Preocupado com STJD, Sheik admite erro, mas reclama de ‘bagunça’

Preocupado com STJD, Sheik admite erro, mas reclama de ‘bagunça’

Herói do Corinthians na Taça Libertadores da América, o atacante Emerson Sheik voltou a ser decisivo na noite desta quarta-feira. De volta ao time titular após recuperar-se de lesão muscular, ele marcou o gol do empate alvinegro por 1 a 1 com a Ponte Preta, no estádio do Pacaembu, aos 44 minutos do segundo tempo.
Na saída de campo, em vez de festa pelo gol, Sheik mostrou apreensão com julgamento no STJD, marcado para a próxima sexta-feira e que pode tirá-lo do clássico contra o Palmeiras, domingo, também no Pacaembu. O jogador foi duro nas críticas à CBF (Confederação Brasileira de Futebol).
Após ser expulso na vitória do Timão por 1 a 0 sobre o Atlético-MG, o jogador xingou o árbitro Péricles Bassols e foi incluso em três artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: 250 (ato desleal ou hostil, com pena de um a três jogos), 258 (assumir conduta contrária à ética ou disciplina desportiva, até seis jogos de suspensão) e 243-F (ofender alguém em sua honra, seis partidas de gancho, mais multa de até R$ 100 mil).
– De boa? Eu sei ser grande também. Eu sei reconhecer o erro. Agora, também espero, como atleta profissional, e como atleta do futebol brasileiro, que os responsáveis, CBF, comissão de arbitragem, que eles também reconheçam os erros, que melhorem e que consertem o que está errado. Não adianta o atleta ser punido, o clube ser punido, e continuar a bagunça que está – afirmou o jogador, recordista de faltas na partida, com cinco infrações.
Dependendo da punição, Sheik pode perder o clássico do próximo domingo, contra o Palmeiras, às 16h, também no Pacaembu. O atacante não cogita “tirar o pé” no Campeonato Brasileiro devido ao Mundial de Clubes, que será disputado no Japão, de 6 a 16 de dezembro. Na opinião dele, é importante manter o ritmo para que o elenco chegue preparado à competição internacional.
– O Mundial independe do Brasileirão. Isso serve de preparação. É importante não perder e entrosar o pessoal que chegou. Tem gente entrando no time, é bom manter o padrão, jogar bem, porque o tempo passa rápido e o Mundial está aí – opinou.
A campanha do Corinthians no segundo turno ficou marcada pelo fato de a equipe ser o “terror dos líderes” do Brasileiro: tirou pontos de Fluminense (empate por 1 a 1 no Rio de Janeiro), Atlético-MG (vitória por 1 a 0 no Pacaembu) e Grêmio (vitória por 3 a 1 no Pacaembu). Porém, a equipe tropeçou contra adversários com piores colocações, como o Figueirense e a Ponte. Ainda assim, Emerson garante: a postura do Timão é sempre a mesma, quem muda os jogos são os adversários.
– O nível de concentração contra essas três equipes (Flu, Galo e Grêmio) foi o mesmo de hoje. Todos eles estão brigando pela liderança, então procuram jogar, buscam o resultado o tempo todo e dão espaço para a gente jogar também. A Ponte é completamente diferente. Joga fechadinha, buscando pontuar, então fica mais complicado – argumentou.

Fonte: Globo Esporte

Veja Mais:

  • Arana pode se transferir para a Inter de Milão nos próximos dias

    Com oferta na mão, Corinthians espera retorno de presidente para definir venda de Arana

    ver detalhes
  • Corinthians optou por não utilizar redes sociais em respeito ao momento

    Corinthians suspende redes sociais em dia de velório coletivo da Chapecoense

    ver detalhes
  • Torcida do Corinthians se despediu da Arena no empate por 0 a 0 com o Atlético-PR

    Maior do país, público do Corinthians é duas vezes a média do Brasileirão 2016

    ver detalhes
  • Oswaldo defendeu utilização da cor verde em homenagem à Chapecoense

    Oswaldo comenta tragédia da Chapecoense e é mais um a defender cor verde no Corinthians

    ver detalhes

Comente a notícia:

Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a comentar!

  • 1000 caracteres restantes