mais em: Futebol feminino.

Veja Mais:

  • Maycon (à esq.) não fica após Copa; Rodriguinho e Jadson devem receber ofertas

    Andrés diz que Corinthians deve perder três titulares durante janela de transferências

    ver detalhes
  • Walmir e Carille batem papo durante treino; ambos deixam Corinthians rumo ao Al-Wehda

    'Pego de surpresa', braço-direito de Carille diz ter poucas informações sobre clube saudita

    ver detalhes
  • Balbuena foi capitão na última partida entre os dois times

    Corinthians defende bom retrospecto contra o Internacional neste domingo; veja números

    ver detalhes
  • Bicicleta de Bale inspira zoeira entre corinthianos na web: 'Parecia o Romero!'

    Bicicleta de Bale inspira zoeira entre corinthianos na web; confira melhores tweets

    ver detalhes

Comente a notícia:

  • 1000 caracteres restantes